PROPAGANDA

[BR SUB 20] Tendo boa atuação na etapa final, Athletico supera Vitória e termina na vice-liderança da primeira fase



Na tarde deste domingo (20), Athletico e Vitória se enfrentaram no CT do Caju pela última rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro Sub-20. Após um primeiro tempo aquém do esperado, mas com o time baiano melhor dentro das estratégias traçadas, as mexidas do técnico Rafael Guanaes surtiram efeito, o time da casa cresceu em volume de jogo e soube aproveitar os espaços para construir o triunfo por 3 a 1.

 

#CATEGORIA DE BASE

Por Vinicius do Prado

PRÉ JOGO: As duas equipes vieram para esta rodada decisiva em busca de reabilitação. O Athletico havia perdido a primeira no certame no duelo frente ao Cruzeiro, mas se manteve na segunda posição e buscava o triunfo para ter chances de terminar na liderança da primeira fase. Já o Leão da Barra foi derrotado pelo Grêmio em Salvador e jogava todas as fichas no duelo em Curitiba, precisando vencer e contar com tropeços de Palmeiras e Flamengo para se classificar.

O JOGO – A partida começou com o Athletico pressionando a saída de jogo visitante e tendo o controle da bola, enquanto o time baiano adotou uma postura mais recuada buscando brechas para contra-atacar. Isso aconteceu nos primeiros 10 minutos, quando o Vitória mudou a atitude para uma linha mais agressiva, passando a controlar o ímpeto paranaense. No entanto, os times não proporcionaram chances de perigo real aos goleiros.

A principal dificuldade dos mandantes era romper a linha de zaga do Vitória. Os passes não saíam com a precisão necessária no último terço do campo e as jogadas individuais não eram suficientes para quebrar a barreira. A saída eram os chutes de fora da área, mas o único que chegou próximo a meta foi o de João Pedro aos 26’, passando ao lado do gol.

A primeira chance clara só apareceu aos 29’, após uma jogada pela ponta direita em que o arqueiro do Vitória saiu mal no cruzamento. A bola sobrou com Iago, que apareceu livre na outra ponta, mas jogou por cima da meta. O Vitória respondeu só dez minutos depois, mas foi uma blitz que consagrou o goleiro Orlando. Na primeira, Italo aproveitou passe errado e disparou um canudo para defesa do arqueiro, gerando escanteio. A cobrança foi na cabeça de Marco Antonio, que testou conforme o manual para ótima intervenção de Orlando.

O jogo esquentou nos minutos finais do primeiro tempo, com o Athletico arriscando novamente de fora da área aos 43’, dessa vez parando em João Vitor. Mesmo assim, dentro das estratégias traçadas, o Leão da Barra se deu melhor, criando chances mais perigosas mesmo abdicando da posse de bola. O Furacão teria que tentar usar mais os lados do campo para se impor dentro da partida.



O técnico Rafael Guanaes sabia que precisava mexer na equipe, e trouxe quatro novidades no intervalo que vinham como titulares na competição: o goleiro Leo Linck, o defensor Luan Patrick, o meia Jaja e o centroavante Mingotti.

A melhora técnica foi clara, e o Athletico começou o segundo tempo abafando o Vitória. O resultado veio rapidamente: aos 8’, João Pedro cruzou da esquerda, Mingotti cabeceou e o desvio em Edson tirou João Vitor do lance, 1 a 0 Athletico.

Com a desvantagem, o Leão da Barra precisou ir com tudo ao ataque, e teve a chance de ouro do empate aos 14’, mas Edu tirou a bola chutada por Ronaldo em cima da linha. Uma postura necessária, mas que gerou espaços para saídas em velocidade dos paranaenses. Aos 16’ por exemplo, Jaja recebeu em profundidade, tocou por entre as pernas do goleiro e só não ampliou porque Edson salvou no último instante. Outra chance de perigo veio aos 20’, quando Iago cobrou falta na rede pelo lado de fora.

As circunstâncias dentro da tabela da competição fizeram com que o jogo melhorasse muito a partir do gol do Athletico, e as chances apareceram. Aos 27’, após rápida troca de passes, David recebeu livre, mas bateu rente a trave direita. Três minutos depois, o cruzamento da direita parou no pé de Ronaldo, que ficou de frente para o goleiro, mas Leo Linck defendeu à queima-roupa e evitou o empate.

O Athletico respondeu aos 33’, quando Julimar recebeu um passe primoroso de Ramon e bateu forte, mas João Vitor fez a intervenção. No entanto, seis minutos depois, a insistência baiana deu resultado: Alan Pedro mandou um canudo de fora da área e acertou o ângulo esquerdo, empatando a partida e colocando fogo na disputa.



A expectativa era de uma pressão visitante, mas um lance colocou tudo a perder. O Leão perdeu a bola e Jaja avançou livre, mas foi parado por Edson, que acabou sendo expulso junto com o treinador Ricardo Lemos, que reclamou do lance.

Com desvantagem numérica o time baiano não conseguiu se impor, e o Furacão conseguiu aproveitar os espaços para definir o jogo. Primeiro aos 43’, quando Dudu puxou contra-ataque e rolou para Iago, que entrou na área e chutou no ângulo. Cinco minutos depois, outro lance em velocidade, dessa vez pela direita, com Ramon lançando Dudu que tocou na saída do goleiro para definir o placar: Athletico 3x1 Vitória.

DESTAQUES – O Furacão subiu muito de produção no segundo tempo, e isso passou muito pela velocidade do meio pra frente. Nesse sentido, vários atletas tiveram protagonismo, mas pela assistência e o gol no momento decisivo da partida, o atacante Dudu se sobressaiu. Pelo lado do Leão, o destaque ficou para o lateral Elivelton, que foi uma válvula de escape pelo lado esquerdo e em diversas vezes deixou os companheiros em condições de arremate.



ATHLETICO – A equipe da casa teve dificuldades para se desvencilhar da marcação adversária no primeiro tempo. Isso aconteceu pela insistência no jogo pelo meio aliada a falta de apoio dos laterais aos pontas, diminuindo a chance de tabelas e gerando uma posse de bola ineficiente. Com a entrada dos atletas que vinham com ritmo de competição a partir do segundo tempo, o Furacão controlou o jogo, não desperdiçou a chance de abrir o placar e soube aproveitar os espaços gerados pela defesa adversária para matar o confronto.

VITÓRIA – O time nordestino demorou um tempo para entender o jogo, mas a partir do momento que pressionou a saída de bola do Athletico fez um primeiro tempo seguro e levou perigo em duas chances claras. Embora isso tenha acontecido, faltou ao Leão um pouco mais de ousadia para chutar em gol, o que poderia ter aumentado ainda mais o volume do Leão. O gol sofrido foi um baque momentâneo, mas o time manteve um bom volume de chances na etapa final. No entanto, a precisão foi novamente um calcanhar de Aquiles e a expulsão de Edson acabou com as chances de virada.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATHLETICO: 1 Orlando (12 Leo Linck); 2 Luca Caio (16 Julimar), 3 Edu, 4 Fornari (13 Luan Patrick) e 6 Benitez; 5 Kawan, 8 Ramon e 10 Danielzinho (17 Jaja); 7 Iago, 9 Paulo Victor (19 Mingotti) e 11 João Pedro (20 Dudu). Tec. Rafael Guanaes.

VITÓRIA: 1 Joao Vitor; 2 Edi Carlos, 3 Edson, 4 Marco Antonio e 6 Elivelton; 5 Lucas, 8 Hebert (16 Alan Pedro), 7 David e 10 Gabriel (17 Alisson); 11 Pedrinho (18 Ronaldo) e 9 Hitalo. Tec. Ricardo Lemos.

FICHA TÉCNICA – ATHLETICO 3X1 VITÓRIA XXXXXXXXXXXXX

GOLS: Edson (contra) aos 8’, Iago aos 43’ e Dudu aos 48’ do 2°T (Athletico); Alan Pedro aos 39’ do 2°T (Vitória).

CA: Lucas e Marco Antonio (Vitória); Ramon (Athletico).

CV: Edson e o técnico Ricardo Lemos (Vitória).

ÁRBITRO: Cristian Gorski da Luz.

ASSISTENTES: Heitor Alex Eurich (1) e Roberto Rivelino dos Santos (2).

LOCAL: CT do Caju, em Curitiba. 


APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap

No comments

Powered by Blogger.