PROPAGANDA

[SUB19] Em jogo de muita marcação, Portuguesa Londrinense e Cianorte não saem do zero



Neste sábado (02), a Portuguesinha empatou sem gols com Cianorte, no Estádio Uady Chaiben, em Londrina. Ambas equipes tiveram chances de abrir o placar mas falharam. A partida era válida pela quinta rodada do Campeonato Paranaense Sub-19.

#SUB-19
Por @danielmunizs

PRÉ-JOGO: Na última rodada, a Portuguesinha venceu o Rolândia EC, de virada, por 3 a 2 e agora buscava a segunda vitória no certame para subir na tabela. O Cianorte enfrentou o Londrina na última rodada e sofreu uma goleada de 7 a 0. O Leão do Vale voltou ao norte do Paraná com o objetivo de retomar a confiança e não se distanciar dos líderes do Grupo B.

O EMBATE: O começo da partida entre Portuguesa Londrinense e Cianorte foi de muita marcação e poucas jogadas ofensivas de perigo. Ambas equipes reduziram os espaços e tentaram provocar erros que gerassem contragolpes. A primeira chance de gol foi do Leão do Vale, aos 25 minutos. Felipe Ferreira chegou na entrada da área, driblou dois marcadores e tocou para Gabriel Batistuta, que avançou pela esquerda. Perto da pequena área, o camisa 8 finalizou e a bola passou raspando na trave esquerda. A parir disso, o Cianorte cresceu no jogo e chegou com perigo mais uma vez, agora aos 36 minutos. Gabriel Batistuta recebeu um passe na entrada da área e chutou rasteiro. A bola foi no canto esquerdo e Gustavo Fraga, arqueiro da Lusinha, fez boa defesa e jogou para escanteio.

Nos minutos finais da primeira etapa, a Portuguesinha fez uma blitz ofensiva e deu trabalho ao goleiro do Cianorte em três ocasiões. Aos 40, em uma falta no lado direito, Dedei bateu direto pro gol, com efeito, e a bola bateu no travessão. No minuto 42, Abner recebeu pela direita, avançou e, quase na linha de fundo, bateu cruzado. João Francisco, goleiro do Cianorte, conseguiu fazer a defesa e jogar para escanteio. Um minuto depois, na cobrança do escanteio, Dedei jogou na segunda trave e Felipe Germano subiu alto e cabeceou. A bola passou por cima de meta adversária, perto do travessão.

A segunda etapa começou com o Cianorte subindo suas linhas e pressionando a saída de bola da Lusinha, que teve dificuldades e recorreu aos chutões ao ataque. A equipe visitante chegou com perigo logo aos 5 minutos com Paulo Junior. De fora da área, o volante arriscou o chute e a bola viajou até o ângulo direito da meta de Gustavo Fraga que, com as pontas dos dedos, afastou o perigo. Aos 9 minutos foi a vez da Portuguesa Londrinense. Abner, perto da linha de fundo cruzou rasteiro e Dedei, na segunda trave, finalizou e João Francisco, bem posicionado, conseguiu fazer a defesa. No minuto 33, Sergio Monteiro aproveitou a falha defensiva e, dentro da área, bateu de trivela. A bola passou à esquerda do gol e saiu na linha de fundo.

Os dois escretes adotavam posturas ousadas em campo, marcando forte e atacando com muita intensidade nos contragolpes. Essa postura gerava mais jogadas trabalhadas entre o meio de campo e os laterais, resultando em um jogo menos truncado. Porém, Lusinha e Cianorte tinham dificuldades no último passe e não conseguiram abrir o placar até o apito final.

PRÓXIMA PARTIDA: Na sexta rodada, a Portuguesa Londrinense enfrenta o Cambé, fora de casa. O Cianorte recebe o Apucarana Sports, no Estádio Albino Turbay. As duas partidas estão marcadas para o próximo sábado (09), às 15h30.


PORTUGUESA LONDRINENSE: A Lusinha iniciou a partida com um 3-4-3 e apostando nas jogadas pela direita, com Dedei, na ponta, e Abner, na ala. A equipe da casa conseguiu criar boas jogadas mas pecou no terço final do campo. Na parte defensiva, Felipe Germano, Victor Hugo e Mateus Sergio, que compunham a linha de três zagueiro, mostraram sintonia e não deixaram a rede do goleiro Gustavo Fraga balançar.

FIQUE DE OLHO (PORTUGUESA LONDRINENSE): Victor Hugo - destro e volante de origem, o camisa 5 jogou de zagueiro mas não se intimidou e, com desarmes precisos, foi o melhor em campo. Beque central na linha de três zagueiros, Victor Hugo demonstrou bom posicionamento e entendimento tático. Apesar da baixa estatura, o zagueiro mostrou que tem boa impulsão e foi peça chave no jogo deste sábado.


CIANORTE: Com um 4-2-3-1, o Cianorte apostou na criatividade da dupla Gabriel Batistuta, meia centralizado, e Felipe Ferreira, ponta esquerdo. Ambos mostravam habilidade e velocidade para criar contra-ataques. O Leão do Vale defendia com duas linhas de quatro muito próxima e uma linha defensiva alta, diminuindo o campo.  Assim como a Portuguesinha, faltou precisão e calma na hora de concluir as jogadas.

FIQUE DE OLHO (CIANORTE): Gabriel Batistuta - destro, o camisa 8 do Cianorte é volante de origem mas jogou de meia armador na partida deste sábado. Na parte central do campo, Gabriel participava de quase todas as jogadas ofensivas do Leão do Vale, demonstrado habilidade e um bom passe. Era presença garantida na área adversária e chegou com perigo em duas ocasiões.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PORTUGUESA LONDRINENSE: 1. Gustavo Fraga; 2. Abner Bragantine, 3. Felipe Germano, 5. Victor Hugo, 4. Mateus Sergio, 6. Marcos Paulo (15. Andre Felipe); 7. Marcio Casemiro, 8. Guilherme Pereira (17. Luiz Carlos); 11. Matheus Moura, 10. Dedei, 9. Guilherme Henrique (16. Rafael Gonçalves). TEC: Renan Felipe.

CIANORTE: 1. João Francisco; 2. Jean Carlos, 4. Carlos Vinicius, 3. Sergio Dias, 6. João Miguel; 5. Paulo Junior, 7. Gustavo da Silva (14. Sergio Monteiro), 8. Gabriel Batistuta; 10. Lucas Reginaldo, 11. Felipe Ferreira, 9. Matheus Dias. TEC: Renato Haro.

FICHA TÉCNICA – PORTUGUESA 0 X 0 CIANORTE XXXXXXXXXX

CA: Marcos Paulo e Victor Hugo(Portuguesa Londrinense) | João Francisco e Gustavo da Silva (Cianorte)
ÁRBITRO: Rodrigo Milani Rosin
ASSISTENTES: Marcos Rogério da Silva e Heitor Fortunato
LOCAL: Estádio Uady Chaiben, em Londrina.

ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Tecnologia do Blogger.