PROPAGANDA

[SUB 19] Pelo placar mínimo, Atlético vence Batel em Guarapuava


Na tarde do último sábado (15) no Estádio Waldomiro Gelinski, em Guarapuava, Batel e Atlético jogaram pela última rodada da segunda fase do Campeonato Paranaense Sub-19 de 2018. A equipe da capital paranaense venceu por 1 a 0 com gol de Welinton Santos no primeiro tempo e por pouco não voltou para Curitiba com o empate. Com o triunfo, a equipe rubro-negra de Curitiba garantiu a classificação, enquanto que o Batel entrou em campo já eliminado.

#SUB19
                                                                           Por Leon Gomes

PRÉ-JOGO: Após vencer o Apucarana fora de casa na última rodada, o Atlético Paranaense enfrenta o já eliminado Batel no estádio Waldomiro Gelinski, em Guarapuava, pela última rodada do segundo turno. O escrete de Curitiba buscava mais uma vitória para terminar essa fase na liderança do grupo E, que tinha o Londrina como então líder pelo saldo de gols (um gol a mais que a equipe do Atlético).

O EMBATE – O Atlético tomou a iniciativa da partida desde o primeiro minuto. A defesa do Batel sofria com as investidas do escrete curitibano, principalmente com os lançamentos longos para os atacantes Welinton e Matheus. Aos 14 minutos, Matheus recebeu dentro da área e tocou para o camisa 7 do Atlético abrir o marcador. Mesmo após o gol, o panorama da partida se manteve o mesmo durante toda a primeira etapa. Welinton dava muito trabalho para Magnun, que trocou de posição com a lesão de Vitor e foi para a lateral esquerda. Eduardo Patrick criava as principais jogadas do time da casa, mas o escrete de Guarapuava não teve nenhuma chance clara de gol. A primeira finalização do Batel só foi acontecer aos 31 minutos, num chute de Rhuan de fora da área. Aos 36, Welinton, o melhor em campo na primeira etapa, chutou forte e obrigou Zidany a fazer boa defesa.

No segundo tempo, o jogo mudou. O técnico Dudu Sales colocou Thiago Brito pelo lado esquerdo do ataque no lugar de Ilan, com Daniel fazendo o papel de centroavante. E o Batel encurralou o Atlético em muitos momentos, apesar de que no primeiro lance da segunda etapa a zaga do rubro-negro guarapuavano tenha salvado uma cabeçada quase em cima da linha. Eduardo dava cada vez mais trabalho para a defesa do Atlético, agora pelo lado direito, e Daniel teve três grandes chances de empatar a partida, mas em duas oportunidades o goleiro Allan foi bem e em outra a bola passou muito perto do alvo. Aos poucos, porém, o Batel foi perdendo fôlego e o Atlético passou a amarrar a partida, obrigando o goleiro Guilherme Laufer a trabalhar poucas vezes.

PRÓXIMAS PARTIDAS: O escrete do Batel, já eliminado, não atuará novamente na competição. O Atlético aguarda o fechamento da rodada para conhecer os adversários na próxima fase.

BATEL: Sofreu na primeira etapa com os lançamentos longos do Atlético e a mudança de formação do escrete de Curitiba ao longo da partida. Após o gol do Atlético teve ainda mais dificuldades para encontrar espaços. Eduardo Patrick era a válvula de escape, mas sofreu com a forte marcação da zaga atleticana.
No segundo tempo, melhorou e muito, com a entrada de Thiago Brito pelo lado direito e mudando Eduardo para o lado direto, com Daniel fazendo o papel de camisa nove. Ponto para o técnico Dudu Sales, que com a alteração encurralou a equipe do Atlético em seu campo de defesa na maior parte da segunda etapa e por pouco não empatou a partida.


FIQUE DE OLHO – EDUARDO PATRICK: Mais uma vez foi o melhor jogador do Batel em campo. Foi o que deu mais trabalho para a defesa do Atlético no primeiro tempo, pelo lado esquerdo, e deu muita dor de cabeça para a zaga curitibana na segunda etapa, quando o time de Guarapuava por pouco não empatou o jogo.

ATLÉTICO PARANAENSE: O Atlético atacava numa espécie de 3-4-3 e recompunha num 4-3-3, o que dificultava as poucas investidas do Batel. Após o gol de Welinton no começo da partida, o Atlético teve ainda mais controle da partida e assustava com frequência, principalmente com o autor do gol e destaque da primeira etapa. No segundo tempo, viu o Batel vir para cima e por pouco não saiu com o empate. Jáderson, lateral do Atlético, teve pesadelos com Eduardo pelo lado direito e Welinton, o melhor na primeira parte do jogo, caiu de rendimento e foi substituído. No final, o time amarrou a partida e saiu vitorioso mais uma vez.


FIQUE DE OLHO – WELINTON SANTOS: O camisa sete foi premiado no primeiro tempo com o único gol do jogo, quando aproveitou passe de Matheus Rampon pelo lado esquerdo, outro destaque da vitória do Atlético na tarde de hoje.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

BATEL: 1-Zidany (12-Guilherme Laufer); 2-Henrique Raez (15-Moises), 13-Juliano Pontes, 4-Jefferson Souza, 6-Vitor Chaves (5-Daniel Ramos); 3-Eduardo Cenci, 19-João Murilo, 10-Rhuan Felipe; 11-Magnun Pelisser, 7-Eduardo Patrick, 16-Ilan Henrique (20-Thiago Brito). Técnico: Dudu Sales.

ATLÉTICO: 1-Bento (12-Allan Roden); 2-Luca Caio, 3-Julio Romão, 4-Gabriel Fornari, 6-Jáderson (Djalma Celestino);    5-Victor Altair, 7-Welinton Santos (Kennedy Zaneti), 8-Brener (14-Julian Bicudo); 10-Christian, 9-Kleiton (Vinicius Mingotti), 11-Matheus Rampon (16-Edwin López). Técnico: Marcos Alberto.

FICHA TÉCNICA – BATEL X ATLÉTICO-PR XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: 7-Welinton (14’ do 1ºT) [Atlético]
CARTÕES AMARELOS: 5-Daniel Ramos, 19-João Murilo [Batel]; 6-Jáderson [Atlético]
CARTÕES VERMELHOS:
ARBITRAGEM: Tiago Olexinka (Irati)
ASSISTENTES: Zacarias Chumlhak (Guarapuava) e Marco Antonio dos Santos Pepe (Irati)
LOCAL: Estádio Waldomiro Gelinski, Guarapuava.
drap
Tecnologia do Blogger.