PROPAGANDA

[SUB 19] Coritiba busca o empate contra o Atlético e fica com a taça do estadual


Na tarde deste sábado (08), o Atlético enfrentou o Coritiba no Eco Estádio precisando fazer um milagre para tentar sair com a taça do clássico, após perder por 4 a 0 na ida. O Furacão começou com tudo e fez dois gols na primeira etapa com Bruno Leite. Porém o Coxa não se desesperou, soube permanecer no jogo e conseguiu o empate, com Igor Jesus e Léo Andrade, fechando o placar em 2 a 2 e ficando com a taça de Campeão Paranaense Sub 19

#PRSUB19
Por Gabriel Sawaf

PRÉ JOGO: O clássico que decidiu o Paranaense Sub 19 chegou com uma realidade bem distinta. O Verdão venceu na ida por 4 a 0 e tinha uma vantagem imensa. No escrete alviverde, a única alteração foi o retorno de Luizinho, que cumpriu suspensão na ida, na vaga de Nathan, que se lesionou e já está liberado. O Furacão precisava fazer quatro gols para levar o jogo ao menos para os pênaltis. No escrete atleticano, Marcão veio com quatro alterações, sacando Vitinho e Demethryus do time.

O EMBATE: Como era de se esperar, o Atlético saiu para pressionar, só que o Coxa conseguiu abafar a pressão rapidamente, conseguindo ficar com a bola. Porém aos 14' Welinton Santos fez boa jogada pela direita, cruzou para dentro da área e o bola sobrou para Bruno Leite, que aproveitou e abriu o marcador.

O gol animou Atlético e Bruno Leite, que aos 17' decidiu arriscar de fora da área e acertou o ângulo de Marco Antônio, fazendo um golaço e deixando o Furacão acreditar numa possível reversão.

O Atlético seguia não vendo a cor da bola e tomou o terceiro aos 28’. Matheus Bueno recebeu a bola na entrada e bateu firme no alto. O goleiro Gabriel Mesquita até pulou, mas não alcançou o belo chute.

O jogo era muito bom, sendo lá e cá, com muitas divididas e contra ataques. Aos 39' Talysson Lalau fez jogada pelo meio e foi para a direita e tocou para Igor Jesus, que chutou e bola passou tirando tinta da trave. Dois minutos depois foi a vez do Furacão assustar. Welinton Santos fez outra boa jogada pela direita e cruzou, a bola encontrou Bruno Leite, que testou ao lado da trave e por pouco não fez o terceiro.



Quem começou a etapa final foi o Coritiba, que soube ficar com a bola e aproveitou as velocidade de Igor Paixão pela esquerda. O Atlético conseguiu assustar aos 18', quando Demethyus bateu falta da entrada da área e carimbou a trave de Marco Antônio, que ainda defendeu o rebote arrematado por Paulo Bessani. No contra ataque, Igor Paixão ganhou na velocidade e foi derrubado por Gabriel Fornari quando entrava na área, pênalti, muito protestado pelos jogadores atleticanos. Na cobrança, Igor Jesus bateu bem e converteu.

O gol do Coxa fez com que o Atlético ficasse nervoso e não conseguisse chegar muito. Aos 40' o Furacão teve sua melhor chance de ampliar a marcação. Demethryus cabeceou após cobrança de escanteio e Yan Rodrigues tirou em cima da linha, na sobra Marco Antônio pegou a queima roupa o chute de Kleiton. O prêmio para a persistência alviverde veio aos 47', quando Guilherme Biro foi derrubado na área por Gabriel Fornari. Pênalti que Léo Andrade bateu, converteu e foi fazer a festa do título.

ATLÉTICO – Precisando fazer um milagre para reverter o placar, o técnico Marcão armou um time muito ofensivo para tentar conseguir sair com a taça no Barigui. Explorando a velocidade de Jaderson na esquerda e a habilidade de Bruno Leite no meio, o esquema em 3-5-2 tentava pressionar o escrete alviverde e fazer com que o time jogasse em velocidade. No segundo tempo o Furacão não conseguiu manter o ritmo da primeira etapa, que acarretou no gol dos visitantes e na festa alviverde.




FIQUE DE OLHO – Bruno Leite: Uma das promessas vindas do Sub 17 para essa temporada, o camisa 10 do Atlético no Barigui correspondeu as muitas expectativas que se tem com ele, conseguindo marcar os gols que mantiveram o Atlético vivo até a segunda etapa do jogo.



CORITIBA: A equipe alviverde merece destaque pela preparação feita para o jogo. Em nenhum momento o Verdão sentou na vantagem e deixou jogar. O Coritiba conseguiu reduzir a pressão rubro negra, conseguindo parar em muitos momentos a velocidade atleticana. Além disto, o escrete de Mozart soube atacar, não jogando para defender apenas, o que fez com que a vantagem alviverde aumentasse e o título ficasse no Alto da Glória.




FIQUE DE OLHO – Igor Paixão: O jogador que foi o salvador na semifinal foi o principal destaque alviverde na partida no Barigui. Fazendo uma "fumaceira" pela esquerda, sua velocidade e habilidade novamente foram um forte pilar para que o Coxa conseguisse fazer valer sua vantagem, inclusive sofrendo o pênalti que resultou no gol.




OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


ATLÉTICO: 1- Gabriel Mesquita; 2- Welligton Rocha (17- Matheus Rampon), 3- Lucas Halter e 4- Gabriel Fornari;5- Christian, 8- Brener (13- Djalma), 7- Welinton Santos (18- Kleiton), 6- Jaderson e 10- Bruno Leite; 9- Paulo Bessani e 11- Vinicius Mingotti (20- Demethyus). Técnico: Marcão

CORITIBA: 1- Marcão; 2- Yan Rodrigues, 3- Mateus Moura (17- Willian Nascimento) 4- Léo Andrade e 6- Ângelo; 5- Thomaz (16- Matheus Pires), 10- Matheus Bueno e 7- Luizinho (14- Luiz Felipe); 8- Talyssson Lalau, 11- Igor Paixão (18- Iago) e 9- Igor Jesus (19- Guilherme Biro); Técnico: Mozart

FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO 2 X 2 CORITIBA XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ÁRBITRO: Eduardo Elias Melek.
ASSISTENTES: Eduardo Elias Teixeira Furiatti e Roube Dobrychiop dos Reis.
GOLS: Bruno Leite, aos 14' e aos 17' do 1ºT (Atlético) Igor Jesus, aos 19' do 2ºT e Léo Andrade, aos 47' do 2ºT (Coritiba)
AMARELOS: Lucas Halter, Welligton Rocha e Gabriel Fornari (Atlético); Matheus Bueno e Igor Paixão (Coritiba),        
VERMELHO: Gabriel Fornari (Atlético)                                                    
LOCAL: Eco Estádio Janguito Malucelli, Curitibadrap
Tecnologia do Blogger.