PROPAGANDA

Operário cede o empate ao Bragantino e chega ao terceiro jogo seguido sem vitória na Série C


Operário Ferroviário e Bragantino se enfrentaram na tarde deste domingo (5) no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa. O embate terminou empatado em 1 a 1 e foi válido pela décima sétima rodada da Série C do Campeonato Brasileiro da Série C. Com o resultado, o Fantasma chegou ao terceiro jogo consecutivo sem vencer pelo certame, mas retomou a liderança do grupo B. Já o escrete paulista se manteve na quarta colocação e aumentou para cinco pontos a diferença para o quinto colocado. 


#SÉRIEC
Por @egoytacazc

PRÉ-JOGO: O Operário recebeu o Bragantino na tarde deste domingo (5), pela 17ª rodada da série C do Campeonato Brasileiro, no Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR). Com a vaga no mata-mata já garantida, o Fantasma foi à campo em busca da vitória diante de sua torcida após empatar fora de casa na rodada passada com o Botafogo-SP, que ontem (4) venceu o Ypiranga e assumiu a liderança provisória do grupo B, empatado em pontos com o time de Ponta Grossa. O triunfo para o escrete mandante significa decidir em casa o confronto que vale o acesso à Série B na próxima fase. Contudo, o Alvinegro de Vila Oficinas entrou em campo com desfalques importantes como Alisson, suspenso após o terceiro cartão amarelo, além de Danilo Báia e Rodrigo, que se recuperam de lesão no departamento médico. A novidade foi a escalação do zagueiro Sosa, que formou dupla com Peixoto, com Yuri começando no banco.

Já o Bragantino foi à Ponta Grossa após três jogos sem vitória no certame, em busca de um resultado importante para garantir a classificação. O time de Bragança Paulista entrou em campo com seus 25 pontos e a quarto colocado na tábua de classificação do grupo B, estando quatro pontos na frente do Luverdense. Os desfalques da equipe paulista foram os zagueiros Guilherme Mattis e Lázaro, que estão suspensos.


PRIMEIRO TEMPO: A bola rolou e os dois times começaram o jogo marcando sobre forte pressão, com faltas para ambos os lados. Aos 3’, Cleyton recebeu em profundidade e arriscou de fora da área, mas Alex Alves segurou com tranquilidade. A primeira jogada de efeito do Bragantino veio aos 8’, quando o cruzamento de Vitinho foi interceptado por Sosa e Rafael Chorão pegou a sobra, arriscando com perigo por cima da meta. Os primeiros 10 minutos foram de muito equilíbrio, com chances para os dois lados e muitas entradas faltosas. Aos 17’, a torcida do Fantasma se agitou com a ligação direta de Simão para Lucas Batatinha no ataque, mas a bola escapou e saiu pela linha lateral. Em cobrança de falta aos 21’, Xuxa lançou a bola na entrada da pequena área, em mais uma jogada perigosa do time da casa. A equipe de Bragança Paulista tentou responder, mas a defesa adversária cessou os espaços. O Operário respondeu no lance seguinte com Cleyton, em cruzamento rasteiro com perigo, mas novamente foi interceptado pela zaga do Bragantino.

O primeiro gol do jogo saiu aos 26’, quando Lucas Batatinha lançou para Cleyton em profundidade, que cruzou na medida para Bruno Batata abrir o placar para o Operário Ferroviário. O gol deu confiança ao time, que apertou o ritmo em busca de aumentar a diferença. Em mais uma chegada perigosa do escrete ponta-grossense, aos 29’ Bruno Batata encontrou espaço na defesa adversária e lançou em velocidade para Lucas Batatinha, obrigando o goleiro Alex Alves a trabalhar mais uma vez. O primeiro tempo foi de chances mais concretas para o Operário do que para o Bragantino, que não obteve precisão na maioria das investidas ofensivas. Aos 38’, Peixoto foi advertido com cartão amarelo após falta e a equipe paulista teve uma boa chance em bola parada. Na cobrança, a zaga operariana interceptou a jogada. Para o Fantasma, as chances criadas no primeiro tempo foram mais precisas e perigosas, principalmente em jogadas de contra-ataque e bola parada.

Nos minutos finais do primeiro tempo, mais um cartão amarelo para o time do Bragantino, dessa vez para Rafael Chorão, aos 42’. As ações do Fantasma seguiram cadenciadas, explorando os espaços do time adversário, que pressionou em busca do empate, mas sem resultado. Após dois minutos de acréscimo, o árbitro apontou o centro do gramado, determinando o final do primeiro tempo. Operário Ferroviário 1 a 0 Bragantino.


SEGUNDO TEMPO: O Operário deu a saída, mas a posse de bola começou equilibrada nos primeiros minutos. Aos 5’ aconteceu a primeira oportunidade de efeito do segundo tempo, quando Simão lançou do campo de defesa a bola para Lucas Batatinha, que avançou pelo lado esquerdo, limpou a marcação e bateu por cima do gol do goleiro Alex Alves. No lance seguinte, Vitinho encontrou Marquinhos, que se infiltrou bem na zaga adversária e recebeu o passe em posição legal, mas desperdiçou a chance. Na sequência, o Fantasma ligou um contra-ataque rápido, que foi interceptado perto da grande área.

Aos 14’, o Bragantino encontrou o espaço que tanto buscou com Matheus Peixoto, que lançou para Vitinho, livre, que tirou do goleiro Simão e balançou as redes, empatando o jogo para a equipe paulista. Operário Ferroviário 1 a 1 Bragantino. Após o empate inesperado, o time ponta-grossense buscou cadenciar as jogadas a fim de desempatar o embate, porém a confiança do escrete paulista aumentou, encontrando mais espaços na zaga operariana. Aos 20’, Xuxa cobrou uma falta pelo lado direito, mas o cruzamento saiu fechado e fácil para a zaga adversária afastar. Passado da metade do segundo tempo, após o gol de empate, o Operário encontrou menos espaços no campo de ataque, enquanto o Bragantino seguiu pressionando em busca da virada. Todavia, quem chegou perto do desempate foi o Operário, aos 26’, após cruzamento de Léo na medida para Erick, que cabeceou em cima do goleiro Alex Alves, que defendeu firme.

Após os 30’, a pressão de ambos os lados aumentou com a proximidade do apito final. O Operário conseguiu chegar com perigo aos 34’, com Dione arriscando de fora, mas Alex Alves segurou firme. Na sequência aconteceu outro lance, de maior perigo, com Cleyton concluindo um contra-ataque e finalizando para o gol, mas sem muita precisão, o que possibilitou ao goleiro se recuperar na jogada e evitar o desempate. Nos minutos finais, o Fantasma aumentou a pressão em busca do gol. Após confusão na área, aos 42’, a bola sobrou para Dione, que carimbou a defesa adversária. Mas a resposta do Bragantino aconteceu e foi em jogada de contra-ataque e que gerou um escanteio. Na cobrança, Gustavo subiu e cabeceou para o gol, mas o árbitro apontou falta de ataque do time paulista. Os cinco minutos de acréscimos foram de muito nervosismo, mas aos 50’, o árbitro Dyorgenes José Padovani de Andrade apitou pela última vez, decretando o final da partida no Estádio Germano Kruger: Operário Ferroviário 1 a 1 Bragantino.


PRÓXIMA PARTIDA: Pela 18ª rodada, a última da fase de grupos, o Operário viaja ao Mato Grosso para enfrentar o Luverdense, no sábado (11), às 17h, no Estádio Municipal Passo das Emas, em Lucas do Rio Verde (MT). Já o Bragantino joga em casa contra o Cuiabá, no mesmo dia e horário, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP).

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

OPERÁRIO-PR: 1-Simão, 2-Léo, 3-Peixoto, 4-Sosa, 5-Erick, 6-Raphael Soares, 7-Lucas Batatinha (23-Dione), 8-Índio, 9-Bruno Batata (20-Schumacher), 10-Xuxa (18-Robinho), 11-Cleyton. Téc.: Gerson Gusmão.

BRAGANTINO: 1-Alex Alves, 2-Buiú, 3-Juliano, 4-Junior Goiano, 5-Adenilson, 6- Fabiano, 7-Magno, 8-Rafael Chorão, 9-Matheus Peixoto (19-Gustavo), 10-Vitinho (17-Fernandinho), 11-Marlon (20-Marquinhos). Téc.: Marcelo Veiga.

FICHA TÉCNICA – OPERÁRIO-PR 1 X 1 BRAGANTINO XXXXXXX

GOLS: Bruno Batata (OFEC); Vitinho (CAB).
CA: Peixoto, Bruno Batata, Simão, Raphael Soares (OFEC); Adenilson, Rafael Chorão, Juliano, Buiú (CAB).
ÁRBITRO: Dyorgenes José Padovani de Andrade (ES). 
ASSISTENTES: 1-Fabiano da Silva Ramires (ES); 2-Vanderson Antonio Zanotti (ES).
LOCAL: Estádio Germano Krüger, Ponta Grossa (PR).
PÚBLICO TOTAL/RENDA: 3.931 / R$ 54.430,00.
drap
Tecnologia do Blogger.