PROPAGANDA

Atlético empata com Internacional e permanece na zona de rebaixamento do Brasileirão


Na noite desta quinta-feira (19), volta do Brasileirão, o Furação recebeu o Inter para disputar a 13ª rodada do campeonato. O clube gaúcho parecia que conseguiria obter vantagem nos primeiros minutos do primeiro tempo, mas o Atlético levou o empate para o intervalo e voltou com gás para virar. E virou, mas deixou o Colorado igualar, e não garantiu os três pontos que seriam importantes dentro de casa. O jogo terminou em 2 a 2, e os torcedores ainda não sabem como será o time no comando de Tiago Nunes. 

#BR2018
Por @giuhellen_

PRÉ JOGO: Os times da Série A do Campeonato Brasileiro não jogaram nenhuma partida durante a Copa, mas nem por isso deixaram de treinar para assistir aos jogos da Seleção. Nem por isso, também, mudanças deixaram de acontecer. Foi o caso da troca de técnico do Atlético, quando Fernando Diniz foi demitido, Tiago Nunes, interino, assumiu o posto para comandar o time. Na vice lanterna e com apenas nove pontos, Nunes tinha como objetivo vencer essa partida para fugir da zona de rebaixamento, já que fora eliminado da Copa do Brasil na segunda-feira. O Internacional, por sua vez, buscava a vitória para se aproximar dos líderes, enquanto garantia sua 4ª colocação na tabela e a vaga para Libertadores.  

PRIMEIRO TEMPO: A torcida parecia animada para acompanhar a volta do time no Brasileirão. Para que pudessem vibrar ainda mais, com 1'40" de jogo, Bergson recebeu o passe de Lucho Gonzales e mandou para dentro do gol, porém, o bandeirinha marcou impedimento. Mas até aí tudo bem, já que os apoiadores do Furacão fora de campo viram a equipe tentar mais duas finalizações em menos de cinco minutos. 

O Internacional, pressionado, tentava chegar à área utilizando a força bruta, e causou diversas faltas por esse motivo, inclusive uma com princípio de confusão. Mas não foi só isso que o Colorado fez. Aos 12', a principal aposta do técnico Odair Hellmann apareceu e mostrou o porquê de ser tão bem cotado. O atacante completou o chute que veio dos pés de Nico López, e aproveitou que Santos saiu mal do gol, então só empurrou para o fundo da rede e abriu o placar no Estádio Joaquim Américo, em Curitiba. 

Desse minuto até os 28' do 1ºT, caro leitor, pouco vi do jogo (e aposto que os outras jornalistas também). Em maio, o Ministério Público do Estado do Paraná e o Atlético Paranaense concordaram que os jogos em que o Furacão fosse mandante seriam com torcida única - ou quase isso, já que os torcedores dos times adversários poderiam entrar no estádio, mas não deveriam demonstrar sua preferência. Na noite de hoje (19), cerca de 15 colorados decidiram se aventurar em meio à torcida rubro-negra, e  no momento em que o time gaúcho abriu o placar, eles não souberam comemorar timidamente. Foi o que bastou para que os atleticanos gritassem, xingassem, chamassem a polícia e a segurança para tirá-los de lá. E foi o que aconteceu. Com estádio em meia lotação. Com pouco mais da metade da 1ª etapa.

E aí o jornalismo - o esportivo, e que é bom de narrar - recomeçou. O jogo seguia morno e com várias jogadas erradas de ambos os lados. Chutões para fora, escorregões e passes sem destino algum começaram a deixar a torcida impaciente, mesmo que, em um momento ou outro, surgisse uma boa oportunidade. Foi o que aconteceu aos 36' em uma jogada ensaiada de Raphael Veiga e Bergson, que acertaram a troca de passes, mas Danilo estava esperto e salvou. O momento parece ter inspirado Raphael Veiga, já que sete minutos depois, o meia atacante meteu um belo chute de fora de área, e a bola entrou rasteira à direita do goleiro colorado que não teve o que fazer. O lance reanimou o time, que viu no empate a chance de virar.


SEGUNDO TEMPO: A volta dos vestiários com esse placar deixavam o Furacão em 18º e o Inter em 5º, o que representava uma melhora na colocação para os donos da casa. Apesar disso, uma vitória seria bem mais vantajoso, mas ainda assim, o primeiro chute a gol só foi dado aos 9', e nem demonstrou tanto perigo ao adversário. Diferentemente do lance posterior, aos 11, quando Nikão cruzou pela esquerda para Pablo, que mandou a bola muito perto do travessão. 

A virada do Atlético veio quando Raphael Veiga cobrou um escanteio na cabeça de Paulo André, com 13 minutos de jogo. A bola até bateu na trave, mas ainda assim entrou no canto direito do gol do Inter, que via a chance de se aproximar da liderança do Brasileiro escapar. Os gaúchos buscavam a recuperação não só por contra-ataques, mas também tentavam achar espaços no meio de campo para trabalhar a  bola. Oito minutos depois de tomarem o gol, foi a vez de tentar igualar o placar, quando Nico avançou pela direita e passou para Pottker, que mirou no ângulo da rede atleticana, mas Santos chegou antes para espalmar. 

O Atlético, que garantia a vitória até o momento, parou de atacar por uns intantes, no entanto, não contava com o fôlego extra dos adversários. Aos 32', mais uma vez a jogada começou nos pés de Nico López, passou por Rossi, e chegou aos pés de Wellington Silva, que chutou de pé direito e mandou no ângulo, sem chance do goleiro atleticano defender. Os donos da casa ainda tiveram algumas chances depois. Aos 40', a jogada era dentro da área quando Bergson recebeu livre para chutar, mas o atacante furou, e afastou da torcida a expectativa de vencer. Pablo também tentou deixar o dele, dois minutos depois, quando saiu do meio de dois zagueiros e cabeceou para o gol, mas também não teve sucesso. 

No fim da partida ainda teve confusão e muito cartão amarelo distribuído. Renan Lodi foi além e recebeu o vermelho nos minutos finais, deixando seu time com desvantagem também na contagem de jogadores. O jogo terminou empatado, e resta saber se a atuação atleticana foi suficiente para convencer a torcida e o treinador Tiago Nunes a ficar. 


PRÓXIMA RODADA: No domingo que vem, o Atlético irá a Minas Gerais enfrentar o Cruzeiro, enquanto o Internacional volta para casa e recebe o Ceará. 

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO-PR: 1 Santos; 2 Jonathan; 13 Paulo André; 44 Thiago Heleno (25 Wanderson); 12 Renan Lodi; 39 Bruno Guimarães; 3 Lucho Gonzales (Camacho); 7 Raphael Veiga; 11 Nikão (Bruno Nazário); 30 Bergson; 92 Pablo. Téc. Tiago Nunes
INTERNACIONAL: 1 Danilo Fernandes; 18 Fabiano (22 Rossi); 3 Danilo Silva; 15 Victor Cuesta; 28 Iago; 13 Rodrigo Dourado; 37 Zeca; 8 Edenilson; 7 Nico López; 99 William Pottker; 19 Lucca (11 Wellington Silva) (Camilo). Téc. Odair Hellmann

FICHA TÉCNICA ATLÉTICO 2 X 2 INTERNACIONAL XXXXXXXXXXX
ARBITRAGEM: Ricardo Marques Ribeiro.
ASSISTENTES: Guilherme Dias Camilo (1) e Sidmar dos Santos Meurer (2).
GOLS: Raphael Veiga aos 43' do 1ºT (Atlético); William Pottker aos 12' do 1ºT (Internacional).
CA: Jonathan, Paulo André, Raphael Veiga e Renan Lodi (Atlético); Nico López, Danilo Silva, Rodrigo Dourado, Lucca e Rossi (Internacional).
CV: Renan Lodi. 



drap
Tecnologia do Blogger.