PROPAGANDA

[COPA DO BRASIL] É final! A prévia de Athletico x Internacional


Nesta quarta-feira, 11 de setembro, a partir das 21h30, começa mais um capítulo importantíssimo na história recente do Clube Athletico Paranaense. Finalista da Copa do Brasil, o rubro-negro recebe o Sport Club Internacional para a primeira partida da decisão nacional, e o site Do Rico ao Pobre preparou um material pré-jogo especial, com análise tática, histórico, personagens e outros detalhes para você ficar bem informado antes do apito inicial.

#ESPECIAL
Por Yuri Casari

A Arena da Baixada promete ter mais uma noite de caldeirão nesta quarta-feira. Athletico e Internacional iniciam o duelo de 180 minutos pelo título da Copa do Brasil, a segunda mais importante competição do calendário nacional. Para que você possa estar bem informado antes de torcer, preparamos um pré-jogo especial deste duelo histórico.

CONFRONTO DE ESTILOS
Mais do que um duelo de duas equipes, o que será visto em campo será um confronto de estilos. O Athletico comandado por Tiago Nunes gosta da posse de bola e da troca de passes curtos. Apesar disso, não é um time que tenha nos passes horizontais dentro de seu próprio campo uma arma primária. O Athletico é agressivo e busca ter presença no campo adversário. Tiago Nunes tem utilizado o 4141, mas em outras oportunidades utilizou o 4231: em momentos positivos, como na eliminação do Flamengo na Copa do Brasil, e em momentos negativos, como na eliminação na Libertadores da América, diante do Boca Juniors. O Furacão costuma povoar e, consequentemente, ganhar o meio de campo dos adversários, como aconteceu contra o Grêmio, no segundo jogo da semifinal.

Já o Internacional, liderado por Odair Hellmann, não tem prioridade em ter a bola. O foco está em garantir a solidez defensiva. A partir do controle dos espaços de defesa é que o Inter ataca. Alterna entre o 433 quando está atacando e o 4141 na hora de marcar. Possui rápida transição ofensiva. Outra característica interessante é o constante uso de lançamentos longos, especialmente quando eles saem dos pés do zagueiro argentino Cuesta. Costuma ser um time muito perigoso em fases de pouca concentração do jogo, como nos primeiros quinze minutos ou nos cinco minutos finais de cada tempo.

Caso não haja surpresas, a manutenção das formações recentes deve ser feita por ambos os treinadores. O Athletico deve jogar com Santos, Khellven, Robson Bambu, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães, Léo Cittadini, Nikão e Rony; Marco Ruben. O Inter, por sua vez, deve entrar com Marcelo Lomba, Bruno, Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Lindoso, Edenílson e Patrick; D'Alessandro, Nico López e Guerrero.

DADOS HISTÓRICOS E FATOR CASA
Segundo o site de estatísticas ogol, Athletico e Internacional se enfrentaram em 57 oportunidades. O histórico é equilibrado. Foram 18 vitórias do rubro-negro, 21 do colorado e 18 empates.

Tanto Athletico quanto Internacional possuem um desempenho dentro de casa acima da média. O Furacão em 2019, com exceção do Paranaense, teve 12 vitórias em 16 partidas na Arena da Baixada. O time gaúcho, também excetuando a competição estadual, fez 18 partidas no Beira-Rio e conquistou 14 vitórias e 4 empates, não sofrendo derrotas em partidas oficiais na temporada.

OS DONOS DA BOLA
O futebol se decide no meio de campo. A dinâmica do vai-e-vem do ataque e defesa é ditado por quem se concentra no centro do jogo. Há uns tempos atrás, esse era o papel do camisa dez clássico, sem tanto apreço pela parte defensiva. Atualmente, não é raro ouvir o termo “todocampista”, que nada mais é do que um jogador da faixa central que assume funções defensivas e de organização de jogo e que parece estar em todos os lugares do campo. Traduzindo do tatiquês: o famoso “motorzinho”. Essa peça é tão responsável pelo combate homem a homem quanto o primeiro volante e precisa ser tão talentoso quanto o meia-atacante com a bola nos pés.

Mesmo há uma década, esse tipo de jogador já fazia sucesso, e há precedente na história de ambos os finalistas: Kléberson, no Furacão de 2001 e Tinga, no Internacional de 2006. Nos elencos atuais, os donos do meio de campo e, provavelmente, melhores jogadores de suas respectivas equipes na temporada são Bruno Guimarães (CAP) e Edenilson (SCI). Além das características anteriormente descritas, os dois atletas também chegam de forma perigosa ao ataque, como elemento surpresa.

O primeiro é promessa de World Class. Organiza o jogo de trás do meio de campo, é preciso nos passes e não se intimida na hora de “pifar” o companheiro, sendo um dos principais assistentes do Athletico. Possui 4 gols na temporada. Já o segundo, é o ponto de equilíbrio do Inter, sendo combativo na ajuda a Rodrigo Lindoso e dando fluidez aos demais meias através de passes curtos e precisos (Patrick e D’Ale). Tem 7 gols em 2019. Ambos caem mais pela esquerda e possuem alto índice de passes certos.

COADJUVANTES DE LUXO
Com protagonistas menos badalados, Athletico e Inter possuem outros atores que concorreriam facilmente ao título de “melhor coadjuvante”. A começar pelo atacantes gringos. Enquanto o Athletico tem o argentino Marco Ruben (27 jogos oficiais e 10 gols), o Internacional tem o peruano Paolo Guerrero (23 jogos oficiais e 13 gols).

Outros nomes de destaque do onze inicial athleticano são o ponta-esquerda Rony, o zagueiro Léo Pereira e o goleiro Santos, enquanto no colorado se destacam também o experiente meia D’Alessandro, o volante Rodrigo Lindoso e o zagueiro Víctor Cuesta.

ARBITRAGEM
A arbitragem é uma personagem central de todo grande jogo. E para esta decisão, a partida terá o comando do paulista Raphael Claus, que tem sido um dos principais homens do apito do futebol brasileiro. Detentor do distintivo FIFA desde outubro de 2014, Raphael Claus foi eleito o melhor árbitro do Campeonato Brasileiro de 2018 pela CBF e esteve como árbitro de vídeo na final da Libertadores de 2018, entre River Plate e Boca Juniors, disputada na Espanha. O jogo mais recente de Raphael foi no último sábado, 7, no jogo que definiu o acesso do Confiança para a Série B do Brasileirão. Na ocasião, o time sergipano empatou em 1 a 1 com o Ypiranga, em Erechim-RS.

O árbitro principal será assistido pelos bandeirinhas Rodrigo Figueiredo Henrique Corrêa (RJ) e Neuza Ines Back (SP). O carioca esteve envolvido na mais recente polêmica de arbitragem do Brasileirão, sendo um dos integrantes do trio que apitou o empate em 1 a 1 entre Santos e Athletico, no último domingo, 8. Já Neuza é uma das principais mulheres do corpo de arbitragem brasileiro. Seu principal feito recente foi ser uma das assistentes que representou o país na Copa do Mundo de Futebol Feminino, disputada na França, entre junho e julho de 2019. No VAR, estará Luiz Flavio de Oliveira.

ONDE TRANSMITE?
A expectativa, claro, é de casa cheia na Arena da Baixada. Mas nem todos os athleticanos podem estar presentes nesta histórica decisão. O torcedor rubro-negro poderá acompanhar a partida ao vivo pela TV aberta, pela Globo/RPC e na TV fechada pela SporTV. Na internet, acompanhe o Twitter do DRAP (@doricoaopobre), que terá uma cobertura exclusiva e ao vivo da partida a partir das 21 horas. Antes, o DRAP estará acompanhando o clima e a chegada das equipes nas redondezas do estádio do Athletico.  

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extra e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.