PROPAGANDA

De virada, Atlético-MG vence o Furacão na Arena da Baixada e entra no G4



Na tarde deste domingo (13) de Dia das Mães, o Atlético-PR jogou em casa contra seu xará Atlético-MG pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Após um primeiro tempo empolgante para os donos da casa, o segundo poderia ser esquecido. O Furacão levou uma virada inacreditável do Galo, e saiu vaiado pela torcida após o sexto jogo sem vencer.


#SÉRIE A
Por Giulie Carvalho

PRÉ JOGO: No duelo entre Atléticos, enquanto um time se sobressaía, o outro precisava, de todas as formas, tentar melhorar seu desempenho. O clube de Minas Gerais, que poupou jogadores importantes durante a semana pela Copa Sul-Americana, acumulava certa vantagem sobre seu adversário, já que perdeu apenas uma partida e ocupava a 7ª posição no Brasileirão. Para o Furacão a situação estava um pouco mais crítica, pois não ganhava há cinco jogos, tendo vencido apenas a primeira rodada do torneio na goleada sobre a Chapecoense. 

PRIMEIRO TEMPO: O início de jogo já deixou bem claro qual seria o posicionamento dos dois times: para frente. Aos 2', Bruno Guimarães pediu falta após ter ficado no chão depois de uma confusão no meio de campo, mas o árbitro não consentiu e Gustavo Blanco aproveitou a deixa para tentar abrir o placar. O volante subiu pelo lado direito, mas chutou fraco, deixando para o goleiro Santos pegar com tranquilidade.

Apesar da boa jogada, o camisa 30 do clube mineiro também fez o que seria o principal motivo de vaia dentro da Arena nesta tarde. Aos 6' fez falta dura em Renan Lodi, que foi atendido dentro de campo, tentou voltar, mas não conseguiu, sendo substituído por Wanderson logo nos minutos iniciais do primeiro tempo. O clima do jogo ficou tenso, e o  Furacão era quem possuía maior posse de bola, e consequentemente, quem chegava mais próximo de concretizar o objetivo da partida. Passados 17', Pablo teve a melhor chance até o momento ao chutar diretamente no canto direito do goleiro Victor, que se esticou inteiro para mandar a bola para escanteio. Na cobrança, José Ivaldo também teve boa mira, mas dessa vez passou à direita do gol.


Quase na metade da primeira etapa, Nikão tentou deixar o dele, e mais uma vez Victor foi quem salvou o Galo. Aos 23', a primeira chance clara do clube mineiro apareceu com o chute de Fabio Santos no alto do gol, que foi distanciada pelo camisa 1 do time rubro-negro proporcionando uma cobrança de escanteio para os visitantes. A bola parada não ajudou o Atletico-MG, e em menos de cinco minutos, Bruno Guimarães e Pavez já tinham disparado duas vezes contra o gol de Victor, que conseguiu defender todas as investidas do Furacão.

Mas, aos 30', o Atlético-PR conseguiu concluir suas tentativas e encantar a torcida. Numa cobrança de escanteio, Pablo recebeu livre para cabecear e encheu a rede do time adversário, que até então não parecia ter acordado para a partida mesmo após os sustos tomados. No entanto, depois de sair perdendo, criou duas oportunidades de gol em menos de dois minutos, e essas contaram com a participação de Ricardo Oliveira, que até o momento seguia quase apagado na partida.

O placar traduzia o que se via em campo. O Furacão era completamente superior ao Galo em todas as áreas das quatro linhas. Em uma das últimas oportunidades do alvinegro na primeira etapa, Róger Guedes cabeceou para o gol de Santos, mas a bola subiu muito e o atacante lamentou a chance perdida. O time curitibano ainda pressionou a defesa adversária, mas mesmo com os minutos adicionais, não havia tempo para mais nada, e foi para o vestiário com a vitória parcial por 1x0.

SEGUNDO TEMPO: Aplaudidos pela torcida, os donos da casa voltaram confiantes para disputar a etapa complementar. Os minutos iniciais foram rechedos de jogadas bonitas, canetas, passes certos, e tudo o que os atleticanos poderiam querer. Aos 2' Nikão meteu uma bomba para o gol, defendida, mais uma vez, por "São Victor", como a torcida alvinegra costuma chamar o número 1 do time mineiro.

Se de um lado Victor agradava aos poucos torcedores do Galo que estavam no Estádio Joaquim Américo, Santos também merecia seu reconhecimento por quem lotava a Arena. No entanto, a sorte do Galo pareceu mudar por conta das linhas de escanteio. Aos 8', após uma cobrança de Cazares, Brener apareceu sozinho para meter uma cabeçada que resultou no gol de empate da partida. Foi a virada de chave do time visitante, que voltou para o segundo tempo inspirado para mudar o placar do jogo.

Quatro minutos depois, o Galo aumentou a pressão de maneira inacreditável. Foram três cobranças de escanteio em menos de quatro minutos, uma jogada sensacional de Róger Guedes que carregou do meio de campo até a trave direita do goleiro Santos, e as diversas chances de virada dos visitantes. Aos 19', a "parede atleticana" fez o que pode ser um de seus maiores arrependimentos durante um bom tempo. Por ver que sua zaga sofria para afastar o ataque do time adversário, Santos se adiantou e, fora da área, meteu uma cabeçada no intuito de afastar a chance de gol. No entanto, Róger Guedes subiu tudo o que pode, e caprichosamente encobriu o goleiro, que via, desesperadamente, a bola entrar no gol.

A torcida da casa, nesse momento, viu a virada acontecer da maneira mais desagradável possível, mas ainda assim tentava incentivar os 11 jogadores que buscavam a vitória dentro das quatro linhas. Porém, não só não via o time reagir, como assistia ao Galo chegar com liberdade na grande área. Ricardo Oliveira, em menos de três minutos, conseguiu realizar duas boas jogadas, mesmo sem concretizar nenhuma delas. Mais da metade do segundo tempo havia se passado, e a pressão era toda do clube mineiro, que por mais que garantisse a vitória parcial do jogo, não parava de atacar e tentar a ampliação. Com 39', Thiago Carleto sofreu falta na entrada da área, e enxergou a possibilidade de deixar tudo igual na Arena da Baixada. No chute, mandou a bola para muito longe, e o Atlético-PR chegava perto de ter que lidar com o sexto jogo sem vencer.


Para piorar, Jonathan se machucou um minuto depois, e o Furacão ficou com um jogador a menos no restante do jogo, que ainda contou com quatro minutos de acréscimo. Aos 47', Santos fez uma defesa espetacular e foi aplaudido pela torcida, enquanto o restante do time, no término, teve de enfrentar as vaias de descontentamento com o resultado. Dessa forma, terminou a quinta rodada na Arena da Baixada: Atlético-PR 1x2 Atlético-MG.

PRÓXIMA RODADA: Durante a semana o Furacão irá receber o principal rival do Galo na Arena da Baixada: o Cruzeiro. O clube mineiro vem a Curitiba para disputar a primeira etapa das oitavas de final da Copa do Brasil, e irá encontrar somente a torcida rubro-negra no estádio, devido à medida tomada pelo Ministério Público do Estado do Paraná. Pelo mesmo campeonato, o Atlético-MG volta ao Sul do País, dessa vez contra a Chape, para tentar resolver o jogo de volta no tempo normal, e não levar a decisão para os pênaltis.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ATLÉTICO-PR: 1 Santos; 27 José Ivaldo; 8 Pavez (7 Raphael Veiga); 26 Thiago Carleto; 2 Jonathan; 15 Camacho; 39 Bruno Guimarães; 12 Renan Lodi (25 Wanderson); 11 Nikão; 92 Pablo; 17 Guilherme (91 Ederson). Téc. Fernando Diniz

ATLÉTICO-MG: 1 Victor; 4 Gabriel; 17 Bremer; 6 Fabio Santos; 30 Gustavo Blanco (20 Matheus Galdezani); 21 Adilson; 29 Patric; 27 Luan (7 Elias); 23 Róger Guedes; 11 Otero (10 Cazares); 9 Ricardo Oliveira. Téc. Thiago Larghi

FICHA TÉCNICA ATLÉTICO-PR 1X2 ATLÉTICO-MG XXXXXXXXXXX

GOLS: Pablo aos 30' do 1ºT (Atlético-PR); Brener aos 8' do 2ºT e Róger Guedes aos 19' do 2ºT.
CA: Gustavo Blanco e Bremer (Atlético-MG); Bruno Guimarães e Thiago Carleto (Atlético-PR).
ARBITRAGEM: Luiz Flávio de Oliveira.
ASSISTENTES: Emerson Augusto de Carvalho (1) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (2).
LOCAL: Estádio Joaquim Américo Guimarães, Curitiba



Tecnologia do Blogger.