PROPAGANDA

Com arbitragem polêmica, Paraná empata com o Cruzeiro em casa e não sai da ZR


Na noite desta quarta-feira (13), o Tricolor da Vila Capanema recebeu o Cruzeiro para o embate válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2018, o último antes da Copa do Mundo 2018. O primeiro tempo teve chances que passaram muito longe do que as duas equipes queriam alcançar, mas o segundo tempo, em compensação, teve confusão generalizada e não só por parte dos jogadores e o placar terminou em 1 a 1.


#SÉRIE A
Por Giulie Carvalho

PRÉ JOGO: Nesta semana, todos os times da Séria A tinham um objetivo em comum: alcançar o melhor resultado para treinar com tranquilidade durante o Mundial. Para o Paraná e o Cruzeiro não era diferente, mesmo que as posições na classificação dissessem muito sobre o que cada um tem feito durante o Brasileiro. A Raposa ocupa a oitava colocação na tabela, e com o jogo de hoje tem chances de pausar na parte de cima. Já para o Tricolor, a intenção é ficar longe da zona de rebaixamento, e conquistar a terceira vitória, podendo, assim, "descansar" e repensar o campeonato.

PRIMEIRO TEMPO: Nos primeiros minutos da etapa inicial, os donos da casa impuseram o jogo. Praticamente todo o time ocupava o campo de ataque, dominava a posse de bola, e deixava o Cruzeiro para trás, que apenas aos 5', conseguiu chegar à linha de fundo depois de uma arrancada de Raniel. Apesar disso, três minutos depois, a equipe mineira foi a primeira a chutar efetivamente para o gol, mas a bola chegou fraca, e ficou tranquilo para o goleiro Thiago defender. Com 14', a partida estava completamente equilibrada, mas morna. Ambos os times tinham espaço para criar jogadas, mas nenhum conseguia finalizar. Nesse mesmo tempo, saiu o primeiro escanteio do jogo a favor da Raposa, que foi cobrado por Sóbis, mas passou por todo mundo e foi desviada para lateral. O camisa 7 também foi responsável pela melhor finalização do jogo até esse momento quando chutou à direita do goleiro paranista, e viu a bola passar muito perto da trave.

Faltando 20' para acabar a primeira etapa, Torito Gonzales falhou no campo de defesa, e perdeu a bola para Rafael Sóbis. Quando o atacante dominou e se preparou para o chute, o camisa 8 paranista travou o atacante, e em seguida pediu desculpas à torcida pelo erro cometido. Aos 30', o Cruzeiro assumiu o domínio do jogo, e o Paraná não conseguia sequer passar da linha de meio de campo, o que irritou os torcedores que lotavam o Estádio Durival de Britto.

Dois minutos depois dessa jogada, Thiago Santos teve boa oportunidade de abrir o placar, mas não aproveitou a invasão na grande área, e seu chute foi para muito longe. Mas, pelo menos, isso fez com que o time acordasse e voltasse a avançar na partida. Aos 37', por exemplo, ele, Silvinho e Torito criaram a melhor jogada do Tricolor no primeiro tempo ao conseguirem uma arrancada pela lateral e tabelarem dentro da área, deixando que o camisa 11 finalizasse, mas ele pegou fraco na bola. Se antes a torcida paranista chiava com o desempenho do time, agora a reclamação ia para o árbitro, que deu três cartões amarelos em menos de três minutos, e travava o desenrolar da partida. O primeiro tempo terminou sem gols, resultado desagradável para ambos os clubes.



SEGUNDO TEMPO: A etapa complementar começou com mais pegada e emoção. Aos 2', o goleiro paranista fez grande defesa num chute de Robinho, que chutou cruzado dentro da área. Do outro lado, a oportunidade surgiu mais uma vez de uma jogada entre Silvinho e Thiago Santos, que tabelaram, e sobrou para Silvinho chutar, mas a bomba foi muito alta. Passados 10', o camisa 9 do time curitibano também tentou deixar o dele ao buscar acertar o lado direito do gol de Fábio, mas a bola passou por cima da meta.

Porém, aos 15', o jogo começou a dar errado para o Tricolor, e a torcida foi à loucura com a arbitragem. Primeiro, Micale foi expulso por reclamação, e o treinador ainda ficou na beira de campo tentando entender o motivo da expulsão. Enquanto isso acontecia, o juiz continuou a acompanhar a partida, e aos 17' Patrick Brey caiu na área depois de um encontrão com Neris, e ganhou um pênalti de presente. Sóbis foi quem cobrou diretamente para o meio do gol, e o goleiro paranista não conseguiu pegar. Dessa forma, com muita reclamação e vaias, a Raposa abriu o placar na Vila Capanema.

Quase na metade do segundo tempo, o cartão amarelo do juiz contabilizava sete nomes - número que aumentou até o fim da partida. Se não bastasse a marcação duvidosa da arbitragem, ainda havia confusão entre eles para determinar as jogadas. Foi o que aconteceu aos 26', quando os nervos estavam à flor da pele, e um escanteio foi marcado para a equipe mineira. Depois de uma breve discussão, houve um consenso de que na verdade era tiro de meta para o Paraná. Para dar alívio e paz de espírito à torcida, aos 29', Guilherme Biteco cobrou despretenciosamente um lateral, que depois de um bate e rebate que resultou em um cruzamento, a bola parou na cabeça de Silvinho que empatou. O critério de distribuição de cartões amarelos também foi questionado. Rafael Sóbis, pela segunda vez no jogo, foi apontado em posição de impedimento, e mesmo depois do juiz ter apitado, o atacante chutou para o fundo da rede, sendo novamente vaiado pela torcida.

O clima estava quente dentro de campo, e propício à gerar discussões. Foi o que aconteceu aos 36' em uma briga generalizada dentro de campo. A torcida paranista mal ligava para os cruzeirenses que se encontravam no espaço visitante, e se importavam em vaiar, constantemente, a arbitragem a cada apito dado. O jogo terminou com empate por 1x1. O Tricolor recebeu os aplausos da torcida mesmo tendo conquistado apenas um ponto, mas o gosto amargo da zona de rebaixamento só poderá ser mudado mês que vem.


PRÓXIMA RODADA: Depois de um mês de folga, os dois times voltam a jogar nos dias 18 e 19 de julho, respectivamente. O Paraná pega o Vitória no Barradão, enquanto o Cruzeiro irá enfrentar seu conterrâneo América-MG.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ: 1 Thiago Rodrigues; 2 Júnior; 3 Neris; 4 Rayan; 6 Igor; 5 Leandro Vilela; 8 Torito Gonzales (19 Jhonny Lucas); 10 Caio Henrique (18 Guilherme Biteco); 7 Carlos (17 Alex Santana); 11 Silvinho; 9 Thiago Santos. Téc. Rogério Micale
CRUZEIRO: 1 Fábio; 2 Ezequiel; 26 Dedé; 3 Léo; 25 Marcelo Hermes (18 Rafinha); 29 Lucas Romero; 16 Lucas Silva; 21 Mancuello (36 Patrick Brey); 19 Robinho; 7 Rafael Sóbis; 17 Raniel. Téc. Mano Menezes

FICHA TÉCNICA PARANÁ 1 X 1 CRUZEIRO XXXXXXXXXXX

GOLS: Silvinho aos 29' do 2ºT (Paraná); Rafael Sóbis aos 18' do 2º T (Cruzeiro)
CA: Júnior, Torito Gonzales, Neris, Igor, Guilherme Biteco, Jhonny Lucas, Carlos e Rayan (Paraná); Ezequiel, Lucas Silva e Lucas Romero (Cruzeiro).
CV: Micale.
ARBITRAGEM: Dewson Fernando Freitas da Silva.
ASSISTENTES: Heronildo Freitas da Silva (1) e Luis Diego Nascimento Lopes (2).
LOCAL: Estádio Durival de Brito e Silva, em Curitiba. 

drap
Tecnologia do Blogger.