PROPAGANDA

[SUB19] Em jogo movimentado, Operário vence o São Joseense e garante vaga na próxima fase


Operário e São Joseense jogaram na manhã deste sábado (21) no Estádio Miró de Freitas, em Ponta Grossa. O embate foi válido pela décima primeira rodada do Campeonato Paranaense Sub19 de 2018. Em dois tempos distintos, Operário conseguiu abriu o placar nos minutos iniciais da etapa complementar, mas sofreu o empate no minuto seguinte. Mesmo assim, o Operário ainda teve força na reta final e marcou mais dois gols. O triunfo de 3 a 1 diante o escrete do São Joseense garantiu o alvinegro na próxima fase e tirou todas as chances de classificação do adversário no certame

#SUB-19
Por @rafaelbuiar

PRÉ-JOGO: A equipe do Operário entrou em campo muito próximo da classificação, com a necessidade de apenas um ponto para seguir à segunda fase, em dois jogos. Enquanto que o escrete do São Joseense tinha a missão de vencer os dois jogos para seguir adiante. Na rodada anterior, o time alvinegro da cidade de Ponta Grossa empatou em 0 a 0 com o Andraus, em Campo Largo. Enquanto que o último embate do São Joseense foi uma vitória diante o Andraus, no Estádio do Pinhão.

O EMBATE: Os primeiros minutos foram de um São Joseense mais ativo no campo de ataque. Mesmo assim, com 10’, o escrete da cidade de São José dos Pinhais não conseguiu arrematar a meta do goleiro Matheus. Aos poucos, continuando com a marcação em pressão, o time do São Joseense conseguiu concluir. Ruan ganhou na dividida próximo da área, fez o pivô e arrematou firme sobre a meta. O lance motivou a equipe visitante, que passou a frequentar com mais intensidade o campo de ataque. Mas o lance mais perigo dos visitantes aconteceu minutos depois, em lance de bola parada, em que Bruno na entrada da área chutou fraco e quase surpreendeu o goleiro Mateus, aos 20’.

A pressão do São Joseense continuou. O zagueiro Pontes, em jogada de escanteio, cabeceou firme e a bola bateu na trave, assustando o sistema defensivo alvinegro aos 23’. Na sequência, o escrete do Operário respondeu em jogada de contra-ataque, Petric ganhou no corpo do marcador e foi até a entrada da área, que acabou com o camisa 9 do Operário arrematando firme. Mas Pedro defendeu e evitou o gol. Passados dos 30’, o capitão Caproni passou a ser mais acionado na equipe do São Joseense e movimentou o meio de campo, que sempre terminou com a conclusão de Ruan. Nos minutos finais da etapa inicial, o embate caiu de rendimento e se arrastou até os 47’ sem lances agudos.


No retorno para a segunda etapa nenhuma equipe realizou alterações de jogadores no intervalo. Mas o escrete do Operário entrou com outra postura. Mais agressivo, o alvinegro de Ponta Grossa assustou e quase abriu o placar no primeiro ataque, com uma cabeceada firme de Petric, mas o goleiro Pedro defendeu com maestria. Lance em que o arqueiro sentiu e na sequência foi substituído aos 3’ por Sapão.

Passados da pressão inicial, a equipe do Operário continuou com mais volume de jogo e passou dar trabalho ao goleiro Sapão, que foi acionado principalmente com jogadas iniciada pelos flancos. João Vitor foi quem passou a ser mais utilizado na etapa complementar com sua velocidade. A intensidade no sistema ofensivo resultou em gol aos 20’ a favor do alvinegro. Matheus Castanha chutou fraco, após cruzamento de Gabriel, no lado direito e venceu o goleiro Sapão. Mas o Operário não comemorou por muito tempo, já que aos 21’ Ruan puxou a jogada no meio de campo e foi derrubado dentro da área. Pênalti que Rodrigo assinalou. Jean cobrou e marcou aos 22’, empatando no Estádio Miró de Freitas. Mas quem esperou uma reação do São Joseense se enganou, pois o time do Operário continuou pressionando o sistema defensivo do escrete da cidade de São José dos Pinhais.

Aos 33’, o jogo ficou quente e mudou a tônica do restante da partida. Em lance polêmico entre o Jean e Petric, que para os jogadores do São Joseense era devolução de bola, conhecido como Fair Play. Mas o atacante do Operário foi até o fim da jogada e com isso sofreu falta dentro da área. Pênalti que árbitro assinalou e que teve muita reclamação dos jogadores visitantes, além do cartão amarelo. Petric cobrou, converteu e colocou o escrete do Operário novamente na frente do placar no Estádio Miró de Freitas.

Após o lance do pênalti, o embate passou a ter jogadas mais duras e com isso, muito empurra e empurra entre os jogadores. Neste período, o árbitro Rodrigo expulsou três jogadores do São Joseense. Dois por reclamação, Caproni e Ruan, e o goleiro Sapão que cometeu falta dura em Jean, que tinha acabado de entrar. Com a expulsão do goleiro Sapão, o volante Jean assumiu a posição, já que o titular saiu devido a lesão. Não deu outra, nos minutos finais, o jogo perdeu a intensidade dos primeiros minutos da etapa complementar. Mesmo assim, em ótima troca de passes do Operário no lado direito, Jefferson marcou aos 46’ o terceiro gol e deu números finais a partida, que terminou com o placar de 3 a 1.

PRÓXIMA PARTIDA: A equipe do Operário irá jogar somente na última rodada do turno e diante o Coritiba no Estádio Miró de Freitas, em Ponta Grossa. O São Joseense folga na próxima rodada e irá desafiar na última rodada do returno contra o Atlético, no Estádio Municipal do Pinhão, em São José dos Pinhais.


OPERÁRIO: A equipe alvinegra teve dois tempos diferentes no embate diante o São Joseense. No primeiro tempo, o time não conseguiu jogar e sofreu constantes ataques a meta do goleiro Matheus. O meio de campo do Operário sofreu com a marcação intensa do escrete visitante. Após o intervalo, a conversa com o treinador Joel Preisner rendeu e deu resultado já nos primeiros minutos. Devido a isso, o time do Operário passou a jogar pelos flancos, principalmente, com João Vitor e os gols saíram com naturalidade.

FIQUE DE OLHO (Operário): João Vitor, o mais acionado da equipe apareceu somente na etapa complementar, quando o time do Operário mudou o estilo de jogo e passou a agredir com intensidade o São Joseense. Os ataques do Operário foram criados em sua maioria com jogadas de flanco e João Vitor utilizou de sua velocidade para puxar o ataque.


SÃO JOSEENSE: O escrete da cidade de São José dos Pinhais iniciou marcando em pressão e com isso, dificultou a saída de bola dos donos da casa. Mesmo assim, a equipe não conseguia arrematar a meta do goleiro Mateus. Ruan, um dos principais jogadores da equipe visitante, fez o pivô e poucas vezes seus companheiros conseguiram concluir com perigo de gol. Na etapa complementar, a equipe não conseguiu realizar a mesma marcação da etapa inicial e passou a sofre constante ataque do Operário. O São Joseense estava inteiro até o momento do pênalti, polemico, que acabou convertido pelo camisa 9 do Operário. Após este lance, o time caiu de rendimento e, principalmente, no psicológico. O resultado foram as quatro expulsões em um período de 5’.

FIQUE DE OLHO (SÃO JOSEENSE): Jean, autor do gol, volante e na reta final chamou a responsabilidade na meta do escrete do São Joseense, já que Pedro lesionou-se e Sapão foi expulso na reta final. Mas o que chamou atenção foi a mobilidade e marcação de Jean, principalmente no primeiro tempo. Não deixou o meio de campo do Operário jogar.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

OPERÁRIO: 1 Mateus; 2 Felipe (15 Robinho), 3 Fernando, 4 Guilherme e 6 Gabriel; 5 TH (Jeffeerson), 8 Tibagi, 7 João Vitor (19 Jean) e 10 Thalles; 11 Matheus Castanha  (20 Adriel) e 9 Petric (17 William). Tec. Joel Preisner

SÃO JOSEENSE: 1 Pedro (12 Sapão); 2 Faísca (14), 3 Luiz, 4 Pontes e 6 Wesley (17); 5 Paulinho (20), 8 Jean, 7 Caproni, 8 Jean e 10 Cunha; 9 Ruan e 11 Bruno (15). Tec. Maílson

FICHA TÉCNICA – OPERÁRIO 3 X 1 SÃO JOSEENSE XXXXXXXXXX

GOLS: Matheus Castanha aos 19’ do 2º tempo, Petric aos 30’ do 2º tempo e Jefferson aos 46’ do 2º tempo (Operário) | Jean aos 22’ do 2º tempo (São Joseense)
CA: Paulinho, Jean, Caproni, Ruan (São Joseense)
CV: Caproni, Ruan, Sapão e Maílson (São Joseense)
ÁRBITRO: Rodrigo Posser Borges
ASSISTENTES: Leandro Poli e Jonathan Dias
LOCAL: Estádio Miró de Freitas, em Ponta Grossa.

ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

drap
Tecnologia do Blogger.