PROPAGANDA

Tripa, o destaque do confronto entre São Braz e Bangú


No último sábado (4), São Braz e Bangú jogaram no Estádio Monte Bérico, em Curitiba, para o confronto válido pela primeira rodada da Copa de Futebol Amador da Capital. O atual bicampeão, Bangú, entrou pressionando nos primeiros minutos, mas aos poucos os donos da casa conseguiram se impor e por pouco não saíram com o triunfo na primeira rodada. Destaque para atuação do camisa 9 do tricolor do São Braz, que participou de quase todas jogadas de ataques. Confira a vigésima quinta figurinha do álbum DRAP de 2019 e a primeira da Copinha.


#FIGURINHA DO JOGO
Por @rafaelbuiar

Diferente do ano passado, a Copinha iniciou no mês de maio, o que proporcionou um tempo maior de preparação para os escretes que participam do certame na temporada de 2019. Devido a isso, algumas caras novas foram apresentadas, e não foi diferente no duelo no Monte Bérico, entre São Braz e Bangú. Dentre elas, o time do São Braz teve um destaque, o camisa 9.

Tripa é pouco conhecido no cenário do futebol amador. Por isso, a dupla de zaga do escrete rubro-negro teve trabalho para marcar o camisa 9 do São Braz. De estatura alta e magro, Tripa surpreendeu com a sua velocidade, movimentação e técnica. Por outro lado, a preocupação do sistema defensivo ficou destacada no atacante Luizinho, que estreou com a camisa do São Braz nesta temporada.

Na primeira etapa, a sintonia entre o meio de campo e o ataque do São Braz foi positiva. Casteli e Tripa realizaram algumas ações ofensivas que deram trabalho ao goleiro Ricardo. Dentre elas, destacamos duas. A primeira foi em jogada de contra-ataque iniciada pelo camisa 7 do São Braz, Casteli, que deixou Tripa em boa condição para a finalização. Mas o arqueiro rubro-negro se antecipou e evitou o primeiro tento da partida. A segunda jogada de ataque de perigo foi iniciada com Tripa, em contra-ataque, que teve a trama com Casteli, que devolveu para o camisa 9 do São Braz. Mas, novamente Ricardo conseguiu vencer o duelo.

Minutos depois, a parceria de Tripa foi trocada. Agora com o camisa 10, Davi. O meio campista armador recebeu do capitão do São Braz, Casteli, e cruzou na medida para Tripa, que deu uma cabeçada firme. Porém, o camisa 9 jogou fora da baliza. Minutos depois, a dupla realizou outra ação ofensiva. Davi puxou no meio a jogada, fez dois um com Tripa, e retribuiu em profundidade para o camisa 9. Tripa arrematou, livre, mas Ricardo conseguiu evitar e fez uma defesa difícil. Devido a isso, o jeito foi inverter o papel. Tripa ganhou na direita da marcação do Bangú, teve espaço e cruzou na medida para Casteli. O capitão do São Braz dominou, ajeitou e chutou em diagonal. Sem chances para Ricardo.

Na segunda etapa, Tripa serviu a favor do São Braz como pivô para os meios campistas arremataram. Deu certo com Davi e Casteli. Porém, nenhum chute conseguiu vencer o arqueiro do Bangú. Devido a isso, o escrete rubro-negro melhorou na partida e chegou ao empate, com o gol de falta de Hantson. A partir disso, ambas as equipes não conseguiram chegar com clareza a meta dos dois goleiros e o placar persistiu empatado até o apito final do árbitro Diego Henrique Paschoal.

Mesmo assim, com a participação direta nos ataques do tricolor do São Braz, Tripa foi fundamental para o primeiro ponto conquistado no certame, diante a partida entre São Braz e Bangú, no Estádio Monte Bérico, em Curitiba. Sendo assim, o camisa 9 do São Braz foi o destaque do confronto e consequentemente a 25ª figurinha do álbum DRAP de 2019 e a primeira da Copinha.

APOIE O PROJETO DRAP - Com o seu apoio, a equipe DRAP terá chancela de produzir conteúdos extras e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte e entre outros. Conheça a nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse - http://catarse.me/drap 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.