PROPAGANDA

[ESPECIAL] A volta do clássico Fortaleza e Vila Sandra


O clássico da Região Oeste de Curitiba, Vila Sandra e Fortaleza, será realizado pela primeira vez na história na Série A da Suburbana em 2020. Em jogos oficiais, os dois rivais se enfrentaram apenas três vezes, todas em 2016 e com vitórias do escrete alvinegro. Desde então, as duas equipes passaram por momentos alternados de acesso e rebaixamento, o que impossibilitou a disputa do clássico. Neste ano, os dois clubes estão juntos novamente na mesma divisão e, se tudo der certo, agitarão seus respectivos bairros dentro de campo.

#AMADOR CURITIBA
Por Eduardo Werner

Vila Sandra e Jardim Gabineto, na Cidade Industrial de Curitiba, são as localidades, respectivamente, de União Vila Sandra Esporte Clube e Fortaleza Esporte Clube, duas tradicionais equipes do momento atual do futebol amador de Curitiba que possuem muita história, torcida e grande rivalidade entre si. Porém, em confrontos oficiais, os rivais se enfrentaram apenas três partidas, todas no ano de 2016. O primeiro embate aconteceu em junho daquele ano, quando o Vila Sandra venceu o rival no Estádio Ozório Claudino de Barros por 3 a 0, com gols de Zé Ricardo (2x) e Vinícius Corrêa, em confronto válido pela terceira rodada da primeira fase da Série B da Suburbana. 


Os rivais voltaram a se enfrentar em dezembro de 2016 pelas partidas da fase semifinal da mesma competição.  No jogo de ida, disputado no Jardim Gabineto, quem se deu bem foi o alvinegro, que venceu por 3 a 1. Roberto, meia do Fortaleza que estava em campo, lamenta a derrota até hoje, pela situação que foi o duelo. “Jogamos em nossa casa e com a expectativa alta. Perdíamos por 2 a 0 e tivemos a chance de empatar, mas eu perdi o pênalti. Até hoje penso que se converto a penalidade a história daquele jogo poderia ser diferente’’, analisa o meia Roberto.

Em relação ao lado alvinegro, um dos líderes daquele grupo, o zagueiro Vinícius, percebeu que o primeiro triunfo da fase semifinal foi essencial para coroar o ano e dar mais gás para o acesso. “No primeiro jogo das semifinais, que ganhamos por 3 a 1, nós percebemos que as coisas estavam dando certo para nós e que aquele ano de 2016 iria ser muito especial’’, diz Vinícius Correa, zagueiro que está até hoje no Vila Sandra.  


Para Vinícius, os confrontos contra o Fortaleza são diferentes de qualquer outro, pois são clubes e comunidades diferentes, times que têm uma massa muito apaixonada pela equipe, pela sua vila e pela sua região. No mesmo ritmo dos embates anteriores, a equipe do União Vila Sandra venceu o segundo confronto daquela semifinal novamente pelo placar de 3 a 1, mas dessa vez no Ozório Claudino de Barros. Resultado que concedeu ao alvinegro a vaga à final da competição, que na sequência o Vila Sandra bateu o Palmeirinha e além do acesso para a Série A, conseguiu levantar o seu primeiro título.

No ano seguinte, os dois rivais acabaram tendo finais opostos no término da temporada. O Vila Sandra acabou sendo rebaixado novamente à Série B da Suburbana, enquanto que o Fortaleza ficou com o vice da Série B, mas garantiu uma vaga na Série A do ano seguinte. Em 2018 a história voltou a se repetir com acesso e rebaixamento, fazendo com que os rivais passassem mais um ano sem se enfrentar. A história finalmente mudou em 2019, já que o Fortaleza garantiu o título da B e o acesso à elite do amador, enquanto que o Vila Sandra conseguiu se manter na Série A. Assim, se tudo der certo, teremos pelo menos um embate entre os rivais novamente nesse ano.


A expectativa para 2020 é a melhor possível, segundo o zagueiro Vinícius. “Apesar de tudo, o que está acontecendo por causa da pandemia, nós (jogadores) estamos nos preparando fisicamente e psicologicamente para a competição que vem aí e esse confronto já vem à cabeça’’, completa Vinícius. Já Roberto, meia do Fortaleza, elogia o rival, mas diz que tudo se revolve no campo. “Temos consciência de que hoje o nosso rival está alguns passos à nossa frente em questão de estrutura e de planejamento, mas também sabemos que nem sempre isso é um fator determinante para ganhar jogos, principalmente um clássico’’, finalizou o atleta do Fortaleza.

“Jogar no Fortaleza é especial para mim porque o gramado do nosso estádio é a extensão do quintal da minha casa’’, afirma Roberto. “Sem dúvida é muito gratificante estar presente nesses momentos especiais pelo qual o clube passa. Tivemos o acesso em 2017, no qual perdemos o título dentro de casa, e o descenso no ano seguinte. Com isso, entramos no ano de 2019 com o objetivo de novamente conseguirmos o acesso para apagar um pouco a mancha do ano anterior e graças a Deus tudo deu certo e fomos coroados com o título dentro de casa’’, completa o meia.


Vinícius também fala sobre sua história no Vila Sandra. “O alvinegro da Vila Sandra é um clube de comunidade, de vila. Então, com certeza é diferente defender a equipe do seu bairro. Estou indo para meu nono ano seguido no Vila Sandra, e com certeza isso dá motivação para continuarmos seguindo e tentar coisas maiores, já temos dois títulos da Série B e estamos sonhando com coisas grandes”, finaliza o zagueiro do alvinegro

Essas duas equipes possuem torcidas apaixonadas, que merecem demais que o confronto seja realizado mais uma vez esse ano. Se os deuses do futebol permitirem, o futebol amador voltará a rolar a bola em Curitiba no segundo semestre de 2020, agitando os gramados do Jardim Gabineto e da Vila Sandra, onde o esporte significa demais para todos aqueles que estão envolvidos.

APOIE O PROJETO DRAP - Queremos dar voz para o futebol marginalizado e mostrar a transformação que este esporte é capaz, em diversas atmosferas – amador, base e feminino. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse; - http://catarse.me/drap

No comments

Powered by Blogger.