PROPAGANDA

[SUB 19] Operário vira diante o São Joseense e reencontra com a vitória no certame



São Joseense e Operário jogaram na tarde desta quinta-feira (24) no Estádio Municipal do Pinhão, em São José dos Pinhais, válido pelo embate da quinta rodada do Campeonato Paranaense sub-19 de 2018. A equipe do São Joseense sai na frente no placar no final da primeira etapa, mas em lance de duas bolas paradas o escrete do Operário marcou e encerrou o jejum de vitórias no certame.

#SUB-19
Por @rafaelbuiar

PRÉ-JOGO: O escrete do São Joseense que está há dois jogos sem vencer, sendo que no último embate empatou com um dos adversários diretos pela vaga de classificação à segunda-fase, o Andraus. Devido a isso, o escrete da cidade de São José dos Pinhais foi ao embate diante o Operário em busca da reabilitação na competição. Por isso, o confronto contra o Fantasma foi importante para a sequência do certame. Do outro lado, o Operário, que folgou na rodada anterior, mas não sabe o que é vencer desde o jogo da primeira rodada, em que venceu o GRECAL, foi à campo com a equipe diferente em relação aos jogos anteriores para sair do jejum no Estádio Municipal do Pinhão.


O EMBATE: O princípio do embate foi movimentado, principalmente, no setor de meio de campo. Mesmo assim, os primeiros minutos foi o período em que ocorreu muitas faltas, em ambas as equipes. Porém, quando teve a bola no pé, a equipe do Operário foi quem buscou a iniciativa e quem arrematou mais no início de jogo. Barreto e Juninho foram os mais acionados e que preocuparam a vida do goleiro Pedro.

A partir dos 8’, o time do São Joseense melhorou ao avançar a marcação e passou a ter mais volume de jogo. Mas devido a isso, as jogadas de contra-ataques ficaram expostas. Aos 11’, Barreto, em ótima posição, ficou de frente com o arqueiro do São Joseense. Mas Pedro deu tranquilidade a equipe da casa e evitou o primeiro gol da tarde ao travar o camisa 9 do Fantasma. Jogada que iniciou no flanco direito com Juninho. Setor que também foi a válvula de escape da equipe da casa, com Faísca.

Minutos depois, a equipe do Operário conseguiu outra oportunidade com Barreto. Novamente o goleiro Pedro do São Joseense levou a melhor e venceu o atacante do Operário ao defender parcialmente. No rebote, Juninho sozinho não conseguiu finalizar e perdeu a chance de abrir o placar. Lance que motivou ainda mais o escrete da casa, que a partir deste período, o São Joseense ficou com mais volume de jogo. Porém, sem finalização a meta do goleiro Fabricio.

De tanto ter o volume de jogo, a equipe do São Joseense conseguiu furar o bloqueio do escrete do Operário nos minutos finais da primeira etapa.  O atacante Ruan ganhou na corrida e também na dividida do goleiro Fabricio aos 42’ da etapa inicial. Gol que tranquilizou a equipe da casa, que depois de inaugurar o placar do Estádio Pinhão segurou até o apito final do primeiro tempo o placar de 1 a 0.


Na etapa complementar, o treinador do Operário, Joel Preisner, mudou a equipe com duas alterações no ataque. Mas quem começou com mais volume de jogo foi o escrete do São Joseense e com jogadas pelo flanco. Mas sem muita evolução nas jogadas e com isso, o embate ficou preso no meio de campo e com várias faltas, para ambas as equipes. Ao passar do tempo, o time do Operário passou a jogar diferente. A primeira oportunidade desperdiçada foi aos 23’ com Jefinho.

Passados da metade da etapa complementar, o treinador do São Joseense Maílson Bastos mudou o seu escrete com quatro trocas. O resultado não foi positivo, pois aos 35’, em jogada de bola parada com Robinho, o meia campista e capitão do Operário, Thalles, aproveitou a falha defensiva do São Joseense e empatou. O gol de empate animou o escrete alvinegro e cinco minutos depois, a equipe do Operário conseguiu atacar e foi parada com falta dentro da área. Pênalti, que Thalles cobrou e desempatou a partida aos 35’ da etapa complementar.

Nos minutos finais, com muita polêmica, inclusive com discussão entre as duas equipes após momento bizarro em que os maqueiros “jogaram” o atleta do operário após ser levado para o atendimento médico, que não aconteceu. Passado a euforia do embate, o árbitro deu 6’ de acréscimos. Tempo que não foi suficiente para acontecer mudança no placar do Estádio do Pinhão, que terminou em 2 a 1 para o Operário.

PRÓXIMA PARTIDA: O escrete do Operário irá jogar no Estádio Miró de Freitas, em Ponta Grossa, contra o Atlético. Já o time do São Joseense irá folgar na rodada e só joga na sétima rodada diante o Atlético, no CT do Caju, em Curitiba.


SÃO JOSEENSE: A equipe da cidade de São José dos Pinhais, que iniciou melhor no confronto diante o Operário, teve mais volume de jogo e usou mais os flancos para jogar. Por meio disso, foi visível perceber um time organizado. As principais jogadas da equipe da casa aconteceram nas laterais e sempre buscando a referência, o atacante Ruan. Mas em dois lances de bola parada, a equipe foi penalizada com a falha defensiva.


FIQUE DE OLHO (São Joseense): O destaque da equipe do São Joseense foi o atacante Ruan, que iniciou timidamente nas ações ofensivas. Mas com o passar do embate, o camisa 9 do São Joseense passou a ser mais acionado e com isso deu trabalho para o arqueiro do Operário. Aos 42’ da etapa inicial, com velocidade e força, Ruan conseguiu vencer Fabricio. Além de ter presença no sistema ofensivo, Ruan serviu seus companheiros ao buscar o jogo e distribuir na sequência.


OPERÁRIO: O time da cidade de Ponta Grossa sofreu um pouco diante o São Joseense. Mas em jogadas de contra-ataque conseguiu criar chances de perigo ao goleiro de Pedro, que venceu dois duelos diante o camisa nove do Fantasma, Barreto. Ao sair a referência do ataque – camisa 9, o Operário mudou o seu jeito de jogar e passou a usar mais o setor de meio de campo. Mas o alvinegro foi premiado com dois lances de bolas paradas e com a tarde feliz de Thalles, que marcou os dois gols do time visitante.


FIQUE DE OLHO (Operário) – Gabriel, lateral esquerdo, não teve muito destaque na primeira etapa. Mas com as alterações do treinador do Operário, Joel Preisner, no intervalo, o camisa 6 do alvinegro de Ponta Grossa passou a ser mais acionado na segunda etapa. Gabriel usou da sua velocidade para puxar os contra-ataques, dribles, e em algumas jogadas, terminar com finalização.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

SÃO JOSEENSE: 1 Pedro; 2 Faísca (14 Pontes), 3 Guilherme, 4 Caproni e 6 Wesley (13 Dieguinho); 5 Paulinho (7 Brock), 17 Erick (15 Antonny), 8 Everton (20 Vitor) e 10 Ardley; 11 Cunha e 9 Ruan (19 Taborda). Tec. Maílson Bastos.

OPERÁRIO: 1 Fabricio; 2 Robinho, 3 Fernando, 4 Guilherme e 6 Gabriel; 5 Hudson (14 Lucão), 8 Tibagi, 7 Tubarão (19 Jean), 10 Thalles; 11 Juninho (15 João Octávio) e 9 Barreto (18 Jeffinho). Tec. Joel Preisner

FICHA TÉCNICA – SÃO JOSEENSE 1 X 2 OPERÁRIO XXXXXXXXXX

GOLS: Ruan aos 42’ do 1º tempo (São Joseense) | Thalles aos 30’ e 35’ do 2º tempo (Operário)
CA: Everton (São Joseense) | Fabinho, Lugano, Thalles (Operário)
ÁRBITRO: Rafael Vinicius Moura de Oliveira
ASSISTENTES: Tom Gomes Iancheski e Andrey Valenga Guimarães.
LOCAL: Estádio Municipal do Pinhão, em São José dos Pinhais.

ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX





Tecnologia do Blogger.