PROPAGANDA

Vai começar a 55ª Taça Paraná!

Atual campeão, Fanático está de fora da competição em 2018 (Foto: Dudu Nobre/Agência DRAP)
Com apenas cinco clubes, principal competição do futebol amador estadual começa nesse domingo (08). A principal novidade é a ausência de equipes de Campo Largo, o que abre a possibilidade de novidades para conquista o caneco

#TAÇA PR
Por @GabrielSawaf

Defasada. Essa é uma palavra que já vem definindo a Taça Paraná faz alguns anos. Com problemas entre a regularização das ligas municipais e a Federação Paranaense de Futebol, o torneio ficou preso em equipes da Região Metropolitana. Apesar de não ser numerosa como era antigamente, a competição ainda tem o mesmo peso, sendo o principal objetivo do amador estadual, valendo vaga para o Sul Brasileiro.

Para 2018 as ligas convidadas foram as mesmas que em 2017: Curitiba (nas duas divisões), Araucária, Colombo, São José dos Pinhais e Guarapuava, além do atual campeão. Só que três equipes optaram em não participar devido a questões financeiras: Fanático (atual campeão), Internacional e Santíssima Trindade, este que preferiu disputar a Copinha após estudar sobre o que sairia melhor para o bolso do clube do Cajuru. A ausência da dupla de Campo Largo foi a maior surpresa, pois somente em uma ocasião nesta década a cidade não conquistou o torneio, em 2014.

Por conta disto, quem levantar o troféu da Taça será uma cara nova. O único dos cinco que já subiu no lugar mais alto do pódio foi o Iguaçu, que conquistou o torneio em 1973. Ano passado a taça conquistada nos anos 70 foi usada de amuleto para ver se retornava ao Butiatuvinha, mas o bicampeonato do Alvinegro parou em Jonas, que fechou o gol nas cobranças de pênaltis e deixou o título com o Fanático.

Iguaçu batue na trave em 2017 e espera sair da fila de 45 anos sem conquistar a Taça Paraná (Foto: Dudu Nobre/Agência DRAP)
Para 2018 o Galo chega como uma das principais equipes da competição. Vindo de um bicampeonato na Suburbana, o Iguaçu tem sua principal mudança no banco de reservas. Juninho deixou o comando técnico, dando lugar a Luizinho Netto, que seguiu no Egydio Pietrobelli com nova função. Mesmo com algumas saídas, alguns dos destaques do Galo permaneceram, como Hideo, Helton, Douglas e Emerson, fazendo com que o Alvinegro ficasse com um plantel forte.

Só que como em todas as edições da Taça Paraná, alguma equipe pega jogadores que estão “parados” na Suburbana e traz para seu plantel. Nos últimos anos quem fez isto foi a dupla Inter e Fanático, o que fez os times de Campo Largo levarem a taça. Em 2018 quem se credenciou a fazer isto foi o Atalanta. O escrete de São José dos Pinhais foi a grande surpresa do ano passado, chegando até a semifinal e batendo de frente com o Fanático, sendo eliminado sem perder para o Tricolor. Com o bom momento da cidade no futebol, marcado pela reinauguração do Estádio do Pinhão (onde mandará seus jogos) e o título da Terceira Divisão, o Aurinegro chega com a missão de manter o futebol do munícipio em bom nível e conquistar a primeira Taça Paraná para a cidade.

Atalanta quer surpreender ainda mais em 2018 e levar título inédito para o futebol são joseense (Foto: Cleiton da Cruze/Agência DRAP)
Entre as caras conhecidas dos curitibanos que estará atuando em São José dos Pinhais estão Marabá, Baloy, Jair, Grilo, Aroldo, Magu e Pequi. Coincidentemente todos estes atletas, com exceção de Pequi que estava no Iguaçu, foram campeões da Taça Paraná pelo Fanático ano passado.

O regulamento desse ano é um pouco esdrúxulo, com quatro equipes dentre as cinco avançando para as semifinais. Tal característica poderá permitir ver surpresas, que vem com apostas caseiras. O Jatoba, que representa Araucária, vem com muitos remanescentes do título da liga em 2017. A principal novidade é o meia Gema, que atuou ano passado pelo Vila Sandra na Taça Paraná. Outro nome do plantel Alviazul que merece destaque é o do goleiro João Vitor, que com apenas 17 anos foi uma das principais revelações da competição ano passado, quando defendia o Costeira. 

Além de Curitiba, só mais duas cidades que estarão representadas já ganharam a taça: Guarapuava e Colombo. O último título de uma equipe de fora da capita da louça foi do Bandeirante de Colombo, em 2014. Em 2018 a cidade será representada pelo União Guaraituba, que apesar de ser novidade como nome, não é no plantel, já que muitos jogadores já disputaram a competição por outros clubes do munícipio, sendo o plantel uma “seleção” da liga municipal. Dentre alguns nomes que atuaram ano passado pelo XV de Novembro estão o goleiro Paulo, o volante Elton, o meia Anderson e os atacantes Marcelo Mota e Carlão.

Aprovale é o unico representante do interior do estado (Foto: Gil Pereira/Agência DRAP)
Novamente a Aprovale será responsável por representar uma o estado do Paraná fora da RMC. A equipe de Guarapuava, cidade que tem uma Taça conquistada pelo Maderit em 2004, manteve a base que disputou a competição ano passado e conquistou o bicampeonato da liga municipal para tentar surpreender no torneio estadual. Para a alegria da galera do Twitter, o lateral direito Porco, que fez fama pelo apelido e por jogar de óculos, é um dos remanentes do Tricolor.

A Equipe DRAP está pronta para fazer a melhor cobertura da Taça Paraná. Em 2018, além de acompanhar os jogos do Iguaçu, também iremos ficar na cola da Aprovale! Vem com a gente e não perca nenhum lance da maior competição estadual do futebol amador!

Taça Paraná Juvenil
Em paralelo a competição principal, também é disputada o torneio juvenil. O campeonato é disputado pela terceira vez e em 2018 será disputado por quatro equipes: Ypiranga (Palmeira), Três Jardins (Araucária), Maderit (Guarapuava) e Nacional de Colombo. Os escretes se enfrentam em turno e returno e os dois melhores disputam a grande final. Nas edições anteriores, o Costeira de Araucária conquistou o bicampeonato. 

Tecnologia do Blogger.