PROPAGANDA

[AMADOR CWB] Com dificuldades dentro e fora dos gramados, Renovicente pede licenciamento da FPF


A Sociedade Esportiva Renovicente, clube de futebol amador do bairro Santa Cândida em Curitiba, pediu licenciamento das competições da FPF após o fim da temporada de 2019. Uma perda significativa para o esporte amador curitibano, que agora se vê sem um dos clubes que mais trabalhava com as categorias de base na cidade.


#AMADOR CURITIBA
Por Eduardo Werner

O clube da Zona Norte da capital paranaense surgiu no dia 21 de dezembro de 2001, após a fusão entre o Clube Atlético São Vicente e o Renove. O primeiro possuía grande patrimônio e boas instalações, enquanto que o segundo, na época, possuía uma equipe de bom nível técnico. Assim, da fusão surgiu o Renovicente, que desde o início buscou trabalhar muito forte as categorias de base e se especializou na formação de atletas.

Treinavam no Tricolor do Santa Cândida cerca de 150 jovens atletas, entre as categorias sub-5 e sub-17, além dos que integraram o elenco adulto na disputa da última Divisão de Acesso da Suburbana, em 2019. Após o vice-campeonato da segunda divisão em 2013 e o acesso à elite do futebol amador, a melhor campanha da equipe foi uma semifinal na categoria juvenil em 2015, quando foi eliminado pelo Trieste. A equipe sub-15 do Renovicente também disputou até o ano de 2017 o Campeonato Paranaense da categoria.

Um grande baque para o clube foi o falecimento de Darci Eckermann em fevereiro de 2016. O diretor dedicou mais da metade de sua vida em prol do São Vicente e do Renovicente, e esteve sempre muito empenhado na formação de atletas. Essa triste perda certamente acabou influenciando na administração do clube e também nos resultados em campo. Logo no primeiro ano sem Darci, em 2016, o Renovicente terminou a Divisão Especial da Suburbana na vice-lanterna e foi rebaixado para a segunda divisão. No ano seguinte teve a terceira pior campanha entre os 19 clubes da Divisão de Acesso do futebol amador curitibano.

O ano de 2019 continuou sendo muito difícil dentro de campo para o Renovicente, que apostou numa equipe sub-20 com média de idade de cerca de 18 anos para a disputa da segunda divisão na categoria adulta. O clube teve a pior campanha de sua história, terminando o campeonato na última colocação entre os 20 participantes conquistando apenas uma vitória em nove rodadas.

Logo na primeira partida o Tricolor de Santa Cândida levou uma sonora goleada de 11 a 0 fora de casa para o Grêmio Ipiranga, cenário frustrante que se repetiu mais algumas vezes naquele campeonato, visto que a equipe teve a segunda pior defesa do certame. Na categoria juvenil o desempenho foi melhor, porém a campanha foi apenas mediana, com a equipe terminando na 11° colocação entre os 20 participantes, sem avançar da primeira fase.

Esse é o cenário do licenciamento do Renovicente. Todas as atividades esportivas do clube, incluindo as categorias de formação e a participação nos campeonatos da Federação, estão paralisadas. Segundo Regina Taborda, importante dirigente do clube que dedicou enormes esforços para o bem do clube desde a sua formação, “não há no momento nenhum prazo de retorno para as atividades futebolísticas do Renovicente”. Até lá, o futebol amador curitibano certamente estará torcendo para que essa importante instituição, referência no trabalho de desenvolvimento de atletas no futebol amador da cidade, volte aos seus momentos de alegria o quanto antes.



APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

1 comment:

  1. Uma pena, uma grande instituição, pude atuar na categoria de base em 2011, uma grande perda ao futebol amador, espero que logo as coisas se normalizem.
    Vamo Re9

    ReplyDelete

Powered by Blogger.