PROPAGANDA

Com atuação sonolenta, Coritiba vence o Cianorte pela contagem mínima


O Coritiba voltou a vencer no Couto Pereira ao derrubar o invicto Cianorte pelo placar de 1 a 0. O resultado, entretanto, não acabou com a insatisfação do torcedor, que viu uma equipe apática e muito fraca ofensivamente.

#PR2018
Por Yuri Casari

Pré-jogo: Apesar dos percalços, o ano do Coritiba parecia tranquilo, principalmente após o título do primeiro turno do Campeonato Paranaense. As atuações eram de um time em formação, com boa margem para evolução, mas que tinha muitas debilidades técnicas. A situação ficou evidente no segundo turno. O Coritiba já está eliminado desta fase, sem nenhuma vitória e recebeu o Cianorte apenas para cumprir tabela. Situação oposta vive o Cianorte, até então invicto na competição – única equipe ao lado do Atlético nesta condição.

Primeiro tempo: Com a ausência da Império Alviverde, o recado da torcida era claro e estava estampado em uma faixa: “Eu sinto saudade de quando o Coxa jogava com vontade”. O silêncio que gritava no Alto da Glória deveria chacoalhar os atletas, mas não foi o que se viu na primeira etapa. Enquanto o invicto Cianorte era organizado e compenetrado, o Coxa era displicente e sonolento.

A charanga da Curva 1909 tentava trazer alguma animação ao jogo, mas até o sopro dos instrumentos foi perdendo força. O melhor momento da partida foi na metade do primeiro tempo. Aos 22, o Leão do Norte quase abriu o placar. Rafael Xavier cruzou pela lado esquerdo na medida para Neto Costa, que livre de marcação cabeceou sem sair do chão, mas Wilson estava lá para salvar o Coritiba. Aos 24, foi a vez do time da casa ter sua melhor chance. Após boa trama, Pablo chutou forte e João Gabriel espalmou para longe.

O melancólico empate sem gols era certo, até que em um cruzamento de Richarlyson pela esquerda – o lado mais efetivo do Cianorte – Léo Andrade tentou afastar e desviou a bola. O juiz viu toque de mão e assinalou a penalidade. A cobrança ficou a cargo do capitão Richarlyson, que fazia um duelo particular com seu irmão Alecsandro, em tarde de homenagens ao ídolo alviverde Lela, pai dos dois boleiros. Na cobrança, Ricky bateu no canto direito de Wilson, que pulou de forma certeira e de novo apareceu com destaque. Foi o terceiro pênalti defendido por Wilson em 2018.


Segundo tempo: A desatenção alviverde talvez tenha invadido o vestiário visitante, porque com apenas dois minutos, o Cianorte armou uma trapalhada que colocou a atuação da equipe por água abaixo. Julio Rusch cobrou escanteio, a bola desviou no meio do caminho e foi próxima do segundo pau. O goleiro João Gabriel tentou afastar, se chocou com um companheiro de time e acabou empurrando para a própria meta. Gol que praticamente nem foi comemorado pelos atletas.

O gol poderia fazer o Coritiba se empolgar, mas nada mudou. Com exceção do lance seguinte, em que Pablo perdeu grande chance em jogada de escanteio, finalizando pelo lado de fora do gol. O Cianorte seguiu melhor na partida, com mais posse de bola e criando mais oportunidades, como na boa jogada de Xavier, aos 19 minutos, que passou por Romércio e Julio Rusch, mas parou em mais uma boa defesa de Wilson. Aos 24, outra boa oportunidade do Leão do Norte, com Edilson, que disparou pela esquerda, invadiu a área e encheu o pé, mas Wilson estava lá para impedir o empate. Destaque absoluto.

A horrorosa atuação alviverde, apesar da vitória, teve a “cereja” do bolo aos 38 minutos, quando Alecsandro tocou rasteiro para o meio da área e Yan Sasse perdeu gol inacreditável. Em um jogo de plena incompetência coxa-branca, foi preciso de um erro adversário para quebrar a sequência ruim de resultados e voltar a vencer no Couto Pereira.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Coritiba: 84. Wilson, 22. Marcos Moser, 4. Romércio, 6. Léo Andrade e 2. César Benítez; 31. João Paulo, 8. Julio Rusch, 20. Matheus Galdezani e 37. Thiago Lopes (70. Yan Sasse); 92. Pablo (77. Guilherme Parede) e 9. Alecsandro. T: Sandro Forner.

Cianorte: 12. João Gabriel, 2. Guilherme Lucena (14. Gerônimo), 3. Marcao, 4. Feliphe Gabriel e 6. Formiga; 5. Morelli, 8. Carrilho, 7. Murilo, 20. Richarlyson (11. Maikinho) e 10. Xavier (16. Edilson); 9. Neto Costa. T: Marcelo Caranhato.

Ficha Técnica: Coritiba 1x0 Cianorte XXXXXXXXXXXX

Gol: João Gabriel (contra) aos 2’ d 2º tempo.
Cartões amarelos: Pablo e Alvarenga (Coritiba)
Arbitragem: Adriano Milczvski.
Assistentes: Luiz Paulo Galli e Alexsandro Euzébio da Silva.
Local: Couto Pereira.


Tecnologia do Blogger.