PROPAGANDA

Com dois gols de Dinda, Capão Raso vira sobre o Olímpico e conquista primeira vitória na Copinha


As duas equipes buscavam o primeiro triunfo no certame e fizeram um primeiro tempo morno, com poucas emoções. Mas na segunda etapa o Olímpico saiu na frente com gol do reserva Gustavo. Mas a estrela do artilheiro apareceu e Dinda marcou duas vezes e garantiu a vitória do Tricolor já nos minutos finais de jogo.

#COPINHA
Por Yuri Casari

Pré-Jogo: Após um início ruim, o Capão Raso precisava se recuperar. Afinal, entrou na competição como um dos favoritos ao título. Já o Olímpico, que havia folgado na rodada anterior, tinha dois pontos em dois jogos e também buscava a vitória inédita no torneio deste ano.

Primeiro tempo: A partida começou com pouca movimentação, deixando os goleiros das equipes como meros espectadores. A primeira finalização de real perigo foi apenas aos 18 minutos, quando o lateral direito Rafa, do Olímpico, chutou com efeito de longe e obrigou Gênesis a se virar. O arqueiro tricolor voltou a fazer boa defesa aos 22 minutos, quando Diego ficou cara a cara com a meta.

A resposta do Capão Raso surgiu apenas aos 26. Gô lançou para Felipe, que tentou encobrir o goleiro André, que esperto no lance defendeu com tranquilidade. Já na casa dos 30 minutos o Capão Raso voltou a rondar a área do time da casa, e André ia aparecendo com boas intervenções. Já no fim da primeira etapa, a melhor chance do jogo. Aos 42, o camisa 10 do Olímpico, Léo, chuta muito forte de esquerda e Gênesis desvia para escanteio.



Segundo tempo: Já no intervalo o Olímpico resolveu ir atrás do resultado positivo. O técnico Neri Santos fez duas alterações, e uma delas se mostrou decisiva: para o bem e para o mal. Foram nove minutos corridos para a entrada do camisa 15, Gustavo, surtir efeito. O jogador recebeu em condições e tocou na saída do goleiro tricolor.

A partir deste gol o jogo passou a ser mais falado e toda decisão do árbitro passou a ser contestada de lado a lado. O Capão, com poucos reservas, começou a sentir o cansaço físico. Mas no ataque tricolor havia Dinda. O atacante passou o jogo sendo ironizado pela atuante torcida do Olímpico. “Comedor de Coxinha” passou a ser o codinome do camisa 9, que ainda não havia aparecido na partida. Mas aos 30 minutos, Dinda recebeu de costas, girou e bateu forte, empatando a partida e respondendo mostrando a barriga aos críticos.

Mas o Olímpico vinha bem no jogo, e logo na sequência teve tudo para voltar à frente do placar. Aos 32, Jeferson cobrou falta na área, Monstrinho desviou com um leve toque e acertou a trave. No lance seguinte, Gustavo, o mesmo que havia inaugurado o marcador, recebe praticamente embaixo da trave e manda por cima do gol, desperdiçando chance claríssima de marcar. E o erro custou caro ao Olímpico. O relógio já marcava 45 minutos do segundo tempo, quando em rápido contra-ataque, a bola caiu novamente nos pés de Dinda, que livre de marcação, só empurrou para as redes e mais uma vez apontou para a torcida adversária e definiu: “Não é coxinha, não! Aqui é massa!”



Próximo jogo: Na 5ª rodada da Copa de Futebol Amador de Curitiba, o Olímpico vai ao vizinho Grêmio Ipiranga na luta pela tão esperada primeira vitória. Já o Capão Raso, levemente recuperado, recebe o Santíssima Trindade.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXX

Olímpico: 1. André, 2. Rafa, 3. Dudu, 4. Rodrigo (12. Negao) e 6. Eduardo (20. Vinícius); 5. Jeferson, 7. Rafael, 8. Everton (19. Flávio) e 10. Léo; 9. Diego (15. Gustavo) e 11. Monstrinho (18. Paulo). T: Neri Santos.

Capão Raso: 1. Gênesis, 2. Everton, 3. Alex Paiva, 4. Jean e 6. Gô; 5. Adilson (13. Marcão), 7. Ricky, 8. Feijão, 10. Julianinho e 11. Felipe; 9. Dinda. T: Júnior Saurin.

FICHA TÉCNICA - OLÍMPICO 1X2 CAPÃO RASO XXXXXXXXXX

Gols: Gustavo, aos 9’ e Dinda, aos 30’ e 45’ minutos do 2º tempo.
Cartões amarelos: Jeferson (OLI); Adilson e Felipe (CAP).
Arbitragem: Adelmo Ferreira dos Santos.
Assistentes: Daniel Olivio Tschoke e Mauricio Costanaro Gonçalves


ENTREVISTAS XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX



Tecnologia do Blogger.