PROPAGANDA

[JUVENIL] Nacional vence União Ahú por 3 a 2 em jogo quente e conquista título da Série B


Tal como no jogo de ida, União Ahú saiu na frente com gol de falta, mas acabou sofrendo a virada do Nacional. Ainda na primeira etapa o Ahú voltou a empatar o jogo, que deixou a decisão em aberto. Mas no segundo tempo o time do Boqueirão não se contentou com o empate – que já era o suficiente - e marcou o gol da vitória e do título

#Juvenil
Por Yuri Casari

PRÉ-JOGO: Na partida de ida da grande decisão da série B juvenil, o Nacional venceu o Ahú por 2 a 1, de virada, ficando com a vantagem do empate para se sagrar campeão. No Nacional, diversos jogadores haviam participado e perdido a final no ano anterior, e uma vitória seria um acerto de contas com a história do futebol local.

PRIMEIRO TEMPO: Nos primeiros 90 minutos da decisão, o jogo entre Nacional e União Ahú havia sido pouco empolgante. Poucas jogadas de ataque, muita disputa de bola no meio de campo e jogadas duras. Já nesta segunda partida, desde o início houve uma apresentação de nível técnico elevado. As duas equipes não se limitaram a esperar no campo de defesa, o que obrigou os goleiros a trabalharem bem.

E assim como na ida, o Ahú abriu o placar na bola parada. Aos 25 minutos, Khaue cobrou falta com efeito e tirou a vantagem adversária. Mas apenas três minutos depois, Gabriel encontrou Tiago na área em posição legal e o camisa 9 voltou a colocar o Nacional em vantagem. Aos 31, em cobrança de falta de Guilherme Mato Grosso, o goleiro do Ahú deu rebote e Léo mandou para as redes virando o marcador. Mas não deu tempo nem de comemorar direito, e Iago recebeu pela esquerda, e bateu de direita deixando tudo em aberto para o segundo tempo.


SEGUNDO TEMPO: No segundo tempo o jogo seguiu intenso. De início, o Nacional deu uma leve recuada e o Ahú tentou pressionar, mas não conseguiu manter o ritmo, e aos poucos o time alvianil foi assumindo o controle da partida e passou a ficar mais próximo do terceiro gol. E para alcançar a vitória, a arma usada foi justamente um dos pontos fortes do adversário: a cobrança de falta. Aos 25, Guilherme Mato Grosso cobrou falta com extrema categoria, sem chances de defesa, marcando o terceiro do Nacional.

Nos instantes finais o clima esquentou. Gulherme Mato Grosso acabou sendo expulso aos 31 minutos deixando o Nacional com um a menos por apenas quatro minutos. Isso porque Patrick, o capitão do Ahú, perdeu a cabeça ao pisar em um adversário fora do lance. Com isso, fazer dois gols se tornou uma tarefa inglória para o União Ahú, que não conseguiu mais assustar. Desse jeito, bastou o tempo passar para que o Nacional pudesse comemorar o título que lhes escapou das mãos na temporada passada.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

UNIÃO AHÚ: 20. Bernardo, 2. Leonardo Hiroshi, 3. Patrick, 4. Gabriel e 6. Israel; 5. André Luiz, 8. João Victor (18. Lucas), 21. Khaue (7. Eduardo Luz), 10. Eduardo Gava; 9. Iago (19. Rafael Mendes) e 11. Kevin. T: Fernando Prado.

NACIONAL: 1, Felipe, 2. Ortiz, 3. João Vitor, 4. Lucas Lima e 6. Samuel (16. João Lucas); 5. Léo, 8. Matheus Kruger (20. Lucas Ruas) e 10. Guilherme Mato Grosso; 7. Diego (17. Micael), 9. Tiago e 11. Gabriel (19. Pfeiffer). T: Alemão.

FICHA TÉCNICA – UNIÃO AHÚ 2x3 NACIONAL XXXXXXXXXXXXXXXX

GOLS:
Khaue, aos 25', Tiago aos 28', Léo aos 31' e Iago aos 35' do 1º tempo; Mato Grosso, aos 25' do 2º tempo.
CA: André Luiz (AHU); Samuel, Ortiz, Diego e Pfeiffer.
CV: Guilherme Mato Grosso (NAC)
ÁRBITRO: Daniel Dantas Canario de Melo.
ASSISTENTES: Fernando Cesar Tobias e Nycollas Fabricio dos Santos.
LOCAL: Ozório Claudino de Barros, Curitiba. 

REPORTAGEM DRAP XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


drap
Tecnologia do Blogger.