PROPAGANDA

Operário vence o REC de virada se garante na 2ª fase da Divisão de Acesso



O Estádio Germano Krüger recebeu o duelo entre Operário Ferroviário e REC na tarde de hoje (04), em confronto válido pela 5a rodada do Campeonato Paranaense da Divisão de Acesso. O Alvinegro de vila oficinas garantiu a classificação para a próxima fase do certame ao vencer o Rolândia de virada pelo placar de 4 a 1.


#ACESSO 2018
Por Allyson Santos

PRÉ-JOGO: Líder isolado na tábua de classificação, o Fantasma espera manter o ótimo retrospecto no certame. O Alvinegro de Vila Oficinas acumula o melhor ataque e a defesa mais sólida do campeonato e vem de goleada sobre a Portuguesa Londrinense por 4 a 0. O favoritismo do Operário é nítido diante do escrete de Rolândia que ainda não se firmou na Divisão de Acesso. No meio da tabela, o REC vem de empate em 0 a 0 contra o Batel na última rodada e tenta a primeira vitória fora de casa na competição. O técnico do Operário, Gérson Gusmão propõe alterações pontuais no elenco titular, o volante Chicão e dá lugar ao estreante Erick e o meia Cleyton retorna à equipe na vaga de Lucas Batatinha.

PRIMEIRO TEMPO: Um início de jogo bastante intenso por parte do fantasma marca os primeiros minutos. Em boa jogada pela meia cancha, o volante Índio lança Cleyton em profundidade. O ponta-esquerda alvinegro cruza rasteiro para Schumacher, que briga com o zagueiro e finaliza forte no canto inferior da meta visitante, obrigando o goleiro Guilherme a fazer a primeira grande defesa da partida. No momento em que o Operário ditava o ritmo do duelo, foi o REC quem surpreendeu e abriu o placar no Germano Krüger. Após troca de passes na faixa central do campo, o camisa onze Gabriel observa o goleiro Simão adiantado, arrisca uma bela finalização por cobertura e abre o placar.

O Fantasma não sente o gol e parte para cima do adversário através cruzamentos e jogadas de linha de fundo, principais armas do time da casa no campeonato. Com uma defesa muito bem postada, o Rolândia não dá chances ao Operário e joga apenas a espera de mais uma falha na marcação alvinegra.  Muitas faltas dão sequência ao embate, e justamente em uma delas surge mais uma grande chance de gol. Jean Carlo cobra infração na entrada da área, finaliza direto e a bola passa rente à meta defendida por Guilherme. O tempo passa e a torcida começa a ficar impaciente com a falta de efetividade do escrete de Vila Oficinas.

Em mais um momento de pressão operariana, surge o tento de empate. Mais uma vez Jean Carlo alça bola na área pelo lado direito de ataque buscando o zagueiro Yuri, o camisa quatro é deslocado pela marcação e sofre penalidade. Destaque da partida até o momento, o próprio Jean é quem parte para a cobrança. Em batida forte e cruzada de perna esquerda, o camisa onze iguala o marcador. O REC, que antes fazia uma partida segura dentro de suas limitações, agora sente o gol sofrido. Ainda na reta final da primeira etapa, aos quarenta e quatro minutos, chega a virada. Robinho avança pelo lado esquerdo da defesa visitante e dá passe em profundidade para Cleyton, que dribla o marcador e toca para Erick apena empurrar para o gol vazio. O Operário justifica o amplo domínio das ações do jogo e vai para o vestiário com a vitória parcial.  A postura recuada e a falta de lucidez do Rolândia ao longo do confronto foram determinantes para o resultado de momento.


SEGUNDO TEMPO: A partida segue brigada após as discussões no vestiário.  Os dois escretes lutam por espaço a todo momento e o árbitro começa a distribuir cartões amarelos em faltas mais agudas. O time da casa segue impondo seu estilo de jogo. Após cruzamento na área do REC, a bola sobra para Cleyton na ala esquerda de ataque, o camisa sete do fantasma consegue ótimo cruzamento na cabeça de Quirino, que, em seu primeiro toque na bola, amplia para o Operário. A entrada do camisa dezenove sem dúvida deu mais consistência na parte ofensiva da equipe da casa. Os líderes da Divisão de Acesso passam a criar chances mais claras de gol e as chances perdidas apenas aumentam. Em mais um lançamento na grande área foi a vez do zagueiro Yuri subir mais alto que a defesa adversária e cabecear forte no canto esquerdo para outra grande defesa de Guilherme.

Em raras chances de gol, o Rolândia leva perigo à meta de Simão. Em cobrança de falta na entrada da área Gabriel bate forte no canto direito e a bola passa muito próximo das traves operarianas. O REC sofre com dificuldades na criação de jogadas e se torna refém do padrão tático muito bem estabelecido pelo Fantasma. Entre os destaques do Alvinegro vale citar o Volante Erick e o Meia-esquerda Cleyton, ambos muito contestados no início da temporada aproveitaram a chance oferecida pelo técnico Gérson Gusmão. Mas quem fechou a goleada operariana foi o Centroavante Schumacher. Após linda jogada de Índio pela ala esquerda, o camisa nove finaliza com tranquilidade e encerras as atividades no Germano Krüger.

Já garantido na segunda fase do certame o Operário viaja para enfrentar o Cascavel no próximo domingo (11) no Estádio Arnaldo Busatto. Já o REC tentará a recuperação dentro de casa contra o Independente de São José dos Pinhais, uma das grandes surpresas da competição.


OS ESCRETES xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Operário: 1-Simão, 2-Danilo Baia (14-Léo), 3- Alisson, 4-Yuri, 5-Erick, 6- Peixoto, 7- Cleyton (23-Gil Paraíba), 8-Índio, 9-Schumacher, 10-Robinho, 11-Jean Carlo (19-Quirino). Tec. Gérson Gusmão.

REC: 12- Guilherme, 2-Weslen (23-Rudson), 3- Cesar, 4- João Pedro, 5- Leandro, 6- Jhonatan, 7- Rudinei, 8-Marcos Roberto, 9-Edinan, 11- Gabriel, 24- Bruno Ernandes (10-Bruninho)

FICHA TÉCNICA – OPERÁRIO 4 X 1 REC xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Gols: Gabriel (REC) aos 8’ // Jean Carlo (OFEC), Erick (OFEC), Quirino (OFEC), Schumacher (OFEC)
CA: Bruno Fernandes (REC) e Cesar (REC) // Índio (OFEC)
Árbitro: Cleberton Ponce da Silva
Assistentes: Roberto Rivelino dos Santos Junior (1), Reube Dobrychlop dos Reis (2)
Local: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa.
Público e Renda: 2479 (total) e Renda: 48370 reais.


Tecnologia do Blogger.