PROPAGANDA

Coxa na Série A! Relembre como foi a caminhada até o acesso


Depois de dois anos, o Coritiba voltou à Série A. O ponto forte do ano foi a torcida, dona dos 10 maiores públicos do campeonato, que embalou o time do início ao fim e também protestou quando foi necessário. Jogadores como Rafinha, com forte ligação no clube, foram reforços importantes na campanha. Além disso, a chegada de Jorginho também foi destaque na reta final do campeonato. Veja uma retrospectiva do 2019 do Coxa feita pelo DRAP!


#FUTEBOL PARANAENSE
Por @LucasRaveel

O Coritiba conquistou, no último sábado (30) o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro após vencer o Vitória por 2 a 1 e ficar com na 3ª colocação da Série B. Até garantir a subida, o Coxa passou por muitos altos e baixos. A pressão foi enorme e o acesso era obrigação, segundo a torcida. O ano alviverde começou com a disputa do Campeonato Paranaense. O clube foi eliminado nas finais do 1º e 2º turno por Toledo e Athletico, respectivamente. A Copa do Brasil também foi para esquecer: caiu na 1ª fase para o URT.

Antes do primeiro jogo da Série B, o Coritiba teve um duro baque: a morte de seu maior ídolo, Dirceu Krüger. Em homenagem ao Flecha Loira, 31 mil pessoas viram a estreia contra a Ponte Preta terminar em 2 a 0 para os alviverdes. Após isso, o Coritiba ficou três partidas sem vencer. Porém, a torcida foi presente e manteve - até o fim da competição - a melhor média de público. Ao fim da 4ª rodada, o clube estava em 11°, sua pior posição na tabela durante o certame.

Na 5ª rodada, um reforço importante: Rafinha. O jogador de 36 anos retornou ao lugar onde havia jogado de 2010 a 2013 e foi peça importante no acesso. O ponta Robson também foi outro reforço que teve impacto direto no desempenho do time. Da 10ª até a 19ª rodada, o Verdão não soube o que é perder. Engatou 10 jogos de invencibilidade e isso levou o time para a 2ª posição. Mas como nem tudo são flores, o Coxa ficou os próximos quatro jogos sem vencer, e isso resultou na demissão do técnico Umberto Louzer, que estava no comando desde o 2º turno do estadual.


Jorginho chegou e a equipe ficou mais consistente, principalmente no sistema defensivo. Ele assumiu como treinador na 8ª colocação e já venceu o confronto direto contra o América-MG, na 25ª rodada, mas perdeu o clássico para o Paraná na sequência. A derrota no Paratiba, há dois meses, foi a última do Coritiba no ano. Após ela, a equipe emendou 13 jogos sem perder, que culminaram no acesso no último sábado do mês de novembro.

As contratações de última hora, como as de Nathan e Serginho, ajudaram o clube a manter a consistência. Com o zagueiro em campo, a equipe levou apenas dois gols em 7 partidas. O artilheiro do time na Série B foi Rodrigão, com 13 gols. Ele foi parte importante no acesso, decidindo algumas partidas no 1º turno, mas foi afastado do elenco na penúltima rodada após não aceitar ser reserva, o que manchou sua passagem pelo Alto da Glória.

O Coritiba voltou à Série A, que é o seu lugar, por sua grandeza, tradição e torcida. Porém, o nível no ano que vem é mais alto e precisa ter um planejamento melhor; não pode depender de contratações de última hora, por exemplo, para apresentar um desempenho melhor. A torcida, sempre apaixonada e atuante, será ser um ponto forte. Na Série B deste ano, o Coxa teve os 10 maiores públicos. Os ingressos a preços populares precisam ser mantidos, para não afastar quem esteve lá nos bons e maus momentos.

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap


No comments

Powered by Blogger.