PROPAGANDA

É Furacão! É campeão! Atlético vence Junior Barranquilla nos pênaltis e conquista a América pela primeira vez


Após novo empate em 1 a 1, com direito a pênalti perdido pelo time colombiano no segundo tempo da prorrogação, o Atlético levou a melhor na disputa de penalidades e conquistou o inédito título da Copa Sul-Americana, o segundo torneio mais importante do continente e o primeiro título internacional da história do futebol paranaense.

#Sul-Americana
Por Yuri Casari

Pre-jogo: Um dia após o anúncio revolucionário de mudança de nome, escudo, uniforme, entre outros elementos de identidade visual, o Athletico Paranaense entrou em campo ainda como Atlético Paranaense para a disputa da final da Copa Sul-Americana contra o Júnior Barranquilla, na Arena da Baixada. Na partida de ida, empate em 1 a 1, que acabou sendo bom resultado para o Furacão, levando em conta as circunstâncias do jogo.

Primeiro tempo: No embalo da energia emanada do Caldeirão, e da massa atleticana, o Atlético de Tiago Nunes iniciou a partida tentando sufocar o adversário em seu campo de defesa. Na bola parada de Nikao, desviada por Pablo aos 5 minutos, ou no chute de fora da área de Renan Lodi aos 6 minutos, o rubro negro demonstrou que em casa, a postura seria outra. Entretanto, o Junior Barranquilla não se intimidaria tão fácil, e assustou aos 12 minutos em chute de primeira de Barrera.

Como era de se esperar de uma grande final, as duas equipes adeptas de um futebol ofensivo se lançaram ao ataque, cada um à sua maneira, dando um tom de intensidade ao jogo. Aos 23, o Atlético teve a chance que ficou mais próxima de arrancar o grito de gol. Renan Lodi chutou de longe e Viera fez grande defesa. Mas aos 25, não houve defesa possível. O Atlético roubou a bola na saída do Junior, Pablo trocou passes com Raphael Veiga e finalizou com extrema categoria, colocando o Furacão na dianteira.





Segundo tempo: Porém, a virada de jogo acabou sendo benéfica ao time colombiano. Disposto a buscar o empate, o Junior Barranquilla passou a pressionar a defesa atleticana e não demorou a alcançar o gol de empate. Aos 12 minutos, em cobrança de escanteio. Gómez desvia no primeiro pau e Téo Gutierrez completa para as redes, deixando tudo igual na Arena da Baixada.

Após o gol, o jogo voltou a equilibrar, mas em nenhum momento deixou de ser intenso, com ambos os times tendo momentos favoráveis. No fim da segunda etapa, o Atlético voltou a ter mais poder ofensivo, mas nada que se aproximasse do gol do título, e assim, o jogo se encaminhou para a prorrogação.

Prorrogação: Os 30 minutos adicionais nunca são um primor técnico. Sobra transpiração em meio a um momento que normalmente falta inspiração. E ao menos o Atlético afastou o Junior de sua área na maior parte do tempo. Recuperando a posse de bola perdida no segundo tempo, o Atlético dominou a totalidade da prorrogação. Mas no segundo tempo, aos 6 minutos, Teo Gutierrez deu um passe espetacular para Yony Gonzalez, que é derrubado por Santos na área. Pênalti dado e cobrado por Barrera, que de forma bizarra chutou a bola muito longe, no momento mais tenso da partida. Foi o terceiro pênalti consecutivo que a equipe colombiana perdeu nesta edição de Sul-Americana.




Pênaltis: Enfim, as penalidades. Tudo decidido na marca da cal. O Junior abriu a contagem com Narvaéz e Jonathan igualou. Fuentes mandou a bola na trave e na sequência converteram Raphael Veiga, Rafael Pérez e Bergson. Téo Gutiérrez isolou sua cobrança e deixou o Furacão em ótima condição. Mas Renan Lodi desperdiçou em seguida e deixou em aberto a decisão. O goleiro Viera voltou a empatar o placar, mas na derradeira cobrança, Thiago Heleno encheu o pé e estufou a rede. Momento histórico e único para o hoje Atlético, amanhã Athletico, e para sempre, Furacão das Américas.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO-PR: 1. Santos, 2. Jonathan, 3. Thiago Heleno, 4. Léo Pereira e 6. Renan Lodi; 16. Bruno Guimarães, 3. Lucho González (28. Wellington), 7. Raphael Veiga e 11. Nikão (22. Marcinho); 5. Pablo (30. Bergson) e 10. Marcelo Cirino (9. Rony). T: Tiago Nunes.

JUNIOR BARRANQUILLA: 1. Viera, 20. Piedrahita, 21. Jefferson Gómez (13. Ávila), 5. Rafael Pérez e 17. Fuentes; 15. Narvaéz, 6. James Sánchez (18. Yony González), 24. Cantillo e 10. Barrera (11. Moreno); 23. Luis Díaz e 29. Teo Gutiérrez. T: Julio Comesaña.

FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO-PR 1 (4) x 1 (3) JR BARRANQUILLA-COL XXXX

GOLS: 
Pablo aos 25’ do 1º tempo; Teo Gutiérrez aos 12 do 2º tempo.
CA: Jonathan e Wellington (CAP); Piedrahita, Gómez, Narvaéz e Yony González (JRB).
ÁRBITRO: Roberto Tobar (CHI).
ASSISTENTES: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI).
LOCAL: Arena da Baixada, Curitiba.

drap

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.