PROPAGANDA

NOTA DE REPÚDIO AO DESRESPEITO/AGRESSÕES NO ESTÁDIO EMÍLIO GOMES



Sabemos o quão difícil é a inclusão de uma mulher no meio esportivo no Brasil, pois estamos no meio e enxergamos isso todos os dias com as mulheres de nossa equipe. Porém, o que aconteceu no fim do jogo entre Iraty e Operário, no Estádio Emílio Gomes, em Irati, não pode passar batido.

#NOTA
Por @doricoapobre

Ao final do jogo, um grupo com cerca de 20 torcedores do Iraty (entre eles algumas mulheres) se dirigiram próximo ao portão de serviço do campo de jogo. Nesse momento, as agressões verbais começaram para nosso fotógrafo e a assessora de imprensa do Operário Ferroviário Esporte Clube. Durante aproximadamente 15 minutos, vimos a nossa colega de profissão ser chamada de todos os adjetivos no tom de pejorativo que poderiam inferiorizar ela pelo simples fato de ser assessora da equipe adversária.

Nesse momento, nosso fotógrafo até tentou revidar as agressões pedindo respeito para a assessora. Isso, de algum modo, inflamou mais ainda os ânimos, já que as agressões verbais passaram para ameaças de agressões físicas. A Bia, nossa colega, continuou sendo a grande profissional que é, terminou seu serviço e seguiu seu rumo para o ônibus do Operário, mesmo sendo insultada de diversas formas por, simplesmente, estar trabalhando.

Nosso pedido é simples. É de uma forma que não agride a ninguém e batemos na mesma tecla de gigantes empresas de comunicação do Brasil: #DeixaElaTrabalhar.

Não esperamos nada além de respeito de ambos os lados, sejam eles profissionais da comunicação, torcedores, atletas ou dirigentes. Mas, enquanto estivermos sendo alvos de ameaças e vendo os colegas sofrerem do mesmo mal e nos escondermos, nada disso vai mudar. Não é questão de cultura, não é questão de espaço e nem questão de um time apenas. Afinal, diversas vezes vimos que as ameaças verbais estão presentes nos estádios em que participamos.

Hoje, mais do que nunca, a revolta é gigante. Sabemos de quanto o espaço no jornalismo esportivo se fecha para as mulheres e, quando existem vagas, temos que ver cenas brutais para qualquer pessoa. Não podemos aceitar mais piadas, xingamentos ou risos por conta de uma mulher estar no meio. Hoje, mais do que nunca, precisamos aceitar que elas vêm com tudo e vão dominar qualquer espaço aberto. Hoje, mais do que nunca, precisamos aprender a respeitar e admirar cada grande mulher que temos no nosso meio, seja profissional ou pessoal.

Fica aqui nossa revolta: ódio eterno ao futebol que cada vez mais compactua com ações dessas e enxerga rindo, ao canto do gramado, enquanto poucos tentam ajudar e combater os insultos.


NOTA IRATY xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Iraty Sport Club, por intermédio de sua assessoria jurídica, prestadas pelos advogados Dênis e Henrique, sócios da BLANKAL – Advocacia Desportiva, manifesta o seu repúdio às atitudes de covardia praticadas contra a Assessora de Imprensa do Operário, Bianca Machado, no último domingo (1), durante a partida ocorrida entre Iraty x Operário.

Desde que o clube tomou conhecimento da triste situação vivida pela profissional, através da ampla divulgação dos meios de comunicação, a postura foi de total apoio à profissional que ali estava realizando sua função e, infelizmente, foi alvo de palavras de cunho sexual no decorrer da partida.

Com a certeza de que a atitude não representa o IRATY SC e seus verdadeiros torcedores, repudiamos àqueles que se infiltram e acessam o estádio com o intuito diferente de torcer e promover o espetáculo.

Diante disso, a BLANKAL – Advocacia Desportiva e o Iraty Sport Club reforçam que estão a disposição para prestar total apoio jurídico a profissional Bianca Machado e que somos a favor de que novas profissionais continuem lutando conosco por um futebol para todos, sem desigualdades e sem preconceitos. 

Através do departamento jurídico, todo e qualquer ato de barbaridade será combatido pela instituição através das medidas judiciais cabíveis.


NOTA OPERÁRIO xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

O Operário Ferroviário Esporte Clube repudia a falta de urbanidade de alguns torcedores do Iraty Sport Clube, que ofenderam calorosa e gratuitamente a assessora de comunicação do OPERÁRIO, Bianca Machado, enquanto ela desempenhava as suas funções ao término do jogo na cidade de Irati.

O OPERÁRIO tem orgulho das mulheres que trabalham no clube e de todas àquelas que estão inseridas no esporte e que lutam diariamente para legitimar a sua participação em um ambiente muitas vezes machista e intolerante.

A Diretoria adotará as medidas cabíveis para que este ato não fique impune e expressa todo apoio e solidariedade a nossa profissional de comunicação.


NOTA FPF XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

A Federação Paranaense de Futebol (FPF) repudia veementemente os atos de violência ocorridos na partida do último dia 1º de abril, praticados por alguns poucos que se intitulam torcedores do Iraty Sport Club em desrespeito à profissional de Comunicação do Operário Ferroviário Esporte Clube, Senhora Bianca Machado, enquanto esta exercia o seu trabalho, na partida válida pela Primeira Rodada da Segunda Fase do Campeonato Paranaense de Futebol Profissional da Segunda Divisão, na cidade de Irati.

A FPF não tolera, em hipótese alguma, atos de tal natureza, pois causam enorme repugnância pelas condutas praticadas na ocasião, lamentando que ainda ocorram no meio esportivo, em ataque gratuito ao trabalho profissional feminino.

A FPF informa que acompanhará atentamente a todos os desdobramentos dos fatos, não medirá esforços em tomar todas as medidas cabíveis e possíveis perante as autoridades competentes, bem como fornecerá todo o apoio necessário ao Operário Ferroviário Esporte Clube, e, principalmente, a Senhora Bianca Machado, a fim de que os responsáveis pelas agressões morais não sejam acobertados pela impunidade..



Powered by Blogger.