PROPAGANDA

[JUVENIL] Em jogo disputado, Capão Raso venceu o Operário Pilarzinho nos pênaltis e avançou à semifinal


Capão Raso e Operário Pilarzinho duelaram no útimo sábado (3) no Estádio Arena Vermelha, em Curitiba, em partida de volta das quartas de final da suburbana 2018 - categoria juvenil. O Pilarzinho foi com tudo para cima, fez um gol antes de 1 minuto de jogo, mas cedeu o empate duas vezes. Já nos acréscimos, Gustavo Chaerki, que saiu do banco, fez um gol de falta levando o jogo para os pênaltis, nas cobranças o camisa 20 foi o único a desperdiçar sua cobrança. Do outro lado, o Capão Raso converteu todas suas cobranças e avançou para a próxima fase.

#JUVENIL 2018
Por Adson Lima
PRÉ-JOGO: No jogo de ida, a equipe do Capão Raso goleou o Pilarzinho por 6 a 1. Esse placar possibilitaria o time da zona sul depender apenas do empate para passar de fase. Já a equipe da zona norte, teria que vencer por qualquer placar, para levar a decisão para os pênaltis.

O EMBATE: No trilhar inicial do apito do árbitro, além de começar a tensão de um jogo decisivo, o embate ganhou muito em emoção, quando ao 1’ jogado o Pilarzinho abriu o placar, com Léo Borges. O camisa 10 aproveitou a pressão inicial da sua equipe e atirou-se à área, ao receber a bola só teve o trabalho para dar um toque de qualidade por cima do goleiro, abrindo o marcador na Arena Vermelha. Esse gol empolgou os visitantes, que continuaram rondando a área do Capão, mas não foram efetivos. No prejuízo, a equipe mandante começou a buscar mais o jogo, com seus atacantes rápidos e habilidosos, passou a levar mais perigo. Essa busca ao ataque deu certo aos 15’ minutos, pois o Capão Raso escapou pela direita e suspendeu a bola na área, o goleiro Christian deu um toquinho na bola, deixando o lateral Maike livre para empurrar a bola para o fundo das redes.


O empate geraou duvidas no Capão Raso, pois ficou a duvida se manteria uma postura ofensiva ou se recuava para explorar os contra-ataques. Essa indecisão atrapalhou o jogo das duas equipes, deixando o período do meio da primeira etapa amarrado. As coisas só clarearam para o Pilarzinho aos 35’ minutos, em uma falta frontal, o zagueiro e capitão Gustavo pegou a bola para bater e não fez feio. O camisa 3 mandou de direita no canto superior esquerdo do goleiro Eduardo, deixando novamente os visitantes a frente no placar.

A segunda etapa começou seguindo a lei de Isaque Newton: ’’para toda ação existe uma reação”. O Pilarzinho atacou e logo recebeu a resposta do Capão Raso, pois nesse contexto, o Pilarzinho levou mais perigo. Neste caso, teve uma chance clara com Léo Borges aos 6’ minutos. O Camisa 10 invadiu a área pela direita e bateu cruzado, levando muito perigo. Na reação do Capão, Vinicius balançou as redes, bola cruzada na área rasteira, no elemento surpresa o camisa 8 entrou livre para mandar para o fundo do barbante. Empatando novamente o duelo.

Gol com dose de emoção, deixando a partida eletrizante, sem muitas chances claras de gols para as equipes, mas com muitas disputas e dedicação. Quando a partida já se encaminhava para seu final, aos 40’ minutos o Capão Raso se fechou e esteve cada vez mais perto da classificação. O Pilarzinho encontrou forças e ainda teve competência de conseguir uma falta próximo à área. Gustavo Chaerki e Gustavo Henrique arrumaram para bater, sendo que o camisa 3 já tinha marcado um no primeiro tempo. Mas dessa vez o camisa 20 foi para batida de canhota e mandou no canto do goleiro, deixando novamente o Pilarzinho a frente no placar e, levando a decisão para as penalidades máxima.


PÊNALTIS: O Capão raso abriu a série de cobranças com Samuel, em seguida bateram Ruam, Vinicius, Lauro e fechando Matheus, tendo 100% de aproveitamento. Pelo lado do Pilarzinho, Gustavo Henrique iniciou batendo, na sequência Gustavo Chaerki, que havia feito o gol nos acréscimos levando a decisão para os pênaltis, bateu e acertou a trave, depois cobraram e converteram Ricardo e Léo Borges, mas não deu para o Operário Pilarzinho.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Capão Raso: 1- Eduardo; 2- Ygor, 3- Jairo, 4- Samuel, 6- Maike (13- Leonardo); 15- Alex (17- João) (20- Carlos), 8- Vinicius, 7- Lauro; 10- Ruan, 11- Alexandre e 9- Matheus. Técnico: Allan Ferreira.

Operário Pilarzinho: Christian; 2- Matheus, 3- Gustavo Henrique, 4- Wesley, 6- Edson (20- Gustavo Chaerki); 5- Andre (13- Nitiren), 7- Ricardo, 8- Lucas (17- Matheus), 10- Léo Borges; 11- Brayan (18- Gustavo Lemes) e 9- Leonardo. Técnico: Elizeu Duarte.

FICHA TÉCNICA – CAPÃO RASO 2 X 3 O.PILARZINHO   XXXXXXXXXXXX

GOLS: Maike, aos 14' do 1ºT e Vinicius, aos 14' do 2ºT (Capão). Léo Borges, a 1' do 1ºT, Gustavo Henrique, aos 35' do 1ºT e Gustavo Cherki, aos 40' do 2ºT (Pilarzinho).
CA: Ygor e Alex (Capão), Leonardo e Ricardo (Pilarzinho).
ÁRBITRO: Evandro Luis de Oliveira.
ASSISTENTES:  Alexandro Euzébio da Silva (1) e Weber Felipe da Silva (2).
LOCAl: Arena Vermelha, Curitiba.

ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX



drap
Tecnologia do Blogger.