PROPAGANDA

[TAÇA PR] Iguaçu fica no empate com o Trieste e conquista o Bicampeonato da Taça Paraná


Na tarde deste sábado (6), Iguaçu e Trieste duelaram no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, em Curitiba. A partida foi válida pela volta da final da Taça Paraná de 2019. As duas equipes fizeram uma partida dura e pegada. O resultado final ficou em 1 a 1, com gols de Nilvano para o Galo e Maranhão para o Trieste. Com este resultado, a equipe Alvinegra conquista o Bicampeonato da Taça Paraná, o terceiro na sua história.

#TAÇA PR 2019

PRÉ-JOGO: Na primeira partida quem levou a melhor foi o Iguaçu. O Galo inovou em campo arriscando um novo esquema e garantiu a vantagem de 2 a 0, com gols de Diego e Nilvano, para a volta dentro de casa. O Trieste que pecou nas finalizações e não conseguiu se encontrar, entrou com em campo com a difícil missão de virar para cima do rival se quiser levar o título. O Iguaçu é o atual campeão e busca validar novamente o título, que seria o terceiro na sua história. Já o Trieste, que detém dez títulos da competição, tenta usar da sua experiência para conquistar mais um.

O EMBATE: Com um início de igualdade, as equipes buscaram abrir espaços para chegar ao ataque. O Iguaçu um pouco mais fechado quis o contra-ataque, enquanto o Trieste usou das laterais com Marcelo Soares e Feijão para criar chances de gol. O Galo que conseguiu boas oportunidades na bola parada, não as utilizou com sabedoria. Em pelo menos três chances mandou na barreira ou para fora. Já o Trieste foi melhor quando chegou com Marcelo Soares na lateral-esquerda. O camisa dezoito buscou sempre com Feijão e William na área. Aos poucos os espaços foram aparecendo em campo.

O Iguaçu teve boa chance com Roney em falta que mandou por cima do gol. Como a marcação foi bem feita as jogadas ficaram presas. Por isso, o Trieste teve a sua melhor oportunidade aos 11', com Marcelo Soares. Ele avançou pela lateral e inverteu para Feijão que terminou servindo Willian Kozlowski. Na finalização, o camisa nove acabou bloqueado pela zaga do Iguaçu. Com várias faltas duras, o clima passou a esquentar na partida e gerar discussões. A principal delas aconteceu com Marcelo Soares que não gostou da marcação de uma falta e acabou discutindo com o banco do Iguaçu. Os ânimos tiveram que ser acalmados. Nesse mesmo lance, Roney foi substituído depois de sentir. Em seu lugar entrou Felipe Caron.

O tempo passou e as equipes trabalharam e tocaram a bola, mas gol mesmo só aconteceu aos 32' e foi do Iguaçu. O jogador do Triste errou o bote e deixou a bola passar. Lance que gerou o iniciou de um contra-ataque do rival que acabou na cabeça de Nilvano. O meia subiu no terceiro andar e abriu o placar para os donos da casa. Não deu outra, o Trieste que já não tinha vida fácil, acabou complicando de vez suas chances. Nos minutos finais, os times até criaram outras oportunidades, mas nada que alterasse o placar do primeiro tempo que ficou em 1 a 0 para o Iguaçu.


Na volta do intervalo, o Iguaçu começou indo para cima, buscava o segundo gol. Entretanto, quem achou espaço e fez o de empate foi o Trieste. O time encontrou uma brecha no ataque, a bola chegou em Maranhão que sem pensar duas vezes mandou de bico para o fundo das redes. A partir disso, a partida continuou correndo. Dessa vez, o Tricolor da Colônia teve mais domínio. Mas, o Iguaçu foi quem cadenciou a partida, como o jogo estava ao seu favor segurouo máximo que pode.

O Trieste parou na marcação, pois não teve boas chegadas que finalizasse com qualidade. A partida nesse momento ficou travada, com a bola ficando mais na intermediária. O recurso mais utilizado passou a ser os lançamentos na área, já que o jogo não fluiu nesse momento. Aos 44', um lance curioso, o juiz assinalou pênalti para o Trieste, mas voltou atrás depois do bandeira assinalar impedimento. Depois de alguns momentos nervosos, o jogo se desenhou para conclusão. 

No final, uma briga generalizada entre torcedores e com invasão de campo. O juiz encerrou a partida e terminou dando cartão para alguns jogadores. Com o resultado em 1 a 1, o Iguaçu conquistou o Bicampeonato da Taça Paraná, o terceiro título da sua história.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

IGUAÇU: 1 Rodrigo (12 João Carlos); 2 Passarinho (13 Neto), 3 Emerson, 4 Aderaldo e 6 Tilly; 5 Douglão, 8 Nilvano, 10 Baroni (17 Bianchini) e 11 Roney (18 Felipe Caron); 7 Magu e 9 Diego (16 Alex Pinhais). Tec. Luisinho Netto

TRIESTE: 1 Juninho; 2 Marquinhos Lima (16 Repolho), 3 Jair, 4 Muriel (14 Brunão) e 6 Lino (Biro); 5 Grilo, 8 Feijão (17 Marcelo Andrade), 10 Hideo e 7 Gilton (19 Maranhão); 18 Marcelo Soares (11 Pequi) e 9 Willian Kozlowski. Tec. Ivo Petry.

FICHA TÉCNICA – IGUAÇU 1X1 TRIESTE XXXXXXXXXX

GOLS:  Nilvano aos 32' do 1º tempo (Iguaçu) Maranhão aos 6' do 2° tempo (Trieste).
CA:  Diego, Emerson, Douglão (Iguaçu) e Marquinho Lima, Aderaldo, Muriel, Biro (Trieste).
ÁRBITRO: Rodolpho Toski Marques.
ASSISTENTES: Alessandro Antonio Gonçalves (1) e Alexsandro Euzébio da Silva (2).
LOCAL: Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, em Curitiba.

REPORTAGEM DRAP XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX



APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdos extras e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.