PROPAGANDA

Trieste vence Iguaçu, encerra jejum de cinco anos e é campeão da Suburbana

Vinicius do Prado - Agência DRAP
Na tarde deste sábado (8), Iguaçu e Trieste se enfrentaram no segundo jogo da final da série A da Suburbana, a partida foi disputada no Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli. No clássico da polenta quem começou pressionando foi o Iguaçu, mas a equipe perdeu ritmo e desperdiçou muitas chances ao longo da partida e acabou vendo o Trieste decidir com um gol de cabeça de Robinho e um de pênalti de Evandro. O Galo da Colônia ainda perderia um pênalti, onde o goleiro Rodrigo que entrou no segundo tempo, fez grande defesa. Com a conquista o Trieste quebrou um jejum de cinco anos sem levar a taça de campeão da Suburbana, a equipe segue sendo a maior vencedora do torneio.


#SUBURBANA 2018
Por Larissa Turko

PRÉ-JOGO: O Estádio Francisco Muraro, foi palco do primeiro jogo da decisão da Suburbana entre Triste e Iguaçu. Na Ida, o placar terminou empatado, com um gol pra cada lado. Baroni abriu o marcador para o Alvinegro no primeiro minuto de jogo, mas na segunda etapa, Robinho de cabeça descontou para o Tricolor da Colônia e deixou tudo igual para a volta. Essa também é a oitava vez que as equipes se enfrentam em uma fase decisiva da competição. A última foi na final do ano passado e na ocasião quem levou a melhor foi o Iguaçu. Na briga pelo título desta temporada, o Trieste já eliminou equipes como Pilarzinho e Quitéria. Já o Iguaçu por sua vez, continua invicto na competição e eliminou pelo caminho times como Nova Orleans e Novo Mundo.

PRIMEIRO TEMPO: A partida começou a mil, com lances para os dois lados. O Trieste iniciou mais fechado e tocando a bola. O Iguaçu por sua vez, investia nos passes rápidos e acionava Feijão pela lateral. A primeira chance do Trieste foi com Repolho que saiu em jogada rápida e deu um chapéu no adversário, em seguida mandou de primeira um belo chute na direção do gol. A bola fez bela curva e saiu por cima da meta do Iguaçu. O alvinegro também teve boa oportunidade em cobrança de falta com Leo, mas a bola perdeu força no caminho e foi defendida.

O Trieste passou a investir nos contra-ataques, em um desses lances Marcelo escapou em velocidade pela lateral e tabelou com Robinho que mandou para fora na batida. Depois da pressão inicial o Iguaçu começou a ter mais dificuldade nas bolas longas, nervosa a defesa errava muito. Com a queda de rendimento do rival o Trieste foi pra cima. Aos 26 minutos, Camargo cruzou de perna direita e mandou direto na cabeça de Robinho que subiu mais alto e abriu o placar para o time visitante. Saindo atrás o time Alvinegro foi para cima. Em nova jogada Feijão recebeu e foi até a lateral de fundo, ganhou de seu marcador e cruzou rasteiro para Pedro Oldoni bater com categoria e empatar a partida.

Com jogadas lá e cá o jogo não parava e o Trieste responderia rápido a pressão do rival. Em cobrança de escanteio Russo derrubou Evandro na área e o juiz deu pênalti. Na cobrança, Evandro não hesitou e pediu para chutar. Na batida mandou rasteiro e forte no lado direito do goleiro Felipe para recolocar novamente o Tricolor na frente do placar. A principal dificuldade do Alvinegro era na articulação das jogadas, quando ela estava com feijão era bem aproveitada, mas o problema é que ela não chegava no atacante, a maioria dos lances paravam antes mesmo do camisa dez receber. Sem mais lances de perigo o jogo foi para o intervalo.

Yuri Casari - Agência DRAP
SEGUNDO TEMPO: Na volta do intervalo, o Galo da Colônia começou indo ao ataque pressionando o erro do rival, foi assim que a equipe passou a ganhar muitos laterais. O Trieste seguiu com seu jogo rápido e buscava criar os contra-ataques. O Tricolor da colônia teve a chance de chegar ao terceiro com novamente com Robinho que cabeceou forte, o goleiro Felipe fez grande defesa e tirou a bola com a ponta dos dedos, salvando o time Alvinegro.

Para lançar o Iguaçu de vez ao ataque o técnico Luisinho tirou Emmanuel e colocou em campo o jovem e rápido jogador Samuel, que deu trabalho em campo. Se Felipe fazia grandes defesas para o Galo, no lado do Trieste o goleiro Juninho também não decepcionava, aos 15 minutos o Iguaçu criou boa jogada, tocando a bola de pé em pé na finalização uma bomba que o camisa um fez milagre e defendo. Infelizmente ele caiu de mal jeito é teve que ser substituído no lance seguinte. Um dos lances mais bonitos veio dos pés de Marcelo, o jogador recebeu e driblou dois jogadores, deu um toquinho na bola mandando a frente do seu marcador, na finalização chutou rasteiro e viu a bola sair pela linha fundo arrancando tinta da trave.

O Iguaçu buscava achar espaços para arrumar o gol de empate. A iniciativa deu frutos. O goleiro Ricardo saiu atrasado e acabou fazendo pênalti. Na cobrança, o zagueiro Helton chutou no meio e no reflexo o goleiro do Trieste fez enorme defesa com o pé e se redimiu do lance do pênalti. O Iguaçu não tomou mais gols na partida muito por conta da grande atuação de seu goleiro, Felipe colecionou ao longo da partida defesas importantes.

O Galo alvinegro brincou de perde gols ao longo da partida, talvez uma das mais importantes tenha sido com Feijão que cabeceou e mandou por cima do gol do Tricolor. O Trieste se fechou, aumentou a marcação e passou a segurar a vantagem, foi assim que a equipe conquistou a vitória. Com a conquista da Suburbana o Trieste chega ao seu décimo terceiro título da Suburbana. Sendo assim, a equipe que mais levantou o caneco no certame.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Iguaçu:1.Felipe, 2.Tonton (13.Neto), 3.Emerson, 4.Aderaldo, 6.Emmanuel (16.Samuel), 5.Helton, 7.Russo, 8.Leo Gago, 11.Alex Pinhais (19.Cleiton), 10.Feijão (17.Leonardo),  9.Pedro Oldoni. Tec: Luisinho.

Trieste: 1.Juninho (13.Ricardo), 2.Murilo, 3.Rodrigo, 4.Linno, 6.Camargo, 5.Grilo, 8.Evandro, 10.Lima, 7.Repolho, 11.Marcelo (16.Araújo), 9.Robinho (17.Everton).
Tec: Ivo Petry.

FICHA TÉCNICA – Iguaçu 1 X 2 Trieste XXXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Pedro Oldoni aos 32’ do 1T (Iguaçu); Robinho aos 26’ do 1T, Evandro aos 37’ do 1T (Trieste).
CA: Russo, Pedro Oldoni (Iguaçu) Rodrigo, Evandro (Trieste).
ÁRBITRO: Rafael Traci;
ASSISTENTES: Weber Felipe Silva (1) e Sandra Maria Dawies (2);
LOCAL: Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli, em Curitiba.

REPORTAGEM DRAP XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


drap
Tecnologia do Blogger.