PROPAGANDA

[AMADOR CWB] Caxias e Bangú são as equipes que mais vezes foram campeãs da Série B

Fortaleza, a última equipe campeã da Serie B da Suburbana
Em 2019 a Série B da Suburbana teve a sua 71ª edição do campeonato, que terminou com a conquista do Fortaleza sobre o Tanguá, no Estádio Antonio Monteiro Sobrinho. Título que fez o tricolor do Jardim Gabineto levantar pela segunda vez o caneco da competição e, também, ser uma das 15 equipes que já foram campeãs do certame mais de uma vez. Ao todo, de um pouco mais de sete décadas, o time do Caxias foi quem mais vezes conquistou a competição, com sete títulos. Confira todos os campeões da Série da B da Suburbana.

#FUTEBOL AMADOR
Por @rafaelbuiar

Diferente da Série A, que começou em 1941 com a Liga Suburbana de Curitiba (LSC), o certame da Divisão de Acesso no futebol amador de Curitiba teve a sua primeira edição em 1948. Naquela ocasião, o extinto Huracan São Vicente, situado no bairro Hugo Lange, foi campeão invicto e venceu o Grêmio Esportivo Vila Izabel na final. De lá para cá, outras 36 equipes foram campeãs da competição, mas 22 clubes não estão ativos no cenário atual do futebol amador de Curitba, pois alguns se licenciaram, tiveram fusão ou o próprio fim. Por outro lado, 19 equipes ainda existem, mas apenas oito poderão ter a oportunidade de levantar o caneco da Série B mais uma vez em 2020 - Bangú, Vila Fanny, Combate Barreirinha, Nacional, União Ahú, Urano, Ypiranga, Santíssima Trindade e Vila Hauer. Lembrando que em 1964 e 1993 a Série B não foi realizada, pois o certame foi unificado com a Série A - Com o Trieste e Vila Fanny sendo campeões, respectivamente. Confira o quadro completo dos campeões da Série B.


A equipe que mais vezes ficou com o vice-campeonato em 71 edições da Série B realizadas foi o União Ahú, em cinco oportunidades - 1959, 1968, 1977, 2006 e 2012. Na sequência, Vila Fanny com quatro vices - em 1970, 1972, 1980 e 2014; Uberlândia - 1976, 2011 e 2015; Bairro Alto - 1994, 1997 e 2010; Tanguá - 1995, 1996 e 2019; e Bangú - 1953, 1954 e 1965.

HALL DE VENCEDORES
A equipe do Caxias foi quem mais vezes venceu a competição, com sete conquistas. Destaque para a década de 1980, com quatro títulos. Ao todo, o time do Caxias foi campeão sete vezes. Hoje, a equipe rubro negra está licenciada. O último campeonato em que disputou foi em 2018. Na sequência, Bangú, com 5 conquistas. Destaque para o tetracampeonato do rubro-negro na década de 1950. A terceira equipe que mais vezes foi campeã é o Vila Fanny, que neste ano retornou para o certame, já que sofreu o descendo em 2019. Novo Mundo, Operário Pilarzinho, Olympique (extinto), Tanguá, Combate Barreirinha e Guaíra (extinto) foram campeões três vezes. Já Vila Sandra, Nacional, ABE Flamengo (licenciado), Ipê (extinto), Real (extinto) e Fortaleza venceram em duas oportunidades a competição.


Times consolidados atualmente na elite do futebol amador de Curitiba não conseguiram levantar o título da Série B, como Imperial e Santa Quitéria, que ficaram no quase em duas ocasiões. O Tricolor do Mossunguê bateu na trave duas vezes na mesma década, em 1990 e 1999. Já o Santa Quitéria ficou com o vice em 2005 e 2007. Enquanto que Trieste e Capão Raso, disputaram a Série B e nunca levaram o caneco à sua galeria, sequer foram finalistas da competição. Por outro lado, Novo Mundo, Operário Pilarzinho, Tanguá, Vila Sandra, Fortaleza, que irão disputar a Série A da Suburbana em 2020, já foram campeões da Série B. Destaque para Operário Pilarzinho e Novo Mundo, que levantaram três vezes o troféu da competição.

Das 31 equipes que estão ativas no cenário do futebol amador da capital paranaense, Bangú é o time que mais vezes disputou a Série B, com 47 participações, seguido de Novo Mundo, com 39; União Ahú, com 34; Sergipe, com 29; e Uberlândia e Tanguá, com 26 participações. Por outro lado, Capão Raso (9), Nova Orleans (9), Iguaçu (8), Olímpico (7) Urano (6), Vila Sandra (6), Palmeirinha (5), Fortaleza (5), Shabureya (4), Trieste (4), Desportivo Paranaense (2), Vila Torres (2) e Santa Quitéria (2) foram as equipes que participaram menos de 10 vezes na Série B da Suburbana.

Em muitos anos a Série C foi realizada com o propósito de ajustar/diminuir a quantidade de clubes na Série A, consequentemente a Série B também foi influenciada neste corte. Por isso, aconteceram alguns conflitos e descenso automático de algumas equipes. Um grande exemplo que gerou dúvida em relação à este fato foi o título do Fortaleza em 1996 na Série B e nos anos seguintes serem da Série C. Naquele ano, a elite do futebol amador de Curitiba teve 21 clubes e a Série B apenas 11 escretes. Já em 1997 a Série A da Suburbana passou a ter 10 equipes, enquanto que a Série B ficou com 10 e 14  times ficaram na Série C. Porém, não sabemos ainda qual foi o critério para definir os descensos dos clubes, em especial do Fortaleza. Somente a partir de 2004, o molde atual - de 12 equipes; passou a ser realizado e a "Série C" foi extinta em 2001.

As nomenclaturas dos certames ajudam a confundir o cenário. Neste caso, a elite da Suburbana era denominada em Divisão Especial, mas também foi denominada de Módulo Verde, em alguns anos. Já a Série B foi chamada de Módulo Amarelo e 1ª Divisão quando a Série A era chamada de Divisão Especial. Já a Série C que foi realizada em menor quantidade em relação as divisões acima, foi denominada em 2ª divisão. Mas isto é assunto para a próxima pauta.

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

1 comment:

  1. Equipe Do Rico ao Pobre tenho o escudo do Fazendinha e do Rancho Alegre

    ReplyDelete

Powered by Blogger.