PROPAGANDA

[AMADOR CWB] Vila Fanny completa 68 anos em meio à reconstrução depois da queda

O gigante da BR completa nesta segunda-feira (12) 68 anos de fundação. São quase sete décadas de clube e um pouco mais de seis dentro do futebol amador de Curitiba, com títulos e esquadrões marcantes. Dentre eles, a base da década de 1990, que culminou com o pentacampeonato do Sul-brasileiro e outros títulos. Mas a última década do alvirrubro não foi das melhores, além da situação do Ismael Gabardo, que ficou fechado por mais de 900 dias, o Vila Fanny foi rebaixado pela segunda vez em sua história e busca retornar à elite e também nos tempos de ouro, com a nova diretoria. 

#ESPECIAL

Por @rafaelbuiar 

Quando mencionamos sobre as equipes do futebol amador de Curitiba é impossível não falar do Vila Fanny, o gigante da BR. Em 61 anos de disputa na Suburbana, a equipe marcou presença na Série A em 36 oportunidades, com seis títulos. Sendo que o primeiro foi em 1988 diante o Trieste e nas penalidades após dois empates, seis anos após a primeira participação na elite - 1982. O time desta conquista teve Adilson, Ademir, Lima, Dino e David; Chiquinho, Joel (Gil) e Chinho; (Miranda), Gilmar Fruet, Luizinho e Jackson; enquanto que Wilson, Clóvis, Juarez, Maculan, Rubico, Marcelinho, Vanderlei, Ico e Oli foram suplentes, mas participaram na primeira conquista alvirubra na Série A. Na prancheta teve dois treinadores, Lima dos Santos iniciou o trabalho e depois Dorival Rodrigues seguiu. Ao todo foram 24 partidas, com 43 gols anotados. 

Este título marcou o início de uma história cheia de glórias no Vila Fanny nos anos seguintes, já que na década de 1990 o alvirrubro da região sudeste de Curitiba teve o seu melhor desempenho dentro do futebol amador e até ultrapassou fronteiras. No todo, a equipe do Fanny conquistou oito títulos do mais alto escalão da cena do amador, pois foram três títulos na Série A - 1990, 1991 e 1993; quatro no Sul-Brasileiro - 1991, 1992, 1993 e 1995; e um título da Taça Paraná em 1991. Período em que o Fanny conquistou a tríplice coroa - Série A, Taça Paraná e Sul-Brasileiro. Seis jogadores participaram das três conquistas do ano de 1991: Roberto Costa, Vilson, Márcio, Adilson, Nego e Jackson; Já em duas das três conquistas foram oito jogadores - Jaime, Luizinho, Renatinho, Nei, Davi, Dunga, Chiquinho e Reinaldo. 

Na década seguinte o Vila Fanny ainda conseguiu manter-se no topo, com mais duas conquistas da Série A, uma no ano 2000 e outra em 2002, sendo essa a última conquista do alvirrubro na elite do futebol amador de Curitiba. Mas depois de 31 anos seguidos na Série A da Suburbana, a queda à Série B aconteceu em 2013 pela primeira vez, pois desde 1981 o Vila Fanny não disputava a Divisão de Acesso da Suburbana. Mas a segunda passagem na Série B foi curta e durou dois anos, já que em 2014 o time do Fanny foi vice-campeão. Mesmo assim, o acesso à elite aconteceu. Porém, em 2019 novamente aconteceu o descenso e a próxima competição do Vila Fanny será novamente a Série B da Suburbana. 

Neste período, o clube passou por um dos momentos mais complicados e longe daquele dos anos 1990, pois teve que jogar longe de sua casa depois de uma ordem da justiça que obrigou que as atividades no local fossem paralisadas, a pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) - sob pena de multa diária de R$ 10 mil. A última partida no Ismael Gabardo foi realizada em quatro de novembro de 2017, quando foi eliminado nas penalidades diante o Operário Pilarzinho. Desde lá, foram 13 partidas disputadas com o mando do Fanny, mas em outro palco. O estádio em que o Vila Fanny mais utilizou neste período foi o Donato Gulin, do Vila Hauer, em oito oportunidades, seguido do Manoel Gustavo Schier, da equipe do Uberlândia, com três vezes. Além do José Drulla Sobrinho e do Egydio Ricardo Pietrobelli, que também foram utilizados. Em número, o retrospecto não foi positivo, pois a equipe do Fanny conquistou apenas uma vitória, seis empates e seis derrota, sendo que quatro foram no ano passado e três de goleadas. 

Mas no início deste ano, a partir das melhorias exigidas pelo poder público, o clube Vila Fanny encaminhou ao juiz Jaílton Juan Carlos Tontini da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, que deu 30 dias úteis para as entidades se manifestarem, que foram concluídas no mês de outubro de 2019, ficando em análise até 15 de maio deste ano, dado como sentença concluída no dia 20 de maio. Sendo assim, o Estádio Ismael Gabardo está liberado para a função do clube. 

Mesmo assim, com esse período conturbado, o Vila Fanny mostrou a sua tradição e se manteve firme dentro do cenário do futebol amador. Já que das equipes que estão ativas no cenário do futebol amador de Curitiba, apenas seis ainda não pediram licença na Federação Paranaense de Futebol (FPF). Ou seja, apenas seis times jogaram todos os campeonatos desde a primeira participação. Dentre as seis equipes, o Vila Fanny é a única que está em atividade desde 1959, já que as outras equipes seguiram de forma ininterruptas na Suburbana foram fundadas na última década - Desportivo Paranaense; Vila Torres, Shabureya, Palmeirinha e Vila Sandra. 

NOVA DIRETORIA - Junto ao direito do retorno das atividades no Ismael Gabardo aconteceu a eleição no Vila Fanny, que teve Binho como novo presidente, com a missão de comandar o clube nos anos de 2020 e 2021. Um dos objetivos apontados durante a campanha pela chapa “Amor Verdadeiro” foi a reaproximação com os moradores do bairro. Já no futebol, a nova diretoria fez o anuncio de Mael como o novo treinador, 

NOVO TIME - O próximo time do Vila Fanny que tem a missão retornar à elite do futebol amador já teve alguns nomes apresentados. Caíque, Feijão, William, Kauhan, Juninho, Ander Black, Matheus Queirog, Bruno, Mackenzy, Laguna, Alex, Maranhão, Juliano, Murilo, Guderson, GianCarlo, Dinda e Enoel foram anunciados nas redes sociais do clube. 

AÇÕES SOCIAIS - Outro ponto e que faz o Vila Fanny ser reconhecido também é o social do clube, que tem uma identidade forte, como os eventos da feijoada e o pagode que eram realizados dentro da sede do clube. Desde que a nova diretoria assumiu já foram várias ações envolvendo o social, como Fanny Solidário, que teve como objetivo arrecadar alimentos e produtos de higiene, realizada entre julho e agosto. Também irá acontecer a ação para os dias das crianças, arrecadação de brinquedos e doces. 

COMEMORAÇÃO - Em comemoração ao dia de Nossa Senhora Aparecida e também ao aniversário de 68 anos, o Vila Fanny irá celebrar uma missa com a Paróquia Nossa Senhora da Conceição em nosso Estádio Ismael Gabardo às 10h do dia 12 de outubro. 

APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap



1 comment:

  1. Parabéns pela reportagem e também ao gigante da BR pela perseverança dos seus apoiadores para que o clube se mantivesse vivo e sucesso à nova diretoria e que sigam firmes para realizar o melhor trabalho possível nos novos desafios!!!

    ReplyDelete

Powered by Blogger.