PROPAGANDA

[JUVENIL] Desportivo Paranaense, um trabalho com foco na base e com grandes objetivos


O Clube Desportivo Paranaense foi fundado em 2013 e filiado na Federação Paranaense de Futebol em 2018 mostra um trabalho exemplar na base e com grandes objetivos para o futuro. Em pouco tempo, a equipe grená conseguiu o título da Série B da Suburbana na categoria juvenil no ano passado, que serve como exemplo e motivação para a manutenção do trabalho em 2020. Com título inédito da categoria juvenil, Desportivo almeja novos desafios para 2020.

#ENTREVISTA                                          
Por JoaoEduardoP_

Plantar hoje para colher no amanhã, esse é um dos pensamentos do caçula da Suburbana do futebol amador de Curitiba. O Clube Desportivo Paranaense vem se destacando no cenário do futebol da capital por ser um clube formador e fazer um excelente trabalho de base. Campeão da Série B da Suburbana em 2019, na categoria juvenil, o trabalho se iniciou seis anos antes. O Presidente do clube, João Rodrigo de Mello Maia, comentou sobre o início da equipe e o objetivo de trabalhar no “meio-campo”, entre atletas iniciando no esporte até o clube. “Desde a fundação, a nossa ideia é focar na lapidação e transição de atletas para servir a clubes profissionais”, acrescenta Maia.

Na Suburbana a história do Desportivo começou em 2013, quando o clube representou o Capão Raso na disputa do certame juvenil. Nos anos seguintes, a equipe firmou parceria com o Nova Orleans, essa que durou até o ano passado, desde 2014 a equipe jogou a competição com a camisa do Orleans, na categoria juvenil. Neste período a equipe obteve bons resultados. Durante os seis anos de formação, o Desportivo trabalhou com categorias de 11 até 20 anos, entretanto o presidente comenta que o clube planejou para este 2020 uma redução de categorias, para trabalhar com serviços mais específicos da categoria Sub-13 até o Sub-17.

Em 2019, o ano foi muito especial para o Desportivo, pois apenas no seu segundo ano de filiação a Federação Paraense de Futebol, a equipe conseguiu o título do Juvenil da Suburbana e também obteve bons resultados no Campeonato Paranaense Sub-15, ficando com a quinta posição no geral. “Ano passado tivemos muitos frutos positivos, boas campanhas no paranaense e o título da Suburbana, isso serve de motivação para a manutenção do trabalho” relata o presidente.


Na categoria adulta o bom resultado do Desportivo não se repetiu. Em 2018 o clube teve uma temporada regular, brigando pela classificação, mas acabou ficando em quinto e não se classificou para a segunda fase no seu grupo. No ano passado a campanha foi pior, a equipe venceu apenas um dos nove jogos que disputou. Resultados que levaram o clube a repensar a forma que conduz, segundo o presidente para 2020 o clube estuda a possibilidade de terceirizar a categoria ou trabalhar com um departamento separado, a fim de buscar investidores para buscar melhores resultados no futuro.

Sobre os atletas que já vestiram a camisa grená, segundo dados do próprio clube, foram mais de 350 testes feitos por atletas, com aproximadamente 180 aprovações. O presidente ressalva que atualmente são cerca de 25 atletas com passagem pelo clube que hoje estão vinculados a equipes profissionais. Maia comenta que contratualmente o clube não contém porcentagens contratual com atletas, esse até sendo um dos motivos que influenciaram para o clube se filiar a FPF em 2018, pois o time jogava competições com representando outras equipes e depois perdiam atletas pela falta vínculos contratuais.

Desde 2013 o clube já auxiliou na formação de muitos atletas, o presidente mostra como exemplos positivos o volante Igor Emiliano (Bambam) que integra a base do Coritiba e passou em 2014 pelo clube, Gabriel Pacheco é outro destaque, com o atleta nascido em 2001 ficou por três anos no Desportivo, passou pelo J. Maluceli e hoje está com contrato e atuando na base do Leganés da Espanha. Sobre futuras vendas e atletas que passaram pelo clube o presidente comentou. “Contratualmente não temos nada ainda, temos acordos apalavrados que quando for assinado contratos profissionais ficaremos com 20 ou 30%, mas ainda nada concreto”, esclarece Maia.


Para o futuro o clube se espelha em alguns destaques do futebol profissional paranaense, as equipes do Azuriz, Verê e o PSTC. No futebol amador, um exemplo a ser seguido é o do Trieste, equipe de sucesso no futebol amador e com grandes revelações na base. Neste ano o clube participará do Copa Sul, uma das principais competições de base da região, que conta com a presença de equipes como Grêmio, Inter, Avaí além das tradicionais equipes da capital paranaense. “Um sonho e objetivo é que nos próximos anos consigamos ter condições de construir nossa própria estrutura e tornar a equipe profissional e conseguir investidores e futuras vendas de atletas”, relata o presidente com pensamento positivo para um amanhã ainda melhor e vitorioso.

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

No comments

Powered by Blogger.