PROPAGANDA

Em partida de nove gols, Atlético vence o Tubarão e avança na Copa do Brasil


Na noite desta quarta-feira (21), Atlético Paranaense e Tubarão se enfrentaram em partida válida pela 2ª fase da Copa do Brasil. Em dois tempos distintos e com um jogo de quatro viradas, Atlético e Tubarão proporcionaram um embate de nove gols. Sorte para o time paranaense, que anotou o último gol aos 47' do 2º tempo e decretou a vitória e o time na próxima fase da Copa do Brasil.


#COPA DO BRASIL
Por Luiz Kozak

PRÉ-JOGO - O time comandado por Fernando Diniz precisava convencer a torcida após o empate com o Caxias na primeira fase, defendendo seu favoritismo por jogar em casa diante de um time de menor expressão do cenário nacional, para afastar de vez qualquer possibilidade de zebra diante dos catarinenses. Com a mesma equipe titular que viajou a Caxias do Sul, Fernando Diniz começa a dar forma ao seu projeto no Furacão.
PRIMEIRO TEMPO - O Atlético começou jogando adiantado, pressionando os visitantes no campo de defesa. Logo aos 50 segundos, o rubro-negro pediu pênalti em Ribamar, mas o árbitro marca apenas o escanteio. Na cobrança, Paulo André cabeceia para fora. Aos cinco minutos, pressão atleticana. Guilherme recebe bola na entrada da área e exige boa defesa do goleiro Junior. Dois minutos depois, o Tubarão reage. O meia Guilherme Amorim recebe cruzamento da esquerda, mas fura na hora do chute, soltando o grito de alívio da torcida na Arena. Aos oito minutos, o atleticano Guilherme aparece mais uma vez, cruza para Jonathan que entra livre na área, chuta forte e a bola para no goleiro Junior e na trave, indo para escanteio. Boa chance para o time da casa.
Durante a primeira metade do primeiro tempo, o Atlético impôs sua forma de jogo, mas teve dificuldade para chutar a gol. O Furacão abusava dos cruzamentos na área. Aos vinte e seis minutos, Jonathan chega à linha de fundo e cruza para Ribamar que, sozinho, cabeceia fraco para fora. Três minutos depois, Carleto novamente joga a bola perto da meta do Tubarão, encontrando Rosseto livre, que não aproveita a oportunidade.
Aos trinta e sete, novamente Rosseto recebe bola no meio e chuta para fora. Guilherme, o melhor em campo do lado rubro-negro, arrisca da ponta esquerda e exige boa defesa do goleiro Júnior. Aos quarenta e três, boa jogada de Nikão pela direita. O meia chega a linha de fundo, rola para trás e Guilherme chuta fraco no meio do gol. A torcida atleticana começa a criticar a atuação do time, apesar do domínio da posse de bola e das intenções de ataque do Furacão. Ao fim do primeiro tempo, os donos da casa saem vaiados de campo.

SEGUNDO TEMPO - Para a segunda etapa, Fernando Diniz saca Ribamar, o mais criticado do lado atleticano, e coloca Bergson. Logo no primeiro minuto o Tubarão aproveita contra-ataque com o centroavante Batista, que dribla Paulo André, mas chuta sem direção, por cima do gol de Santos. Pressionado pela torcida, o Atlético entra nervoso, trazendo o adversário para o seu campo de defesa. Em um contra-ataque rápido aos seis minutos, a alteração de Diniz surte efeito. Bergson recebe cruzamento da esquerda e de carrinho completa para as redes. 1x0 para o Atlético.
O gol acorda os visitantes. Quatro minutos depois, em falta próxima a direita da meta de Santos, Matheus Barbosa sobe sozinho para empatar. 1x1 na Arena. os quatorze, bola rebatida em frente a área do Tubarão e Carleto bate cruzado para fora. Rubro-negro, mesmo nervoso, manda na partida. Quatro minutos depois, Batista de cabeça coloca o Tubarão na frente, levando a torcida do Atlético a gritar “vergonha” para o time em campo.
Precisando reverter o placar, Diniz coloca Lucho González em campo aos dezenove minutos, no lugar do zagueiro Wanderson. A substituição funciona, o time adianta sua marcação e aos vinte e quatro Rosseto aproveita o rebote do goleiro e empata a partida: 2x2. Aos trinta minutos, pênalti para o Atlético. Guilherme vai para a cobrança e coloca o Furacão na frente novamente, mas a vantagem durou apenas três minutos. Após escanteio, Lucas Costa cabeceia sem chances para o goleiro Santos. 3x3 na Arena.
Aos trinta e seis, Bergson entra na área e bate cruzado para fora. Boa chance para o Atlético. Três minutos depois, após falha da zaga atleticana, a bola sobra para Daniel Costa que recoloca o Tubarão na frente, tocando na saída de Santos. 4x3. O Atlético vai para cima do time catarinense, apoiado agora pela torcida que entende o bom momento do setor ofensivo. Aos quarenta e quatro, após cruzamento de Nikão, Thiago Heleno empurra para as redes. 4x4.
O jogo continuava eletrizante. A Arena da Baixada voltou a relembrar o “Caldeirão” de outros tempos e aos quarenta e sete, Gedoz chuta de fora da área e garante a classificação do Atlético. 5x4. Com o resultado, o rubro-negro enfrentará na próxima fase o Ceará, que eliminou o Londrina no Estádio do Café.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
Atlético/PR - Santos, Wanderson (Lucho González), Paulo André, Thiago Heleno; Jonathan, Rosseto (Felipe Gedoz), Raphael Veiga, Carleto, Nikão; Guilherme, Ribamar (Bergson). Técnico: Fernando Diniz.
Tubarão -  Junior Belliato, Marcus Vinicius, Jailton, Peterson (Lucas Costa), Jean; Matheus Barbosa, Everton Dias, Guilherme Amorim, Daniel Costa, Nikolas Farias; Batista (David Batista). Técnico: Waguinho Dias.
FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO 5 X 4 TUBARÃO XXXXXXXXXXXX

Gols: 6’ 2° Bergson, 10’ 2° Matheus Barbosa, 18’ 2° Batista, 24’ 2° Rosseto, 30’ 2° Guilherme, 34’ 2° Lucas Costa, 39’ 2° Daniel Costa.
Cartões: 17’ 2º amarelo para Bergson.



Tecnologia do Blogger.