PROPAGANDA

Cianorte vence fora de casa e aumenta crise no Paraná Clube


Na noite desta quinta-feira (21), o Paraná Clube recebeu o Cianorte no Estádio Durival Britto e Silva para fechar a terceira rodada da Taça Dirceu Krüger. A primeira etapa foi truncada, cheia de faltas e com finalizações facilmente defensáveis para os goleiros. Já no segundo tempo os gols até saíram, mas teve bastante confusão, inclusive cartão vermelho. O resultado ficou 2 a 1 para o Leão do Vale, que ganhou de virada, e tem mais chance de chegar às semifinais.


#PARANAENSE 2019
Por Giulie Carvalho

PRÉ-JOGO: Em um confronto direto para alcançar o topo da tabela e as semifinais, o Tricolor e o Leão do Vale entram em campo com a intenção de garantir larga vitória, com um bom saldo de gols. No entanto, além da força de vontade do adversário, o Paraná também enfrenta dificuldade dentro do próprio clube, já que o então diretor executivo, ídolo e ex-goleiro, Marcos Oliveira, se demitiu após um desentendimento com o meio-campista Maicosuel. Se não bastasse, um grupo de torcedores invadiu o Ninho da Gralha na última terça-feira (19) para cobrar postura e comprometimento do elenco. Pelo lado do Cianorte está tudo bem mais calmo. O técnico Cristian de Souza precisa apenas se preocupar com o substituto de Carrilho, que está suspenso por ter sido expulso na partida contra o Cascavel CR.

PRIMEIRO TEMPO:  Como era de se esperar, a partida começou equilibrada na Vila Capanema. Em menos de cinco minutos, ambos os times já haviam finalizado ao menos uma vez e chegaram próximos às metas nas chances de bola parada. Mas, a melhor oportunidade foi para o Tricolor, que aos 7’ sofreu pênalti, e quando Jenison bateu, não soube aproveitar. O camisa 9 chutou fraco e deixou fácil para o goleiro Silvio. Poucos minutos depois os donos da casa tiveram nova chance de abrir o placar. Andrey e Jenison conseguiram roubar a bola da defesa do Leão, mas não se entenderam e o passe foi pela linha de fundo. Aos 17’, o Cianorte teve falta para cobrar da intermediária e Montoya até bateu forte, mas a bola subiu demais, se tornando tiro de meta para o goleiro Alisson cobrar.

Com 22’, Vandinho descolou uma arrancada pelo lado esquerdo do campo e mandou para a área na intenção de que Alemão cabeceasse, porém, Guilherme Santos chegou primeiro e desviou perigosamente a jogada. Cinco minutos depois foi a vez do goleiro do Cianorte realizar a primeira defesa à queima-roupa, quando segurou com firmeza a bola batida de primeira por Andrey. Aos 33’, o capitão Itaqui cobrou uma falta em profundidade para dentro da área e o lateral Eder Sciola até balançou as redes, mas o gol foi anulado pois estava impedido. Felipe Rámon tentou revidar dois minutos depois, mas a bola passou por cima do travessão. Apesar da corrida incansável das duas equipes, houve mais faltas duras do que finalizações efetivas durante todo o primeiro tempo. Assim, nenhuma das investidas resultaram em gol, fazendo com que ambos fossem para o vestiário com o placar de 0 a 0, o que, para o Cianorte, não estava tão ruim.


O Paraná voltou ao campo sob protestos da torcida, que não se contentou com a atuação do time nos primeiros 45 minutos. O início da segunda etapa também não agradou, já que não houve mudança na postura da equipe. Aos 10’ e aos 11’, o camisa 7, Andrey, finalizou muito bem, assustando os poucos torcedores do Cianorte que estavam na Vila, e dando um tanto de esperança aos seus. Geronimo também conseguiu o mesmo feito quando pegou de fora da área e mandou a bola por cima do travessão. Aos 15’ foi a vez de Alemão cabecear, mas o atacante pegou mal e também ficou para Alisson cobrar o tiro de meta.

Com 20’ jogados, o centroavante Jenison desabafou após empurrar para o gol depois de um lance de escanteio. Entre vaias e aplausos, o camisa 9 comemorou a abertura do placar. Mas a alegria durou pouco - dois minutos, exatamente, quando o árbitro marcou falta a favor do Leão do Vale. Depois de cobrada, Montoya foi o único a levantar a cabeça, enquanto ninguém da defesa paranista subiu para afastar. O resultado foi o esperado: gol do camisa 3 para deixar tudo igual. O gol da virada veio 14’ depois, aos 36’, com uma belíssima jogada de Felipe Santos (indicado como Matheus Nêgo na escalação), que dominou todos os marcadores no meio de campo e quando enfrentou de frente o goleiro Alisson, chutou por cima  e acertou o ângulo. O gol do Leão irritou de vez a torcida paranista, que perdeu a paciência com seu time e começou a vaiar todos os jogadores tricolores.

Mesmo com muitas oportunidades de escanteio e com a bola viva dentro da área, não houve mais chance do Paraná empatar ou mudar o placar do jogo. Dessa forma, o time perdeu de virada por 2 a 1, sofreu ataques da torcida e ainda ficou um passo atrás das semifinais. O Cianorte tinha motivos a comemorar por ter vencido fora de casa, porém, um episódio entre o técnico Cristian de Souza e um jornalista marcou um fato depreciativo para o time, que desceu em silêncio para o vestiário.


PRÓXIMA RODADA: No próximo domingo (24), ambas as equipes voltam a campo pela próxima rodada do campeonato, mas o Cianorte é quem joga primeiro. O time é mandante contra o FC Cascavel na partida que está prevista às 16h, no Estádio Municipal Albino Turbay. O Paraná joga algumas horas mais tarde, às 20h, contra o Cascavel CR, na Vila Capanema.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX 

PARANÁ CLUBE: 1 Alisson; 2 Eder Sciola; 3 Rodolfo; 4 Leandro Almeida; 6 Guilherme Santos; 5 Jeferson Lima (19 Higor Leite) ; 8 Itaqui; 7 Andrey (21 Jhemerson); 11 Alejandro Marquez (18 Jhonny Lucas); 10 Alesson; 9 Jenison Téc. Dado Cavalcanti. 

CIANORTE: 1 Silvio; 2 Jeronimo; 3 Montoya; 4 Breno; 6 Maurício; 5 Sidnei; 8 Guioto; 10 Fernandinho (16 Fabrício); 11 Felipe Ramón; 7 Alemão (18 Felipe Santos); 9 Vandinho (17 Xavier) Téc. Cristian de Souza. 

FICHA TÉCNICA PARA 1 X 2 CIANORTE XXXXXXXXXX

GOLS:  Jenison aos 20' do 2ºT (Paraná); Montoya aos 22’ do 2º T e Matheus Nêgo aos 36’ do 2º T (Cianorte). 
CA: Guilherme Santos e Alesson (Paraná); Silvio, Alemão e Sidnei (Cianorte).
CV: Guilherme Santos (Paraná). 
ARBITRAGEM: Murilo Ugolini Klein. 
ASSISTENTES: Julio César de Souza (1) e Alexsandro Euzébio da Silva (2). 
LOCAL: Estádio Durival Britto e Silva.
drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.