PROPAGANDA

[ESPECIAL] Dos torneios municipais à conquista do estado: Os 99 anos do Ypiranga F.C.


Desde a valorização das categorias de base até a entrega constante no gramado, é possível observar que o Ypiranga é um clube diferente. Aqui você confere apenas alguns capítulos da rica trajetória do alvirrubro que já flertou com o profissional, mas encontrou no futebol amador a sua verdadeira essência.

#ESPECIAL
Por Allyson Santos

No dia 6 de agosto de 1920, surgia o escrete alvirrubro da cidade de Palmeira. Como um dos clubes amadores mais antigos do Paraná, a idade do Ypiranga Futebol Clube é proporcional a sua história dentro das quatro linhas. As prateleiras situadas abaixo das escadarias do Estádio João Chede carregam as glórias de tempos antigos, quando o alvirrubro distribuía gols pelo interior do Paraná.

Sala de Troféus do Ypiranga FC. Arquivo Ypiranga
Sob o lema do clube, fixado em letras garrafais na lateral do campo, o Ypiranga enfileirava conquistas no município. Ao todo são 17 títulos da Liga de Palmeira, que fizeram com que o time ganhasse cada vez mais espaço no coração daqueles que residiam na cidade clima. Mesmo com o Pentacampeonato da Liga, defendido entre 1957 e 1961, a frase “Desânimo não vence dificuldade” nunca fez tanto sentido como em 1995. Era hora do Ypiranga chegar ao topo do estado.

A final da 32a edição da Taça Paraná lotou as dependências do João Chede. No jogo de ida, o alvirrubro foi derrotado pelo Realeza por 2 a 0 e tinha a missão de reverter o placar diante de uma torcida apaixonada, que parou a cidade na esperança de mais uma taça. Paulinho e Tika anotaram os gols mantiveram o Ypiranga vivo. O campeão foi definido na prorrogação com um herói improvável que veio do banco de reservas nos últimos minutos do confronto.

Aos 36 anos de idade na época, Kinn já pensava em pendurar as chuteiras no time do coração após marcar época no futsal paranaense. Como centroavante do alvirrubro, era figurinha carimbada e experiente dentro do elenco. Naquele dia, foi ele o escolhido para entrar em campo na reta final da partida. “Um amigo que estava comigo no banco olhou no meu olho e me mandou fazer o gol”, relembra Kinn. Após cobrança de escanteio aos 8’ minutos do 2º tempo da prorrogação, Waltinho desviou de cabeça. A boa explodiu na zaga e caiu nos pés do atacante, que bateu forte de voleio para sacramentar a conquista da Taça Paraná.

Estádio João Chede lotado na década de 1970. CRÉDITOS: Arquivo Ypiranga.
O título mais importante da história do clube veio de uma prática antiga. Mesmo sendo um clube tradicionalmente amador, o Ypiranga sempre reconheceu a importância dos treinamentos para alcançar as glórias, priorizando a utilização de jogadores nascidos na cidade. “Naquele tempo, os jogadores batiam ponto no João Chede três vezes por semana. Ninguém nunca recebeu nada para atuar naquela equipe”, explica Kinn, que ficou imortalizado como um dos grandes nomes da história do alvirrubro.

Em 1990, a arquibancada do Estádio João Chede foi tombada como Patrimônio Histórico por conta de sua estrutura trabalhada em madeira, típica em arenas construídas na década de 1920. Muito além da arquitetura, seus degraus já alimentaram sonhos, já aguentaram tristezas e suportaram as mais intensas comemorações, como aquela em 1995.

Posteriormente, o Ypiranga voltou a estabelecer a soberania na Liga de Palmeira. Vale lembrar que a equipe se profissionalizou por volta dos anos 1980, quando disputou a segunda divisão do Campeonato Paranaense. O escrete de Palmeira também foi bicampeão da Liga de Campo Largo entre 2001 e 2002 e, em 2019, conquistou a Liga de Ponta Grossa. No segundo semestre, o Ypiranga voltará a jogar o Campo-larguense na esperança de retornar à Taça Paraná para, quem sabe, retornar ao topo do futebol amador estadual. Fato é que o desânimo jamais vencerá a dificuldade.

O Elenco campeão da Taça Paraná de 1995 tinha Picuira, Adevilson, Luciano, Marcio, Auer, Hélio Chaves, César Cherobim, Tica, Waltinho, Emerson, Cláudio Kapp, Kinn e Maionese. O técnico era Josemir Auer. CRÉDITOS: Arquivo Ypiranga.
APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

Um comentário:

Tecnologia do Blogger.