PROPAGANDA

[SUB 17] Paraná fica em vantagem duas vezes, mas cede o empate ao Santos na Copa do Brasil


Na tarde desta quarta-feira (03), Paraná Clube e Santos fizeram um jogo muito disputado na Vila Capanema, na estreia de ambos pela Copa do Brasil Sub 17. O Tricolor abriu o marcador logo no início com Raimar, mas o Peixei logo empatou com Ivonei. Na segunda etapa, o escreta paranista voltou melhor e voltou a ficar a frente com gol de Paranhos. Só que o Peixe foi para cima e empatou com Kaio Jorge. O time da Vila Capanema ainda foi para cima, porém não conseguiu tirar o 2 a 2 do placar. Agora, o Paraná precisar vencer no litoral paulista para se classificar no tempo normal. 

#SUB17

PRÉ-JOGO: Paraná e Santos chegaram para o jogo de estréia da Copa do Brasil Sub 17 vivendo realidades parecidas em seus estaduais. O Tricolor lidera seu grupo  na segunda fase do Paranaense com sete pontos em três jogos. Já o Alvinegro lidera seu grupo na terceira fase do Paulista, com dez pontos em quatro jogos. Na Taça BH, última competição nacional que os times participaram, o escrete paranista parou nas oitavas de final para o Vasco, já o Peixe nas quartas perdendo para o Atlético/MG, futuro campeão. O escrete paranista voltava a Copa do Brasil após três, tendo a última participação em 2015, quando foi eliminado para o Galo na primeira fase. Já os Meninos da Vila tentam se recuperar da campanha do ano passado, quando foram eliminados pelo Flamengo na segunda fase. 


O EMBATE – O Paraná começou o jogo mais em cima, tentando fechar a saída de jogo dos visitantes. Logo no primeiro minuto, Lucão recuperou a bola e lançou Paranhos, que entrou na área e chutou para fora. O Santos respondeu aos três. Ivonei se livrou da marcação e chutou de fora da área, o goleiro Gabriel não conseguiu segurar e a bola sobrou para Lucas, mas o arqueiro paranista conseguiu se recuperar e, no reflexo, fez uma grande defesa. O jogo era lá e cá. Aos seis, Raimar cruzou para Lucão, que finalizou de primeira e mandou na trave.

O Tricolor estava melhor e a pressão inicial deu resultado. Aos 7' Almeida foi derrubado por Jhonnatan na área. Pênalti, que Raimar bateu, com muita categoria, e fez. A partida seguiu agitada após o gol paranista. Aos 15', Ivonei arriscou de fora da área e obrigou Gabriel a fazer grande defesa. No lance seguinte foi a vez do escrete paranista responder com Raimar invadindo a área e quase fazendo um golaço de cobertura. Só que aos 17' o Alvinegro Praiano não perdoou. Após cruzamento na área, a bola sobrou para Ivonei, que, da entrada da área, chutou forte e rasteiro para empatar o jogo.

Após o empate santista a partida caiu um pouco de rendimento. Devido ao gramado encharcado por conta das fortes chuvas, os times erravam muitos passes e não conseguiam concluir suas jogadas com êxito. A única chance de gol criada antes do intervalo foi aos 43, quando Sandro Martins chutou de longe e Gabriel encaixou sem maiores preocupações. 



Na volta do intervalo o Paraná foi para cima. Logo aos dois minutos Almeida cruzou na área, Lucão pegou errado, mas a bola sobrou para ele mesmo cabecear para dentro, Gustavo não cortar e Paranhos se jogar na bola para fazer o segundo. O Tricolor tentava trabalhar a bola para não dar espaços para o Santos. O Peixe voltou a apostar nas bolas de fora. Aos 15' Kaio Jorge arriscou e Gabriel fez segura defesa. O escrete paranista respondeu no mesmo minuto, com Lucão pegando sobra de cruzamento e chutando forte, a bola desviou e foi por cima.

O Santos apostou nas bolas paradas. Aos 23' Ivonei bateu falta de longe, a bola desviou na barreira e passou próxima ao gol de Gabriel. Na cobrança de escanteio, Reifit, que tinha acabado de entrar, levantou na cabeça de Kaio Jorge, que empatou o duelo. O Paraná teve uma grande chance de desempatar logo em seguida, quando Paranhos lançou Almeida na área, só que o atacante se enrolou com a bola e ela ficou nas mãos de Breno.  

O Santos ficou mais com a bola na reta final de partida. Aos 30' Gabriel Cordeiro fez jogada pela esquerda e cruzou para Ivonei chutar para fora. O Paraná começou a apostar no contra golpe e chegou aos 35' em cobrança de escanteio. A bola foi levantada e Yago subiu mais alto e cabeceou para defesa de Breno, que ainda teve a ajuda da trave para o terceiro gol não sair. O Tricolor voltou a assustar aos 39', quando Vitinho aproveitou sobra de dividida e chutou de longe, para boa defesa de Breno. O Paraná era quem criava mais chances no fim do jogo. Aos 40' Yago invadiu a área, mas demorou para chutar, e parou no goleiro. Na sobra, Vitinho pegou errado e mandou para fora. 

PRÓXIMAS PARTIDAS: As equipes voltam a se enfrentar na próxima terça (09), em lugar ainda a ser definido. Antes disto, os escretes tem jogos pelos estaduais. O Paraná volta a campo já na sexta (05), quando vai a Verê enfrentar o time da cidade. Já o Santos volta a campo no sábado (06), encarando o XV em Piracicaba. 



PARANÁ: O Tricolor entrou em campo com a proposta de não dar muito de campo de jogo ao time visitante, marcando em cima. Logo nos primeiros minutos a proposta deu certo e logo nos primeiros minutos o time da casa inaugurou o placar. Com a vantagem, na qual conseguiu duas vezes, soube fechar bem os espaços, com os jogadores que atuaram como pontas ajudarem bem a cobrir os pontos de velocidade da equipe santista. Só que os gols sofridos apontaram um problema no escrete paranista: os cruzamentos na área, que acabaram culminando no empate. 



FIQUE DE OLHO – Raimar: O camisa 10 se destacou não só pelo gol que fez, mas pela sua movimentação pela meia cancha. Raimar conseguia flutuar com facilidade pelas duas pontas do campo paranista, sendo uma ótima opção para iniciar as jogadas. Além disto, o meia conta com uma excelente visão de jogo, que muitas vezes deixou companheiros na cara do gol e pode ajudar o Paraná daqui para frente. 



SANTOS: E equipe da Vila Belmiro mostrou apostar muito nas jogadas individuais de seus atletas, principalmente do trio ofensivo formado por Kaio Jorge, Ivonei e Lucas, que foi substituído por Reifit. Atuando no esquema 4-4-3, o escrete paulista conseguiu ter mais posse. O time seguiu o exemplo da base que conhecemos do Santos, apostando nas jogadas individuais e habilidade dos seus jogadores. O ponto a ser observado com atenção fica na linha defensiva, que subia muito e, na tentativa de fazer o impedimento, sofria muitas bolas enfiadas por trás. 


FIQUE DE OLHO – Ivonei: Jogador de seleção, Ivonei foi caçado desde o começo do jogo pelo Paraná. O time da casa colocou dois jogadores em para marcar o camisa 7 santista, que se destacou muito pela sua agilidade. Como já dito antes, o Santos tem o costume de revelar jogadores com essa característica, e Ivonei mostrou que carrega o DNA dos Meninos da Vila. 

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ: 
1- Gabriel; 2- Vialle, 3- Gustavo, 4- Vitão e 6- Vitinho; 5- Ryan, 8- Lucão (19- Yago), 
7- Paranhos (18- Mollins) e 10- Raimar (16- Makill); 9- João Lucas (17- Japa) e 11- Almeida (14- Davi)Técnico: Éder Moraes.

SANTOS: 1- Breno; 4- Cadu, 2- Gustavo, 6- Jhonnathan e 3- Luan (14- Layon); 5- Sandro Martins, 8- Victor Yan e 10- Giovanni (16- Gabriel Cordeiro) (13- Gustavo Henrique); 7- Lucas (17- Reifit), 9- Kaio Jorge e 11- Ivonei. Técnico: Luciano Santos.

FICHA TÉCNICA – PARANÁ 2 X 2 SANTOS XXXXXXXXXXXX

GOLS: Raimar (8’ do 1ºT) e Paranhos (2' do 2ºT) (Paraná)Ivonei (17’ do 1ºT) e Kaio Jorge (24' do 2ºT) (Santos)
CARTÕES AMARELOS: Lucão, Raimar e Almeida (Paraná); Jhonnathan (Santos).
ARBITRAGEM: Cristian Eduardo Gorski da Luz. 
ASSISTENTES: Felipe Gustavo Schimidt e Weber Felipe Silva.
LOCAL: Estádio Durival de Britto e Silva, Curitiba.

ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX



drap
Tecnologia do Blogger.