PROPAGANDA

Operário vence o Cuiabá fora de casa e conquista a Série C do Brasileirão


Cuiabá e Operário Ferroviário se enfrentaram na noite deste sábado (09) em duelo válido pela segunda partida da final do Campeonato Brasileiro da Série C de 2018. O confronto foi realizado na Arena Pantanal e terminou em vitória do Fantasma por 1 a 0. Com o resultado, o Operário confirma mais um título nacional inédito em sua história. Já o Cuiabá dá adeus ao certame com uma campanha sólida e inicia a preparação para a disputa da série B da próxima temporada.

#SÉRIE C
Por Allyson Santos

PRÉ-JOGO: A grande final do Brasileirão da série C, colocou frente a frente as duas equipes mais consistentes do certame. A expectativa era de mais um duelo muito equilibrado após o empate em 3 a 3 no primeiro jogo. O Cuiabá tinha o apoio de mais de 40 mil torcedores que lotaram a Arena Pantanal com o objetivo de apoiar a equipe rumo a primeira conquista nacional de sua história. Porém, o escrete dourado teria pela frente o Fantasma de Vila Oficinas, que buscava fazer história como a primeira equipe a conquistar as séries D e C do campeonato brasileiro em sequência. O técnico Gérson Gusmão não teve a presença do atacante Schumacher, um dos destaques alvinegros na competição, por conta de um cartão vermelho recebido na partida de ida. Já Itamar Schülle teve todos os atletas à disposição para o embate. Um triunfo simples garantiria o título para a equipe vencedora. Em caso de empate por qualquer placar, a decisão iria para as penalidades.

PRIMEIRO TEMPO: O Operário é quem deu o pontapé inicial da decisão e já pressionou a equipe da casa nos primeiros segundos de jogo com Bruno Batata. O centroavante alvinegro dominou com categoria dentro da área e ajeitou a bola para finalização de Dione. O camisa 11 bateu por cima do gol, assustando o goleiro Victor Souza. Logo na sequência, o embate foi paralisado devido à queda na iluminação do estádio. Após a retomada da partida, ambos os escretes sentiram a falta de ritmo após aproximadamente 1 hora e 20 minutos sem bola rolando. Na sequência do embate, o Cuiabá foi quem levou perigo em finalização de fora da área com Marino. O volante arriscou de muito longe e a bola passou sem sustos para o arqueiro do Fantasma. O Operário encontrou dificuldades para penetrar nas linhas defensivas da equipe dourada e observou os donos casa pressionarem a saída de bola alvinegra. O grande número de faltas nos minutos seguintes foi a marca da grande intensidade no estilo de jogo dos finalistas.


A bola aérea foi a principal arma da equipe Cuiabana. Aos 20’ jogados, Jenison recebeu cruzamento da direita, subiu mais alto que a zaga operariana e cabeceou firme no canto direito. O camisa 9 obrigou Simão a realizar grande defesa do reflexo e evitar o que seria o primeiro gol da partida. O Fantasma permaneceu recuado e apostou na força dos contra-ataques com Quirino e Cleyton. O escrete mato-grossense acionou com frequência o lado direito de ataque com Hiltinho. O camisa 17 deu trabalho aos marcadores e cavou faltas perigosas no setor. Em levantamento de Eduardo Ramos, Adriano Pardal desviou de cabeça e a bola passou ao lado do poste direito. A resposta alvinegra aconteceu com Dione, que disparou em velocidade pela faixa central do campo e foi desarmado dentro da grande área.

As melhores chances seguiram com domínio do Cuiabá. Em jogada bem trabalhada pelo flanco direito, a bola sobrou mais uma vez para Adriano Pardal na entrada área após corte de Chicão. O meia chutou colocado, a bola desviou e passou muito perto da meta alvinegra. O Fantasma trocou passes na reta final de primeiro tempo, fechou os espaços e esfriou o jogo. Aos 42’ decorridos, Bruno Batata fez boa proteção e ajeitou para Cleyton na intermediária. O meia do Operário carregou e bateu com efeito na bola, que passou rente ao ângulo esquerdo do arqueiro cuiabano. O time da casa ainda levou perigo no último minuto da etapa inicial. Em jogada pela esquerda, a marcação do Fantasma falhou e a bola sobrou para Adriano Pardal, que cabeceou livre dentro da pequena área e obrigou Simão a protagonizar um milagre com o pé esquerdo e evitar o tento adversário.


SEGUNDO TEMPO: O Cuiabá foi quem teve a maior posse de bola no início da segunda etapa e seguiu tentando envolver a marcação do escrete operariano, que realizou excelente trabalho defensivo após o retorno dos vestiários. Gérson Gusmão apostou na trinca de volantes formada por Chicão, Serginho Paulista e Erick para dar mais segurança ao meio-campo alvinegro. A primeira grande oportunidade do Fantasma na reta final surgiu pelo flanco esquerdo com Quirino. O atacante do Operário aplicou belo drible em velocidade no marcador e bateu cruzado, Victor Souza tentou interceptar a bola e espalmou nos pés de Bruno Batata. O centroavante de Vila Oficinas tocou para o gol vazio e abriu o placar na Arena Pantanal.

Após sofrer com a pressão adversária na primeira metade da partida, o Operário voltou à campo melhor posicionado, e encontrou o gol em um momento importante da decisão. Já o Cuiabá começou a sentir falta das muitas oportunidades desperdiçadas ao longo do embate e voltou a pressionar os adversários pelo tento de empate. O time da casa respondeu com Doda, que recebeu na intermediária, deixou Serginho Paulista no chão em lindo drible e finalizou forte no canto esquerdo de Simão. O goleiro se esticou todo e viu a bola beliscar o pé da trave, assustando o escrete visitante. A pressão do Cuiabá aumentou a cada minuto e o Fantasma se fechou a esperou de um contra-ataque.

Os mandantes rodaram a bola, trocaram passes no campo de ataque, mas não conseguiram levar perigo à meta de Simão. A ofensividade do Cuiabá cedeu espaços ao Operário, que desceu em velocidade com Robinho. O meio-campista alvinegro recebeu lançamento com liberdade e chutou em cima da zaga. A bola sobrou para Bruno Batata, que arriscou chute colocado da entrada da área e por pouco não acertou o ângulo de Victor Souza. A emoção tomou conta da partida nos minutos finais de jogo. O Cuiabá não conseguiu ser efetivo em suas investidas, esbarrando na forte marcação operariana. Aos 45 minutos, a bola sobrou para Danilo dentro da área. O Lateral-esquerdo chutou forte no canto e Simão operou mais uma defesa gigantesca na Arena Pantanal. Nos últimos suspiros da equipe do Cuiabá, Simão fechou o gol do Fantasma. Marcelo de Lima Henrique apitou o centro do campo para decretar o título de campeão da Série C ao Operário Ferroviário.


PRÓXIMO JOGO: Ambas as equipes encerram a temporada com saldo positivo e agora devem preparar seus elencos para a disputa dos estaduais e da segunda divisão nacional no próximo ano.

OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

OPERÁRIO: 1-Simão; 2-Léo; 3- Alisson; 4-Sosa; 5-Chicão; 6- Peixoto (13-Rodrigo); 7-Quirino (20-Robinho); 8-Erick; 9-Bruno Batata; 10-Dione (16-Serginho Paulista); 11-Cleyton. Tec: Gérson Gusmão

CUIABÁ: 1-Victor Souza; 2-Jean (21-Bruno Alves); 3-Ednei; 4-Edson Borges; 6-Danilo; 7-Alê; 8-Marino; 9-Jenison; 10-Eduardo Ramos; 11-Adriano Pardal (18-João Carlos); 17-Hiltinho (5-Doda). Tec: Itamar Schülle

FICHA TÉCNICA – OPERÁRIO X CUIABÁ xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gols: Bruno Batata (OFEC) (CUI)
CA: Simão, Bruno Batata (OFEC) Eduardo Ramos, Alê, Ednei (CUI)
CV: (OFEC) (CUI)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique
Assistentes: Michael Correia (1) e Silbert Faria Sisquim (2)
Local: Arena Pantanal, em Cuiabá.
Público: 41311

ÁLBUM DE FOTOS DA PARTIDA XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE C - FINAL - CUIABÁ 0 x 1 OPERÁRIO

drap
Tecnologia do Blogger.