PROPAGANDA

[ACESSO PR] Em jogo marcado por confusão, Batel e Prudentópolis empatam sem gols


No Estádio Waldomiro Gelinski, em Guarapuava, Batel e Prudentópolis disputaram o “Clássico da Serra”, embate válido pela oitava rodada da Divisão de Acesso do Campeonato Paranaense de 2019. Em partida marcada por muita confusão, principalmente no 1º tempo, o jogo terminou com empate sem gols. Resultado que deixou a equipe do Batel com 12 pontos, enquanto que o Prudentópolis atingiu 10 pontos no certame.


#ACESSO 2019
Por Leon Gomes

PRÉ-JOGO: Após a derrota para o líder São Joseense por 2 a 0 no último domingo (28), o Batel recebeu o Prudentópolis no “Clássico da Serra”, que também chegou com derrota, por 2 a 1 frente ao União. O jogo foi válido pela 8ª rodada da Divisão de Acesso. Antes de a bola rolar, o Batel entrou como quarta colocadono certame, com 11 pontos conquistados, enquanto o Prudentópolis entrou em sétimo, com 9 pontos ganhos.

O EMBATE: O Batel começou a partida sufocando o Prudentópolis. O escrete de Guarapuava criou pelo menos três grandes chances de abrir o marcador nos primeiros cinco minutos de partida. Primeiro com Giovany, que pegou sobra e arriscou de fora da área, obrigando Rudi a fazer bela defesa. Na sequência, em cobrança de escanteio, o próprio Giovany escorou e a bola passou muito perto da meta do Prudentópolis. Pouco tempo depois, em um lance esquisito, a defesa do Prudentópolis não conseguiu afastar a bola e o ataque do Batel não conseguiu finalizar. Os jogadores escorregaram por conta de um gramado comprometido no Estádio Waldomiro Gelinski, até que, finalmente, Agostinho ficou com a sobra dentro da área, mas chutou muito forte e isolou.

Mas foi no primeiro ataque do Prudentópolis na partida que começou a confusão no Clássico da Serra. Yorranis fez boa jogada individual e chutou cruzado. A bola desviou na defesa do Batel e o goleiro Doni fez a defesa. No entanto, após reclamação dos jogadores do Prudentópolis de que a bola teria desviado na mão de Diogo Roque, o árbitro assinalou pênalti para os visitantes. Decisão que deixou os jogadores do Batel revoltados e a partida paralisada por mais de cinco minutos.

Após fortes discussões e até invasão de campo por parte de um torcedor do Batel, o árbitro expulsou Magnun do Batel, que estava no banco de reservas. Felizmente para o Batel, na cobrança de pênalti, Lucas Barreto cobrou no canto esquerdo e Doni fez a defesa, mantendo o placar empatado. Ainda no final do primeiro tempo e com ambos os times nervosos, Davidson fez falta dura no adversário e levou o segundo cartão amarelo, deixando o Batel com um homem a menos para o restante da partida.

Na segunda etapa, o Prudentópolis não fez valer a vantagem de ter um jogador a mais em campo. O Batel continuou bem postado em sua defesa e praticamente não sofreu sustos. Pelo contrário, assustou mais nos contra-ataques do que o escrete visitante.

O Prudentópolis tinha a posse de bola, mas não conseguia furar o bloqueio rubro-negro. A melhor chance do segundo tempo foi mesmo do Batel, após Agostinho receber passe na grande área e, sozinho, perder grande chance ao chutar para fora. Sendo a última grande chance do jogo. Devido a isso, o Clássico da Serra terminou sem um vencedor e também sem gols em Guarapuava.


PRÓXIMA PARTIDA: Na última rodada da primeira fase, o Batel vai a Cornélio Procópio encarar o PSTC no próximo domingo (05), às 15h30. Já o Prudentópolis recebe o Nacional, no mesmo dia e horário.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

BATEL: 1-Doni; 2-Buriche, 3-Dipão, 4-Nasa, 6-Lucio ©; 5-Diogo Roque, 8-Gyovani (15-Rodolfo), 10-Emanuel; 11-Davidson, 7-Douglas, 9-Agostinho (18-Diego). Tec. Will Chimanski

PRUDENTÓPOLIS: 1-Rudi; 2-Mateus Souza, 3-Luiz Tosta, 4-Robert, 6-Renan; 5-Leonardo, 8-França (20-Vinicius), 7-Thalles, 10-Lucas Barreto; 11-Aldair, 9-Yorranis (18-Cailan). Tec. Wagner Andrade

FICHA TÉCNICA: BATEL 0 X 0 PRUDENTÓPOLIS

CA: Dipão e Diogo Roque [BATEL]; Robert [PRUDENTÓPOLIS]
CV: Magnun e Davidson [BATEL]
ÁRBITRO: Ricardo de Lima Legnani (Cascavel)
ASSISTENTES: Welvys Gomes Afonso (Cascavel) e Welder Gomes Afonso (Cascavel)
LOCAL: Estádio Waldomiro Gelinski, em Guarapuava
PÚBLICO E RENDA: 713 torcedores (R$11.280,00)


APOIE O PROJETO DRAP - Com seu apoio, a equipe DRAP terá a chancela de produzir conteúdos extras e de exclusividade, além de ajudar nos custos os integrantes da equipe, com transporte entre outros. Conheça nossa campanha de apoio colaborativo na @catarse – http://catarse.me/drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.