PROPAGANDA

[LIBERTADORES] Boca Jrs marca no fim do jogo e vence o Athletico pelo placar mínimo


Na noite desta quarta-feira (24), Athletico e Boca Juniors jogaram no Estádio Joaquim Américo Guimarães, em Curitiba, em embate válido pela partida de ida da fase de oitavas de final da Copa Libertadores da América de 2019. Em jogo pegado/truncado nos 90’, a equipe argentina conseguiu sair com a vantagem para o segundo jogo ao vencer o escrete rubro-negro pelo placar de 1 a 0. O furacão ainda teve a oportunidade de empatar o confronto aos 49’ do segundo tempo, mas o camisa 9, Marco Ruben, desperdiçou a penalidade. Agora o time do Athletico precisa de vitória por dois gols de diferença ou uma vitória simples marcando pelo menos dois gols na Bombonera para avançar. Vitória rubro-negra por 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.

#LIBERTADORES 2019
Por @rafaelbuiar

PRÉ-JOGO: No primeiro duelo da fase de oitavas de final, as duas equipes entraram em campos modificadas para o embate em relação as duas partidas da primeira fase. No lado rubro-negro, Lucas Halter (lesão) e Wellington (suspenso) dão lugar para Pedro Henrique, que faz a sua estreia na Libertadores e Lucho retorna. O time do Boca Jrs. com mudanças terá o sistema defensivo diferente em relação as partidas anteriores.  Lisandro Lopes (lesionado) e Carlos Izquierdos (suspenso), além da ausência do atacante Benedetto que foi vendido para o Olympique de Marselha. Nos respectivos lugares entraram Goltz e Junior Alonso. Duelo que também promete forte emoções, já que na última partida da primeira fase na Argentina, o escrete brasileiro perdeu o duelo e também a liderança para o próprio Boca Juniors. Quis o destino que as duas equipes resolvessem novamente em um choque de mata-mata.

O EMBATE: O duelo iniciou com o time do Boca Jrs buscando o ataque. Em menos de 1’, a equipe argentina já teve duas faltas marcadas ao seu favor. Dentre elas, o volante Bruno Guimarães levou o cartão amarelo. Não deu outra, aos 3’, o time do argentino assustou o goleiro Santos no arremate mascado e quase encobriu o goleiro rubro-negro. Na sequência, a resposta do time da casa aos 4’, em ótima trama de Nikão com Rony, que terminou com um chute cruzado do camisa 7 do Athletico, que Andrada segurou em dois tempos. O lance motivou a equipe da casa, que aos 6’ chegou em cobrança de falta. Mas Nikão não aproveitou a oportunidade.

Aos 10’, a equipe do Boca quase conseguiu abrir o placar na Arena da Baixada. Abila arrancou no meio de campo e ficou de frente com o goleiro Santos, mas desperdiçou a oportunidade com um chute fraco, que por sinal Santos teve mérito na saída e dificultou o arremate, fechando o ângulo. Minutos depois, novamente o Athletico chegou em jogada pelo flanco direito, que iniciou com volante Lucho e terminou com um arremate de Rony, passando próximo a trave esquerda de Andrada. O primeiro terço do jogo foi movimentado, com ambas equipes buscando o gol. Mas o escrete argentino teve mais posse de bola ao comparar com o Athletico, com 20’ de jogo jogados. Porém, os lances com mais perigos foram do time rubro-negro.

Próximo da metade do primeiro tempo, Nikão saiu da marcação argentina e passou em profundidade pelo meio para Bruno Guimarães, que carregou pela avenida disponível e ao chegar próximo da grande área arrematou e quase surpreendeu o goleiro Andrada. Aos 30’, em roubada de bola da equipe argentina no sistema defensivo rubro-negro, Abila recebeu na entrada da área, que ficou de frente com Santos, mas o arremate demorou e o arqueiro atleticano venceu o duelo novamente.


Depois dos 30’, o time do Athletico passou a ficar mais nervoso e com isso erros na saída de bola aconteceram. Devido a isso, o time do Boca Jrs, passou a frequentar mais o campo de ataque e, consequentemente, mais posse de bola. Ou seja, o time da casa conseguiu fazer algumas ligações rápidas pelo meio e mais uma vez conseguiu arrematar de longa distância com Nikão. Desta vez, o destino se repetiu e passou perto da meta de Andrada. Sendo essa, a última oportunidade clara de gol na etapa inicial, que teve dois minutos de acréscimos.

No retorno à etapa complementar, as duas equipes entraram em campo com os mesmos jogadores que terminaram o primeiro tempo. Porém, a equipe da casa mudou a forma de jogar. Passou a ter mais volume de jogo e, com isso, criando principalmente jogadas pelo flanco direito, com Jonathan e Marcelo. Passados 15’, o clima esquentou no jogo e faltas duras aconteceram para ambas as equipes. Dentre as faltas, o árbitro uruguaio deu cartão amarelo para Ábila e Marcone.

Devido a isso, o time da casa persistiu com o maior volume de jogo e aos 18’, com cruzamento de Jonathan da direita, que com o peito do pé levantou para área e Marco Ruben subiu mais alto que os zagueiros do Boca e quase venceu Andrada. O lance inflamou a torcida rubro-negra que aumentou o tom da voz. Minutos depois, em ótima jogada de Rony, que recebeu de Bruno Nazário e na sequência deixou com Bruno Guimarães para arrematar de longa distância. O chute do camisa 16 rubro-negro colocou no canto esquerdo. Mesmo assim, Andrada foi buscar e afastou o perigo para escanteio.


Aos 37’, a equipe argentina encontrou uma oportunidade e no primeiro arremate no segundo tempo conseguiu vencer o goleiro Santos. O estreante da noite Macallister acertou um belo chute, que teve desvio do sistema defensivo rubro-negro e acabou morrendo no fundo da rede. Depois do gol, o time do Athletico não conseguiu responder, mas aos 47’ o árbitro assinalou pênalti, com auxílio do VAR. O lance foi um choque de Rony com o arqueiro Andrada, que levou o cartão amarelo. Na cobrança, Marco Ruben desperdiçou a oportunidade colocando a bola na trave. Sendo essa, a grande e última chance de empatar a partida.

PRÓXIMA PARTIDA: A equipe do Boca Juniors irá jogar no próximo domingo (28) na estreia do Campeonato Argentino com o Huracán e na quarta-feira (31) o jogo da volta da fase de oitavas de final da Libertadores de 2019, ambos serão no Bombonera, Buenos Aires. Já o time do Athletico, no próximo domingo irá desafiar pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A o Cruzeiro, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATHLETICO: 1 Santos 2 Jonathan, 27 Pedro Henrique, 22 Léo Pereira e 6 Márcio Azevedo; 3 Lucho Gonzales, 16 Bruno Guimarães e 11 Nikão (30 Bruno Nazário); 10 Marcelo (19 Vitinho), 7 Rony e 9 Marco Ruben. Tec. Tiago Nunes

BOCA JRs: 1 Andrada; 29 Marcelo Weigandt, 2 Paolo Goltz, 6 Junior Alonso e 3 Más; 15 Nández, 23 Marcone, 14 Nicolás Capaldo e 8 Allister (30 Reinoso); 19 Zárate (10 Tevez) e 17 Abila (25 Hurtado). Tec. Gustavo Alfaro

FICHA TÉCNICA – ATHLETICO X BOCA JRS XXXXXXXXXXXXX

GOLS: Mac Alister aos 37’ do 2º tempo (Boca Jrs.)
CA: Bruno Guimarães, Lucho e Tomás Andrade (Athletico) | Paolo Goltz, Capaldo, Ábila, Marcone, Andrada (Boca Jrs.)
ÁRBITRO: Daniel Fedorczuk (Uruguai)
ASSISTENTES: Nicolas Taran (Uruguai) e Miguel A. Nievas (Uruguai)
LOCAL: Estádio Monte Bérico, Curitiba

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdo extras e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap

2 comentários:

  1. Depois do gol, o time do Athletico não conseguiu responder, mas aos 47’ o árbitro assinalou pênalti, com auxílio do VAR. O lance foi um choque de Rony com o arqueiro Andrada, que levou o cartão amarelo. Na cobrança, Marco Ruben desperdiçou a oportunidade colocando a bola na trave. Sendo essa, a grande e última chance de empatar a partida.
    Read more at nha cai

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.