PROPAGANDA

[JUVENIL] Primeira fase da Série A tem pior média de gols dos últimos quatro anos


O último sábado (20) marcou o fim da primeira fase da Divisão Especial da Suburbana – categoria juvenil. É o momento de analisar o que as equipes produziram e projetar os confrontos das quartas de finais. Até o presente momento, podemos afirmar que esta é uma edição mais equilibrada em relação ao ano passado, onde os ataques balançaram menos as redes adversárias.

#JUVENIL 2018

NÚMEROS: Mesmo tendo algumas variações nos regulamentos, desde 2014 o certame apresenta uma primeira fase com 12 equipes e 66 partidas. O grande destaque dentre os dados registrados é a queda no número de gols feitos, 227 em 2018. Nos últimos cinco anos, apenas a edição de 2014 teve uma marca pior, 202 bolas na rede. Para se ter uma ideia, no certame do ano passado as equipes fizeram 261 gols.

Isso é reflexo de um equilíbrio maior entre os times, visto que em 2017 tivemos o melhor líder e o pior lanterna dos últimos cinco anos. O Trieste teve 100% de aproveitamento e o melhor ataque, com 44 bolas na rede. Já o Palmeirinha perdeu todas e sofreu 53 gols, marcando apenas quatro. A igualdade se vê na distância entre o terceiro e o nono colocado: no ano anterior foram sete pontos de diferença, enquanto que em 2018 foram apenas três.

Mesmo conquistando seis pontos a menos que na edição passada, o Tricolor da Colônia ficou novamente na liderança, com sete pontos de vantagem em relação ao segundo colocado. Em meio a tantas diferenças, um número permaneceu: a “nota de corte” para passar de fase. Assim como o Iguaçu em 2017, o Vila Fanny precisou marcar 14 pontos para chegar aos mata-matas.

Confira a classificação geral da primeira fase e os confrontos das quartas de finais da Divisão Especial da Suburbana – categoria juvenil. Os mandos foram definidos de acordo com o time com posição correspondente na categoria adulta (o 1º colocado acompanha o líder, o 2º o vice-líder e assim por diante).


Vila Fanny (8º) x Trieste (1º) – Estádio José Drulla Sobrinho
O Alvirrubro chega pressionado para a fase mata-mata. O time conseguiu a classificação, mas não vence há cinco rodadas e tem o pior ataque dentre os oito sobreviventes (14 gols feitos), além da pior defesa do G8 ao lado do Novo Mundo (17 gols sofridos). O Tricolor apresenta um desempenho oposto: vindo de duas vitórias seguidas, tem o ataque mais positivo (29 gols marcados) e a zaga menos vazada do campeonato (11 gols sofridos). Esse duelo irá acompanhar o confronto entre Nova Orleans e Iguaçu pela categoria adulta.

Iguaçu (7º) x Uberlândia (2º) – Estádio Bortolo Gava
O Uber fez uma campanha de recuperação nesta primeira fase. A equipe da Vila Formosa só venceu o primeiro jogo na quarta rodada, no entanto engatou uma boa sequência de resultados e chegou à vice-liderança após três triunfos consecutivos, sendo duas goleadas (5 a 0 no Trindade e 4 a 1 no Orleans). Já o Galo comemora o fato de não ter passado em oitavo, como nas duas últimas temporadas. A classificação veio após a goleada por 7 a 0 imposta sobre o lanterna Quitéria, com destaque para o meia Luiz Felipe, que contra o Auriverde marcou cinco dos nove gols que fez na primeira fase. Esse duelo irá acompanhar o confronto entre Pilarzinho e Trieste pela categoria adulta.

Imperial (6º) x Novo Mundo (3º) – Estádio Maurício Fruet
Desde que a equipe retornou à Divisão Especial, em 2016, é a primeira vez que o Tricolor do Mossunguê avança aos mata-matas. O Imperial teve um início de certame muito bom, vencendo três dos primeiros quatro jogos, mas depois caiu de rendimento e só obteve outro triunfo na penúltima rodada, frente ao Quitéria. O destaque negativo do confronto é que Imperial e Novo Mundo são as equipes mais indisciplinadas do certame. O Tricolor teve 28 cartões amarelos e 5 vermelhos, enquanto que o Alvirrubro teve uma expulsão, mas 29 amarelos. O Novo Mundo aposta na qualidade do setor ofensivo, visto que apresenta o segundo melhor ataque da Suburbana (26 gols feitos) e tem o artilheiro da competição, o atacante Jean. Esse duelo irá acompanhar o confronto entre Quitéria e Capão Raso pela categoria adulta.

Pilarzinho (5º) x Capão Raso (4º) – Estádio Egydio Ricardo Pietrobelli
Dos oito classificados, o Capão foi a equipe que teve mais empates – foram cinco em 11 jogos. A chave para a classificação do Tricolor de Aço foi a sequência de duas vitórias que teve nas rodadas derradeiras, frente a Iguaçu e Fortaleza. No mesmo período, o Pilar empatou contra o Nova Orleans e perdeu para o Trieste, o que gera uma desconfiança. O ponto positivo do Tricolor de Bortolo Gava é que a equipe foi a mais disciplinada dentre os 12 clubes da Série A, levando apenas 18 cartões amarelos e nenhum vermelho. Esse duelo irá acompanhar o confronto entre Vila Fanny e Novo Mundo pela categoria adulta.

COBERTURA: A equipe DRAP estará presente no estádio Bortolo Gava para acompanhar a partida entre Iguaçu e Uberlândia. Todos os jogos acontecem neste sábado (27), a partir das 13h30.
drap
Tecnologia do Blogger.