PROPAGANDA

[SUB 17] De virada, Atlético vence Bahia e se classifica na Copa do Brasil

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
Na tarde desta quarta-feira (10) o Atlético recebeu o Bahia no Eco Estádio, em embate válido pela primeira fase da Copa do Brasil Sub 17. O Furacão venceu em Pituaçu por 3 a 2 e jogava por um empate para passar de fase. Apesar do Rubro Negro começar melhor, foi o Bahia que saiu na frente com Isaac. Só que o escrete atleticano conseguiu o empate com João Pedro e, no segundo, chegou ao placar de 3 a 1 com dois gols de Yuri. Agora o Atlético vai encarar o Corinthians nas oitavas de final. 

#SUB 17
Por Gabriel Sawaf

PRÉ-JOGO: O Atlético chegou em vantagem para o duelo no estádio mais ecológico do Brasil. O Rubro Negro venceu por 3 a 2 em Pituaçu e jogava pelo empate. Depois de atuar em terras nordestinas, o Furacão entrou em campo no sábado (06) e venceu o São Joseense por 7 a 0. Já o Tricolor de Aço, que precisava da vitória, venceu em seu estadual o Leôncio na sexta (05) por 4 a 0 e veio embalado para buscar a vaga.

O EMBATE – Em desvantagem no confronto, o Bahia começou o jogo indo para cima. Aos quatro minutos Daniel fez boa jogada pela direita e cruzou para Elly Ramos, que chutou para fora. Só que dai em diante só deu Atlético, que respondeu dois minutos depois, com Matheus Rampon fazendo boa jogada pela esquerda, finalizando firme e obrigado João Fernandes a fazer boa defesa. Na sobra, João Pedro chutou por cima. Aos nove, outra chance do Furacão, dessa vez com o zagueiro Welligton Rocha, que estava na área após cobrança de escanteio, pegou a sobra e obrigou João a fazer outra boa defesa.

O Atlético seguiu mais a frente e criando oportunidades, em jogadas bem trabalhadas. Aos 19' João Pedro e Khellven fizeram cobrança de escanteio ensaiada, o lateral cruzou na cabeça de Jajá, que testou firme para grande defesa de João Fernandes. No minuto seguinte, João Pagoto viu seu xará adiantado e mandou de longe, mas o arqueiro se recuperou e espalmou para fora. Aos 24' Léo saiu errado, Matheus Rampon recuperou, a bola sobrou para Jajá chutar e o goleiro tricolor espalmar de novo.

Mas a bola pune e a frase mais conhecida do futebol entrou em ação: "quem não faz, leva!". Aos 33', Isaac cobrou falta da entrada da área e bateu com perfeição, jogando na gaveta e abrindo o placar no Barigui. O gol deixou o Atlético nervoso e o time errou algumas jogadas bobas. Três minutos depois Elly Ramos fez boa jogada individual e só fez o gol porque Leonardo Linck saiu bem da meta. Só que no meio do nervosismo aparece quem sabe chamar a responsabilidade. Aos 40', João Pedro fez boa jogada individual na meia cancha e chutou de longe, acertando o ângulo, empatando o jogo para o Furacão.

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
A segunda etapa começou movimentada. No primeiro minuto Gabriel Guimarães fez boa jogada pela esquerda e, de fora da área, chutou para fora. No minuto seguinte foi a vez de Daniel fazer a mesma jogada e chutar para o mesmo endereço, só que do outro lado do campo. O Furacão quase chegou a virada aos 10'. Jajá fez boa jogada pela direita, tocou para Gabriel Morais, que devolveu para o ponta, que só não fez o gol porque Lucimário apareceu para afastar quase me cima da linha. 

As jogadas trabalhadas eram o destaque do escrete atleticano. Aos 18' João Pedro lançou na área, Jajá escorou de peito e Gabriel Morais chutou bonito para fora, quase marcando outro golaço. Assim como na primeira etapa, o Atlético abusou dos gols perdidos. Aos 22, após cobrança de escanteio, Yuri aproveitou a bagunça e chutou, para grande defesa de Leonardo, que tinha acabado de entrar no lugar de João Fernandes. Dois minutos depois foi a vez de Lucas Morais fazer pivô com Jajá e o ponta, dentro da área, chutar por cima da meta.

Mas desta vez a sorte estava com o Furacão. Aos 33' Yuri se antecipou no meio de campo, roubou a bola e lançou Jajá, que, ao tentar driblar o goleiro, foi derrubado e sofreu o pênalti. Na cobrança, o camisa 3 bateu e fez o gol da virada. Atrás no placar, o Bahia se lançou a frente para tentar virar o jogo e deu muito espaço para o Rubro Negro. Aos 39' Yuri recebeu de Matheus Rampon e chutou rasteiro de fora da área, acertando o cantinho, ampliando o placar e selando a classificação atleticana. 

PRÓXIMAS PARTIDAS: O Furacão fica no aguardo da definição da CBF quanto ao jogo contra o Corinthians, que deve acontecer na semana que vem, já que haverá folga do feriado no estadual. Já o Bahia foca apenas no estadual, o qual entra em campo na quarta que vem (17), contra o Redenção. 

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
ATLÉTICO: O Furacão de Rogério Correa se destacou por ser um time muito organizado. Montado num esquema que defendia em 4-3-3 e atacava em 2-4-3-1. O time do Atlético conseguia fechar bem na marcação, dando pouco espaço aos baianos, e atacando com a mesma intensidade. Como é característica dos planteis atleticanos, a aposta fica nas pontas, com Jajá e Gabriel Guimarães, só que a dupla contava com uma grande ajuda do meia João Pedro e do atacante Gabriel Morais, que foram essenciais para o grande volume ofensivo atleticano. 

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
FIQUE DE OLHO – Jaja: A aposta dos escretes atleticanos é sempre nas pontas, e Jaja é um dos motivos dela se manter. Veloz, o camisa 7 fez dois gols na vitória no jogo da ida e, no Eco Estádio, foi o jogador mais versátil do time atleticano, trabalhando muito bem pela direita, fazendo boas jogadas individuais, inclusive a que gerou o pênalti. Faltou um pouco pontaria, é verdade, mas o menino já merece nossa atenção. 

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
BAHIA: O Tricolor de Aço veio para tentar pressionar, pois precisava da vitória. Só que não conseguiu parar o Furacão que veio para o jogo. Com poucas alternativas, o Bahia só conseguiu assustar nas bolas paradas, onde conseguiu seu gol. Nos minutos finais, se lançou no desespero e deu muito espaço ao time da casa, que ampliou o marcador. 

Foto: Matheus Meneses/Agência DRAP
FIQUE DE OLHO – João Fernandes: O placar poderia ter sido maior a favor do Atlético, se não fosse a pontaria dos jogadores paranaenses e o arqueiro tricolor. João Fernandes fez pelo menos três intervenções mais difíceis que mantiveram o time vivo na maior parte do jogo. Infelizmente, o goleiro se lesionou e saiu no meio da segunda etapa. 

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO: 1- Leonardo; 2- Khellven, 3- Yuri, 4- Welligton Rocha e 6- Gustavo Braga; 5- João Pagoto (13- Luan Patrick), 8- Matheus Rampon e 10- João Pedro; 7- Jaja (15- Adsonnaldo) 9- Gabriel Morais (17- João Victor) e 11- Gabriel Guimarães (16- Guilherme Rink). Técnico: Rogério Correa.

BAHIA: 1- João Fernandes (12- Leonardo); 2- João Victor (16- Rodrigo Sabará), 3- Lucimário, 4- Vinicius e 6- Felipe; 5- Léo, 8- Josué (15- Thiago Rafael) e 10- Douglas (17- Eduardo) ; 7- Isaac (18- Lucas Costa), 9- Elly Ramos e 11- Daniel (14- Matheus Bispo). Técnico: Thiago Pereira.

FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO 3 X 1 BAHIA XXXXXXXXXXXX

GOLS: João Pedro, aos 40' do 1º T e Yuri, aos 34' e 39' do 2ºT (Atlético); Isaac, aos 33' do 1ºT (Bahia)
CARTÕES AMARELOS: João Pagoto (Atlético); Leonardo e Thiago Rafael (Bahia)
ARBITRAGEM: Eduardo Elias Melek.
ASSISTENTES: André Luiz Severo e Heitor Alex Eurich
LOCAL: Eco Estádio Janguito Malucelli, Curitiba.drap
Tecnologia do Blogger.