PROPAGANDA

[SUB 19] Atlético empata sem gols com a Chapecoense e garante vaga nas semifinais da Copa Sul


Na tarde desta quarta (31) o Atlético encarou a Chapecoense no Estádio do Pinhão, pelo duelo de volta das quartas de final da Copa Sul. Após vencer por 1 a 0 no oeste catarinense, o Furacão jogava por um empate para chegar na próxima fase do torneio. O embate foi muito truncado, o escrete atleticano conseguiu criar as melhores chances, porém não aproveitou, mas mesmo assim carimbou seu passaporte para enfrentar o Criciúma na próxima fase. 

#COPA SUL
Por Gabriel Sawaf

PRÉ-JOGO: Atlético e Chapecoense se enfrentaram no Estádio de Pinhão pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Sul. O jogo ocorreu em São José dos Pinhais por conta da partida decisiva do time principal contra o Bahia na Sul Americana. O Furacão venceu por 1 a 0 na ida e decidia a vaga com uma só alteração em relação a equipe que atuou no oeste catarinense: Vinicius Mingotti começou jogando, colocando Jaderson na lateral esquerda. Quem avançasse iria encarar o Criciúma, que eliminou o Avaí nos pênaltis, em Florianópolis. 

O EMBATE – O jogo começou com as duas equipes sabendo que iam enfrentar um adversário em comum. A chuva que caía, somado ao gramado sintético, colocavam mais velocidade na bola, o que atrapalhou a execução de alguns passes e algumas jogadas. A Chape começo melhor e teve a primeira chance aos quatro minutos, quando Cunha chutou da esquerda e parou em defesa segura de Bento. Aos dez, Chico aproveitou sobra de escanteio e chutou de primeira, parando em boa defesa de Bento.  

A primeira oportunidade rubro negra foi aos 14'. Vitinho deu ótimo lançamento para Christian, o lateral invadiu a área e parou em grande defesa de Pavan, que saiu firme na bola. A partida ficou muito presa no meio e as duas equipes não conseguiam criar oportunidades. Somente aos 37' o Furacão voltou a assustar, quando Vinicius Mingotti foi lançado no ataque e chutou com o peito do pé para fora. A Chape respondeu no minuto seguinte, após Bento cortar cruzamento que veio da esquerda nos pés de Paulinho, que chutou e parou em ótima reação do goleiro atleticano, que segurou o chute. 


O Atlético alterou seu posicionamento para a etapa final, ficando mais em cima, Logo aos sete minutos Bruno Leite recebeu na área e chutou para boa defesa de Pavan. A Chape teve grandes chances aos 14'. Pato foi lançado na frente e parou para boa defesa de Bento. Na cobrança de escanteio, Luiz Giongo se antecipou e cabeceou para o arqueiro atleticano defender novamente. Aos 20' mais um chegada no Furacão. Lucas Halter lançou Christian do  campo de defesa, o lateral invadiu a área e chutou para grande defesa de Pavan. 

A Chape precisava do gol e com isto deu mais espaços e ficou mais nervosa. Aos 31' Demethryus ganhou bola de Luiz Giongo, invadiu a área e parou em boa defesa de Pavan. No último lance do jogo o camisa 10 lançou Paulo Bessani, que parou em grande defesa de Pavan, na sobra Demethryus teve a grande, mas chutou para fora, deixando o jogo se encerrar com o placar zerado. 

PRÓXIMAS PARTIDAS: Classificado, o Furacão vai encarar o Criciúma na semifinal, com datas a serem definidas, já sabendo que decide em Curitiba  classificação. Antes disto, o Rubro Negro encara o Operário na manhã do próximo sábado (03) pelo Paranaense. Já a Chape não tem mais competições oficiais marcadas para a categoria nesta temporada e foca seus trabalhos para a Copa São Paulo. 


ATLÉTICO: O Furacão veio a campo para tentar explorar sua velocidade pelas pontas. Esperando a Chape atacando mais, a estratégia era contra atacar, apostando Christian e Jaderson, que jogavam como laterais e revezavam quem subia nos ataques. No intervalo, Marcão viu que podia ter mais o domínio do jogo e transformou seu 4-3-3 em 3-4-3, passando Estefano para a defesa e, posteriormente, colocando Djalma na lateral e explorando Jaderson no ataque. O Rubro Negro foi superior na etapa final, mas não conseguiu fazer seu gol por erros na hora de definir, o que irritou muito o treinador.  


FIQUE DE OLHO – Bento: O destaque de hoje é um conjunto da obra. O goleiro atleticano vem chamando a atenção há algum tempo de quem acompanha as categorias de base e é uma fonte de segurança do time de Marcão. No embate do Pinhão foram pelo menos quatro boas intervenções que ajudaram o placar a ficar zerado, uma delas mostrando um tempo de recuperação fantástico, se levantando rápido após dar um rebote de cruzamento. 


CHAPECOENSE: A Chape veio para São José dos Pinhais tentando jogar mais em cima, atuando num 4-3--3 começando melhor o jogo e tendo as melhores chances. Mas o treinador Fabio Batista notou que o Atlético estava explorando muito as costas de sua equipe e passou a esperar mais o jogo, fechando os espaços do Furacão e jogando por uma bola. Com o final da partida, o Verdão teve que sair mais, dando mais espaços e sofrendo mais contra ataques. 


FIQUE DE OLHO – Cunha A Chape tinha sua inspiração ofensiva nos seus pontas, que tentavam fazer a transição até o ataque. Cunha atuou pelo lado direito e, especialmente na primeira etapa, foi uma boa fonte de criação para os catarinenses, fazendo jogadas de categoria e qualidade, mostrando talento, que pode ajudar e muito a Chapecoense no futuro. 


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


ATLÉTICO: 1- Bento; 2- Christian, 3- Lucas Halter, 4- Gabriel Fornari e 11- Jaderson; 5- Estefano, 6- Victor Altair, e 10 - Demethryus; 7- Vitinho (19 Matheus Rampon), 9- Bruno Leite (17- Paulo Bessani) e 8- Vinicius Mingotti (14- Djalma)Técnico: Marcão.

CHAPECOENSE:  1- Pavan; 2-  Caio, 3- Luis Giongo, 4- Gaúcho (14- Ramon) e 6- Padolin; 5- Ned (15- Conte), 8- Chico e 10- Pinhal (16- Esquilo); 7- Cunha, 9- Pato e 11- Paulinho. Técnico: Fabio Batista.

FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO 0 X 0 CHAPECOENSE XXXXXXXXXXXX

CARTÕES AMARELOS: Lucas Halter, Vitinho e Victor Altair (Atlético) Chico e Padolin (Chapecoense)
ARBITRAGEM: Leonardo Pereira Lima. 
ASSISTENTES: Heitor Alex Eurich (1) e Remy Neves Stephan Moro (2).
LOCAL: Estádio Municipal do Pinhão, São José dos Pinhais
drap
Tecnologia do Blogger.