PROPAGANDA

[FEMININO-A2] Mandantes trazem vantagem para os duelos de volta das oitavas de finais

No próximo sábado (28), a bola rola para os jogos de volta das oitavas de finais da Série A2 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino de 2020. Dos oito confrontos que serão realizados, em cinco as equipes que jogam em casa terão a vantagem do empate para seguir no certame, e os dois representantes paranaenses terão de reverter a situação longe do estado. Confira quais serão os confrontos que serão realizados neste sábado, pela partidas de volta das oitavas de finais.

#FEMININO A2

Por Vinicius do Prado

Tanto Athletico quanto Foz Cataratas jogarão às 15h. O Rubro-Negro irá a Pituaçu encarar o Bahia, enquanto que o clube do oeste do estado enfrenta o Botafogo no CEFAT, em Niterói. Confira os demais jogos de volta das oitavas de finais. 

As gurias do Furacão terão uma missão um pouco mais difícil que as do Foz Cataratas. Por conta da derrota para o Bahia por 3 a 1 no CT do Caju, o Athletico precisará vencer por três ou mais gols de diferença para avançar às quartas, ou por dois tentos de vantagem para forçar uma disputa de pênaltis. Outro fator que dificulta a vida do clube curitibano é o retrospecto do Tricolor de Aço. A equipe do treinador Igor Reis só foi vazada em duas das seis partidas disputadas, segue com 100% de aproveitamento e conta com a artilheira da competição, a atacante Evelyn, que marcou o décimo primeiro gol até aqui no duelo de ida. O fator que pode desestabilizar a equipe nordestina é a ausência da volante Josefa, que levou um cartão vermelho em Curitiba.

Já a equipe do oeste do estado leva para Niterói um resultado mais ameno, mas nem por isso tranquilo. O triunfo botafoguense por 1 a 0 obriga o Foz Cataratas a vencer de qualquer jeito fora de casa, seja por um placar simples para ir as penalidades ou com dois ou mais gols de diferença para avançar ao fim dos 90 minutos. Dois fatores que complicam a vida do time treinado por Gezi Gonçalves são a ausência da zagueira Tânia, expulsa no jogo de ida, e o fato de não ter vencido os dois jogos em que atuou fora dos próprios domínios – derrota por 5 a 0 para o América-MG e empate sem gols com o Juventus da Mooca. Para reverter a situação, a equipe paranaense pode se espelhar nas mulheres do Atlético Mineiro, as únicas a derrotarem o Botafogo no Brasileirão, com o fator do jogo ter sido disputado em Niterói. Mesmo com desafios diferentes, o fato é que Athletico e Foz terão que mostrar o mesmo poder de reação para seguirem na luta pelo acesso à elite nacional do futebol feminino.

APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap

No comments

Powered by Blogger.