PROPAGANDA

[AMADOR CWB] Referência na categoria de base, Nacional completa 61 anos

 

Hoje, 15 de agosto, é motivo de comemoração para o Clube Atlético Nacional. Localizada no bairro Boqueirão, o time alviceleste completa 61 anos de muita história no futebol amador de Curitiba. A equipe do Nacional, que é uma das referências em categoria de base, está atualmente na Série B da Suburbana em busca de um eventual acesso à elite do futebol amador curitibano. 

#AMADOR CWB

Por Lucio Cesar

A tradicional equipe do bairro do Boqueirão manda seus jogos no Estádio XV de agosto. O primeiro presidente foi Heitor Pereira, além de ser também atleta do clube. Após Heitor em 1959, a equipe teve apenas mais dois presidentes, sendo eles: Agripino Teodoro de Souza e José Francisco Cúnico Bach, que assumiu a equipe em 1968 e está na presidência até os dias atuais.

Três anos após sua fundação, o Nacional começou a trilhar seus passos no futebol amador curitibano, em 1962 fez sua estreia na Série C, divisão a qual ficou até 1969, ano em que conquistou sua inédita vaga na segunda divisão. Nos anos 1970, o clube teve o que seria os seus melhores tempos, sendo vice-campeão da série B em 1974 e campeão em 1975. Entretanto, a grande estreia na série A aconteceu apenas em 1980. Após a chegada na elite, a equipe se manteve no certame por 16 temporadas ininterruptas, tendo seu primeiro rebaixamento da história em 1996. Mas o alviceleste logo retornou para a elite, ficando apenas uma temporada na série B. De volta à elite o clube se manteve por mais quatro temporadas; em 2003 o Nacional teve outro licenciamento da competição e ficou fora da competição pelos próximos dez anos. 

Retornando aos torneios federados em 2013, levou apenas um ano para que o escrete retornasse a principal divisão amadora de Curitiba, sendo novamente campeão da divisão de acesso da suburbana em 2014. Infelizmente o alviceleste não conseguiu se manter na série A, e em 2016 foi novamente rebaixado para a série B, divisão que ocupa até hoje e luta em busca de um novo acesso a elite.

A importância do futebol de base

As maiores conquistas do Clube Atlético Nacional ficam por conta do futebol de base e isso se dá a muito tempo de trabalho e foco no futebol juvenil do clube. Em 1975, após 16 anos da fundação, o Nacional já contava com as categorias de juniores, sendo que em 7 anos já conquistavam então seu primeiro título, quando foram campeões infantil em 1982. Além do título em 1982, as categorias de juniores do clube contaram com mais duas taças nos anos 80, sendo elas em 1984 e a última em 1988;

A partir de 1993 o Nacional então inaugura sua escola de futebol, com o nome de “Nacional 2000”, que foi responsável pelo surgimento de vários novos atletas para a equipe; logo em seu primeiro ano de escola a equipe conquistou um terceiro lugar nas categorias dente de leite mirim, se consagrando campeão da mesma em 1995.

Nos anos 2000 a equipe voltou a conquistar títulos, tendo um elenco formado por jogadores que já vinham crescendo no nacional. Desde a escola e a conquista do dente de leite em 1995, o clube foi campeão brasileiro infantil em 2000 enfrentando a equipe do Foz do Iguaçu e campeão brasileiro juvenil em 2001 frente a equipe B do Flamengo. Com o licenciamento do Nacional em 2003, a equipe não disputou o certame da categoria adulto e por isso teve todos seus projetos focados nas categorias de base (Infantil, juvenil e junior). Ainda em 2006, o clube acabou tendo que fechar sua escolinha de futebol, que foi reativada novamente em 2013 pelo treinador Alemão. Mesmo sem a escola o futebol de base do Nacional se mantinha muito forte, sendo bicampeão Cobrinhas em 2009 e 2010. Atualmente a escola dá suporte a atletas até aos 14 anos, a partir de então os jogadores já são transferidos para a categoria juvenil da equipe. O último título das categorias de base é bem recente, em 2018 o clube foi campeão da suburbana série B juvenil, após uma vitória contra a equipe do União Ahu por 3 a 2.

Personagens Históricos

Aramis Montecarmelo (Sinho)

Aramis foi um importante jogador do nacional na conquista do seu primeiro título, a Série B de 1975, onde atuava como meio campo/volante. “O Nacional foi onde comecei a mostrar meu futebol aos 15 anos de idade, não podendo assinar contrato para jogar campeonatos oficiais jogava apenas amistosos, em 1969 fui convidado para jogar pelo Ferroviário, no mesmo ano e com 16 anos já havia sido campeão juvenil pelo clube, conquistando uma vaga no time titular”, contou Aramis.

O atleta ainda fez parte do também Colorado, que fez fusão com o antigo Ferroviário; após os anos de Ferroviário e Colorado, Sinho retornou ao Nacional em 1975, ajudando a equipe a conquistar a Série B daquele ano. “Voltei a jogar no grande Nacional, onde fiz muitas amizades e contribui para que o mesmo (Nacional) se tornasse uma academia de revelação de atletas para o futebol profissional”, finaliza o ex-meia do Nacional.

Alexandre Bach (Alemão)

Alexandre, mais conhecido como Alemão, treinador das categorias de base e adulta do clube desde 2006 é uma das grandes referencias da equipe, pois foi jogador e fez parte dos primeiros anos da escola do Nacional; parando apenas para terminar sua graduação, dando continuidade em licenciaturas e pós-graduações. Retornando a equipe em 2006 e estando no comando desde então, após a conquista da série B em 2014 fez trabalhos no Paraná Clube, mas após três meses decidiu retornar ao Nacional. “Temos uma metodologia de trabalho tanto para a base quando para o adulto desde 2011; temos todo um planejamento para o futuro sempre querendo algo a mais e trabalhando com o pé no chão”, afirmou Alexandre.

APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap


No comments

Powered by Blogger.