PROPAGANDA

[AMADOR CWB] Trieste e Iguaçu são as equipes com mais vices na Série A da Suburbana

Em quase oito décadas da Série A da Suburbana, as equipes mais tradicionais do bairro de Santa Felicidade, Iguaçu e Trieste, ficaram em 31 edições das 78 com vice da elite do futebol amador de Curitiba. Número que comprova a dimensão que as duas equipes representam no cenário da Suburbana, que juntas já foram campeãs 23 vezes. Além da dupla da Colônia Italiana, outras 21 equipes também ficaram com a segunda colocação na classificação final do certame. Confira o levantamento do portal DRAP em relação aos escretes que ficaram com vice somadas todas as edições da Série A da Suburbana.

#FUTEBOL AMADOR

Por @rafaelbuiar

Em 78 edições, a dupla Iguaçu e Trieste conseguiram a façanha de ficar com 31 vices, somados os números. Caso o Tricolor da Colônia conquistasse seus 17 vices, o número de conquistas chegaria a 30. Já o seu rival, que teve 14 vices, chegaria em 24 títulos. No caso Trieste, o último vice foi em 2017 e para o seu maior rival. Enquanto que o alvinegro de Santa Felicidade ficou com o vice no ano passado, diante o Operário Pilarzinho. Números que aguçam ainda mais a rivalidade da dupla que mais conquistou títulos no certame principal de Curitiba, em relação ao futebol amador. 

Em quase oito décadas de competição, a equipe do Trieste não chegou em uma final de campeonato na Série A apenas na década de 1990. Em 1959 foi a primeira vez que o Trieste conseguiu chegar na final, mas o título acabou ficando para o Iguaçu, que também esteve em sua primeira final. O escrete campeão que entrou em campo foi Adir; Calixto e Alcides; Zé Luiz, Budel e Mário (Renato); Ezequiel (Walter), Guitcha, Sílvio, Gauchinho e Rubinho. A última vez que o Trieste chegou em uma final e não levou foi em 2017, que também perdeu para o Iguaçu naquela oportunidade. Nas décadas de 1960 e 1970, o Tricolor da Colônia ficou com quatro vice em cada década, sendo a equipe que mais ficou com o segundo lugar nas respectivas décadas.


Já o Iguaçu, conseguiu marcar presença em pelo menos uma vez em todas as décadas, com exceção da década de 1940. A primeira final que chegou e não levou foi realizada em 1963, quando perdeu para o Real. A última vez que ficou com o vice foi no ano passado, no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, para o Operário Pilarzinho, com o gol antológico aos 49' do segundo tempo. Em relação à quantidade de vices nas décadas que teve o certame - de 1940 à 2010, o alvinegro foi a equipe que mais vezes chegou e não levou nas décadas de 1990 e 2010, com três vices em cada década. Na década de 1960, a equipe do Iguaçu foi vice em três oportunidades também, mas o rival, Trieste, foi quatro vezes. 

Das equipes ativas, apenas cinco das 13 estão na elite do futebol amador. Caso de Trieste, Iguaçu, Santa Quitéria, Capão Raso e Operário Pilarzinho. Enquanto que Vila Fanny, Combate Barreirinha, Ypiranga, Vasco da Gama, Urano, Vila Hauer, Bairro Alto e União Ahú lutarão para ingressar à elite do futebol amador de Curitiba. Das equipes que estão na Série B da Suburbana, o Bairro Alto foi a última equipe que chegou em uma final e não levou, em 2012. Já o Vasco da Gama é a equipe com mais tempo do seu último vice-campeonato.

APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap


No comments

Powered by Blogger.