PROPAGANDA

Bangú vence de virada o Nacional e conquista o bicampeonato da Copinha


Bangú e Nacional jogaram na tarde deste sábado (23) no Estádio Manoel Garcia de Andrade, em Curitiba. O confronto foi válido pela 12ª rodada da Copa de Futebol Amador da Capital de 2018, a penúltima da competição. O time do Bangú saiu atrás no placar, mas no desenrolar da partida e com o dia inspirado do atacante Adriano, a equipe rubro-negra conseguiu a virada e acabou consagrando-se como bicampeã da Copinha, com uma rodada de antecedência.

#COPINHA 2018
Por @rafaelbuiar

PRÉ-JOGO: Depois de duas finais nas rodadas anteriores, o time do Bangú teve o confronto diante o Nacional, escrete que está na metade da tábua de classificação. Mesmo assim, a tensão de estar a uma vitória da conquista do título fez com que o jogo fosse tratado como uma final. A equipe do treinador Jeferson Silveira foi completa para o confronto diante o Nacional, que foi com a intenção de adiar/atrapalhar a festa do escrete do rubro-negro no Estádio Manoel Garcia de Andrade.

PRIMEIRO TEMPO: O princípio de jogo foi com o time Bangú querendo buscar o jogo. Em pouco menos de 10’, o escrete rubro negro conseguiu chegar a meta do goleiro Rogério pelo menos três vezes. Enquanto que o time do Nacional, consistente defensivamente, soube suportar a pressão inicial e conseguiu encorpar com passados 10’. Devido a isso, o time alviceleste passou a dominar as ações de ataque e gostou do jogo. Não deu outra, aos 15’, em lance de escanteio, Moisés cobrou e a bola foi no segundo pau para Pepé que cabeceou em cima da marcação. Com isso, a bola sobrou na medida para o zagueiro Barney concluir e inaugurar o placar no Manecão.

Após o gol foi visível o nervosismo do time da casa. Mas bastou o meio de campo do Bangú colocar a bola no chão e o jogo melhorar a favor do rubro-negro. Ou seja, o sistema defensivo do Nacional voltou a ter trabalho no embate. Dos 18’ até os 33’ o volume do Bangú foi superior e por isso, ao natural, o gol de empate do escrete rubro-negro aconteceu e também de bola parada. Joãozinho cobrou o tiro de canto, Adriano antecipou da marcação e cabeceou no cantinho do goleiro Rogério, aos 22’ da etapa inicial.

Onze minutos depois, com o time do Bangú no campo do Nacional, o gol da virada aconteceu e novamente em lance de parada. Desta vez, em tiro direito de frente a meta do arqueiro do Nacional. O camisa 8 do Bangú cobrou no contrapé e enganou o arqueiro Rogério, que não conseguiu evitar o empate. Gol que foi similar ao do embate da primeira rodada diante o Capão Raso. Nos minutos finais da etapa inicial, com o placar a favor da equipe da casa, o Nacional pouco pode fazer para buscar o empate ainda na primeira etapa. Enquanto que o time do Bangú apenas segurou o resultado até o fim do primeiro tempo.


SEGUNDO TEMPO: Ambas as equipes retornaram sem alterações para a segunda etapa. Mas o jogo foi movimentado desde o início, com o Nacional querendo buscar o empate. Mas o jogo foi mesmo da bola parada, pois aos 10’ do segundo tempo, o terceiro gol do Bangú aconteceu e deu um balde de água fria no time visitante. Novamente em cobrança de escanteio de Joãozinho, Adriano subiu mais que o marcador e anotou o seu segundo no embate.

Depois do terceiro gol do Bangú, ambas as equipes realizaram alterações. Mas pouco evoluiu na questão de produção de jogo. Quem chegou próximo foi o time da casa e novamente com Adriano, que sem querer acertou a trave em uma dividida com o arqueiro do Nacional. Fora isso, o jogo ficou preso no meio de campo e com ambas as equipes errando o último passe. Por isso, o confronto terminou, com um minuto de acréscimo, em 3 a 1 para os donos casas. Com este resultado, a equipe do Bangú consagrou-se como bicampeã com uma rodada de antecedência.

PRÓXIMA PARTIDA: A equipe do Bangú, já campeão, irá desafiar o escrete do Olímpico no Estádio Olímpico, no Xaxim. Já o time do Nacional irá fechar o campeonato com o time do Palmeirinha, que ainda briga pela segunda colocação no certame. O confronto será realizado no Estádio XV de agosto, às 15h.



OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

BANGÚ: 1 Ricardo; 2 Rafa (13 Hallyson), 3 Paulo Sérgio, 4 Mérci e 6 Léo; 5 Diego, 8 Hantson, 7 Valdir (18 Luizinho) e 10 Joãozinho; 11 Geovane (19 Sagui) e 9 Adriano (15 Piotto). Tec. Jeferson Silveira

NACIONAL: 1 Rogério; 2 Jefinho, 3 Barney, 4 Pepé e 6 Eduardo; 5 Moises (13 Cristiano), 8 Maia, 10 Fernandinho e 7 Lucas (14 Cláudio); 9 Lucas Mateus e 11 Guilherme. Tec. Alemão

FICHA TÉCNICA – BANGÚ 3 X 1 NACIONAL XXXXXXXXXXXXXXXX

GOLS: Barney aos 15’ do primeiro tempo (Nacional), Adriano aos 22’ do 1º tempo e 10’ do 2º tempo e Hatson aos 33’ do 1º tempo (Bangú).
CA: Barney e Jeffinho (Nacional)
ÁRBITRO: Anabi de Araújo Lopes;
ASSISTENTES: Wesley Waldir Marmitt e Fernando César Tobias;
LOCAL: Estádio Manoel Garcia de Andrade, Curitiba.

REPORTAGEM DRAP XXXXXXXXXXXXXXXX

drap
Tecnologia do Blogger.