PROPAGANDA

Coritiba vence o Paraná por 1 a 0 e está na semifinal da Taça Dirceu Kruger


Na tarde deste domingo (31), Coritiba e Paraná Clube se encontraram no Estádio do Pinhão, em São José dos Pinhais, para disputarem a última rodada da Taça Dirceu Krüger.  A primeira etapa foi marcada por jogadas na intermediária e chutes de longa distância, mas com pouco perigo real aos goleiros. O segundo tempo, por sua vez, teve jogadas com mais efetividade, mas foi o Verdão quem realmente aproveitou. Rodrigão acertou o alvo aos 15 minutos e garantiu a vaga alviverde na semifinal.

#PARANAENSE 2019
Por Giulie Carvalho

PRÉ-JOGO: Todas as partidas da Taça Dirceu Krüger iniciaram juntas, às 16h, e o grupo B era o mais passível de conter surpresas para as semifinais. A vantagem das equipes da capital é que dependiam apenas de si mesmos para seguirem para o mata-mata. O Coxa era o primeiro do grupo por conta do saldo de gols, mesmo tendo a mesma quantidade de pontos que o Rio Branco. No Tricolor a situação era um pouco mais complicada por ocupar a 3ª colocação, mas ainda com chances de se classificar. Porém, se o clássico terminasse empatado, ambos os clubes teriam de torcer para que Rio Branco e Cianorte não vencessem, assim como o Cascavel CR.


PRIMEIRO TEMPO:  O Coritiba escolheu o Estádio Municipal do Pinhão, em São José dos Pinhais, para mandar a partida contra o Paraná devido ao show de Paul MacCartney no Couto Pereira no sábado anterior. As reclamações sobre o local já começaram durante a semana por conta do campo sintético, o que não é comum aos times profissionais. No entanto, isso não pareceu incomodar os jogadores das equipes, pelo menos não nos primeiros minutos de jogo.  Apesar dos escorregões e das jogadas mais no meio de campo que nas zonas de ataque, os camisas 9 dos dois clubes já haviam tentado abrir o placar antes dos 10'. Do lado coxa branca, Rodrigão roubou a bola na intermediária e carregou até a entrada da área, sendo travado ao chutar para a meta. O paranista Jenison, aos 9', driblou a zaga alviverde e mirava o ângulo, mas a bola explodiu nas costas de Vitor Carvalho.

Rodrigão foi o nome proferido mais uma vez aos 16', quando criou outra ótima oportunidade ao chegar de frente para Thiago Rodrigues, no entanto, mandou para fora quando chutou. Giovanni, três minutos depois, mandou uma bomba em direção ao canto direito do camisa 1 tricolor, que se esticou todo, mas também teve sorte, pois a bola seguiu direto para a linha de fundo. Poucos minutos depois, Caio Rangel conseguiu enganar a marcação coxa branca e bateu forte na direção de Muralha, mas Alan Costa subiu para evitar o perigo da jogada. Quase na metade do primeiro tempo, Guilherme Santos se livrou para avançar e chutar firme para o gol, mas a bola passou rente à trave esquerda do arqueiro do Coritiba. Com 30', Éder Sciola subiu para cabecear depois de Itaqui cobrar escanteio, mas mandou por cima do travessão, desperdiçando uma boa oportunidade de gol.

Um minuto depois Giovanni recebeu na entrada da área e cruzou para Rodrigão finalizar. Ele até encheu a rede e proporcionou o grito da torcida, mas o árbitro anulou acusando impedimento. Apesar de não ter valido, era nítido que o time alviverde produzia mais jogadas efetivas, deixando o goleiro Thiago Rodrigues trabalhar mais. Juan Alano, que até então não tinha tido uma participação ativa, conseguiu se aproximar da zona de risco e mandar perigosamente por cima do gol. As melhores chances do Tricolor vinham de bola parada, fosse falta ou escanteio, o que fazia com que os defensores alviverdes, inclusive Muralha, tivessem de trabalhar próximos à zona de gol. Sem acréscimo algum, o árbitro encerrou a primeira etapa, deixando que os times resolvessem a classificação para o mata-mata nos próximos 45'.


SEGUNDO TEMPO:  Sabendo que o empate não era muito vantajoso para ninguém, principalmente para o Tricolor que nesse momento estava fora das semifinais, esperava-se que o time tivesse mais potência e intensidade nas finalizações. Assim como na primeira etapa, a melhor chance do Paraná veio de cobrança de falta. Aos 4', Itaqui cobrou próximo à lateral direita e jogou a bola na cabeça de Guilherme Santos, que mandou por cima do travessão. Com 9' e depois de algumas tentativas, veio a melhor chance do Coxa. Rodrigão recebeu a bola do Sávio, que tabelou com Giovanni e devolveu para o camisa 9. Por cobertura, ele quis tirar o goleiro da jogada e abrir o placar, mas a bola foi pra fora. Exatos seis minutos depois e após uma bela cobrança de falta de Patrick Brey, Rodrigão não perdoou e finalmente encheu as redes. A jogada começou com Juan Alano pelo lado direito de campo, que cruzou para Giovanni até chegar no centroavante alviverde. O 9 também chegou perto do que poderia ser o gol de decisão dos mandantes, após ter deixado Leandro Almeida para trás.

Enquanto o clima esquentava dentro de campo, o Tricolor tentava aproveitar as oportunidades de falta a seu favor, além dos contra-ataques que conseguia realizar vez ou outra. Em outro escanteio cobrado por Itaqui, a bola chegou até Éder Sciola que tentou completar de cabeça, mas não alcançou. Aos 34' Muralha honrou seu apelido frente ao que seria o gol de empate do Tricolor. O substituto do ídolo Wilson encarou de frente Jenison que chegou até a entrada da pequena área. Eles se encontraram, mas o arqueiro alviverde levou a melhor e impediu que a equipe tricolor comemorasse. Aos 41' Muralha conquistou de vez a torcida. Itaqui cobrou falta próximo da grande área e a bola seguia lindamente para o ângulo esquerdo do gol alviverde, mas o camisa 23 abriu a mão para espalmar e mandar para escanteio, salvando mais uma vez o Coritiba.

O jogo foi até os 51' e o Paraná teve uma última chance quando Caio Rangel tentou de fora, a bola respingou e chegou em Andrey, mas nada disso resolveu. Dessa forma, o Coxa venceu o clássico e seguiu para a fase mata-mata. O Paraná, além da derrota, ainda sofre com problemas com a diretoria e esse pode ter sido o último jogo de Dado Cavalcanti, que sofre séria repressão da torcida.


PRÓXIMA FASE: As semifinais do Campeonato Paranaense 2019 foram definidas. O Athletico enfrenta o Rio Branco, segundo colocado do grupo B, no próximo sábado (6), às 16h. O Coxa disputa o mata-mata no domingo, também às 16h, contra o Londrina.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 

CORITIBA: 23 Alex Muralha; 2 Sávio; 3 Alan Costa; 20 Fabiano; 6 Sabino (4 Romércio); 5 Vitor Carvalho; 7 João Vitor; 15 Patrick Brey; 29 Juan Alano; 10 Giovanni (28 Luis Henrique); 9 Rodrigão (13 Wanderley). Téc. Umberto Louzer. Téc. Umberto Louzer.

PARANÁ: 1 Thiago Rodrigues; 2 Eder Sciola; 3 Eduardo; 4 Leandro Almeida; 6 Guilherme Santos (16 Juninho); 5 Jeferson Lima (23 Andrey); 8 Itaqui; 7 Caio Rangel; 11 Higor Leite (19 Fernando Neto); 10 Alesson; 9 Jenison  Téc. Dado Cavalcanti. 

FICHA TÉCNICA CORITIBA 1 X 0 PARANÁ XXXXXXXXXX

GOLS:  Rodrigão aos 15' do 2ºT (Coritiba).
CA: Sávio, Rodrigão, Elyeser, Vitor Carvalho e João Vitor  (Coritiba); Itaqui, Leandro Almeida e Guilherme Santos (Paraná).
ARBITRAGEM: Felipe Gomes da Silva. 
ASSISTENTES: Luciano Roggenbaum (1) e André Luiz Severo (2). 
LOCAL: Estádio Municipal do Pinhão.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.