PROPAGANDA

[SUBURBANA] “Trio de Ferro” do Futebol Amador mantém hegemonia e forma semifinal sem surpresas


Trieste, Santa Quitéria e Iguaçu são as equipes mais consistentes da década no futebol amador de Curitiba. Pelo terceiro ano consecutivo, os três clubes chegam pelo menos entre os quatro melhores da Suburbana, mas dessa vez tem o Pilarzinho como intruso, que chega às semifinais pela terceira vez nos últimos dez anos.

#RESULTADOS
Por Yuri Casari

A disparidade financeira e técnica de algumas equipes do futebol amador de Curitiba se provou mais uma vez na disputa das quartas de final da edição 2019 da Suburbana. Os favoritos Trieste, Santa Quitéria e Iguaçu não deram chances ao azar e avançaram de fase com vitórias. O Pilarzinho, embora não fosse um dos cotados a estar entre os melhores, fez valer a quarta melhor campanha até então e se juntou ao que podemos chamar de “Trio de Ferro” da Suburbana. Dessa forma, o Trieste enfrenta o Operário Pilarzinho, enquanto Iguaçu e Santa Quitéria reeditam a semifinal de 2017.


Desde o início da década, apenas dois títulos não ficaram nas mãos da dupla italiana e do Quitéria. O time auriverde, é verdade, venceu apenas um troféu no período, mas em compensação é o clube mais consistente, com oito semifinais consecutivas. A semifinal deste ano se consolidou com a realização dos quatro jogos de volta das quartas de final, ocorridos no último sábado (2).

O líder geral Trieste, que já tinha a vantagem do empate diante do Imperial, confirmou a classificação com uma vitória sólida pelo placar de 3 a 0 no estádio Francisco Muraro. O Tricolor do Mossunguê conseguiu fazer uma boa primeira etapa, levando para o intervalo o empate sem gols. Mas no segundo tempo, o atual campeão do certame municipal abriu o placar aos 15 minutos, com Linno. Com a vantagem ampliada, o Trieste apenas administrou e liquidou a fatura com dois gols nos acréscimos do atacante Thiaguinho.

O Santa Quitéria, por sua vez, conseguiu enfim bater a aguerrida equipe do Vila Sandra. Mais uma vez, o goleiro Jonas se destacou ao abrir o placar na primeira etapa cobrando pênalti. No segundo tempo, Luan Helias confirmou a vitória auriverde no estádio Mauricio Fruet. De 2012 para cá, o Santa Quitéria sempre chegou às semifinais. Outro ponto de destaque da partida foi a questão disciplinar. Nenhum cartão amarelo foi aplicado pelo ábritro Selmo dos Anjos Neto.

Outra equipe a vencer ainda no tempo normal foi o Iguaçu, que venceu novamente o Novo Mundo, no estádio Egydio Ricardo Pietrobelli. Mais uma vez, o jogo foi equilibrado, mas com doses de tensão. Diversos amarelos foram mostrados e cada equipe teve um expulso (Felipe Caron pelo Iguaçu e Caio pelo Novo Mundo). O único gol da partida foi marcado pelo zagueiro Douglão.

Fechando a fase de quartas de final, Operário Pilarzinho e Capão Raso, conforme previsto, fizeram o duelo mais equilibrado. Depois do empate em 1 a 1 na ida, a igualdade sem gols no estádio Bortolo Gava levou a decisão para os pênaltis. O goleiro Juninho brilhou e pegou logo a primeira cobrança da tarde. Todas as outras foram convertidas e o Pilarzinho retorna às semifinais. Desde 2011, o Pilarzinho chegou entre os quatro em 2014 (quando chegou à final) e em 2017, quando acabou eliminado pelo Trieste, justamente o rival da próxima fase.





APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.