PROPAGANDA

Em confronto elétrico, Paraná e Londrina ficam no empate em 1 a 1


Foto: Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube
Neste domingo (28) Paraná e Londrina se enfrentaram na Vila Capanema. O Tricolor precisava dar uma resposta positiva a sua torcida e entrou ligado, abrindo o placar logo aos quatro minutos, com Neris, e se mantendo melhor na primeira etapa. Mas na segunda etapa o cenário se inverteu e o LEC entrou melhor e, beneficiado com as alterações de Ricardinho, chegou ao empate em gol de Carlos Henrique e conseguiu segurar o empate, mesmo com a pressão paranista nos minutos finais. Agora ambos os escretes focam na Copa do Brasil, a quão farão a estreia no meio da semana.

#PARANAENSE 2018
Por @gabrielsawaf

PRÉ-JOGO – Antes de estrearem em competições nacionais na temporada, Paraná e Londrina se encararam pela 3ª rodada do Paranaense 2018, com objetivos bem opostos. O Tricolor precisava chegar a primeira vitória do ano. Para isto, o treinador Wagner Lopes não poupou os titulares para o duelo no meio da semana contra o URT, indo com o time titular. A principal novidade paranista estava no banco, com a presença de Lucas Fernandes no banco. Já o Tubarão vinha de uma vitória no clássico diante o Maringá e queria embalar de vez na competição, tendo a chance de alcançar o líder do Grupo B, Atlético. O técnico Ricardinho promoveu três alterações em relação ao time que venceu o Maringá no meio da semana. Del’Amore no lugar de Luizão, Moises no lugar de Germano e Marcinho no lugar de Anderson Leite. No banco, o destaque era a presença de Miullen, que foi o destaque do Tuba na Copa São Paulo.   O clima era de clássico na Vila Capanema, já que a rivalidade entre os escretes cresceu após a disputa pelo acesso até a última rodada da Série B do ano passado.

PRIMEIRO TEMPO -  O duelo começou muito pegado, com muitas faltas e jogadas mais duras, com os jogadores paranistas se mostrando ligados no 220 dentro de campo. Além de estar mais “pilhado”, o Tricolor também estava mais ligado na partida. Aos três minutos Felipe Augusto fez boa jogada pela esquerda e cruzou fechado, para boa defesa de César. No minuto seguinte o Paraná teve uma falta na entrada da área. João Paulo levantou, a defesa não conseguiu rebater com precisão e sobrou oferecida para Neris, na marca do pênalti, que soltou o canudo e abriu o placar na Vila Capanema.

O gol dos donos da casa deixou o confronto ainda mais elétrico. Os jogadores do Tricolor queriam mostrar compromisso ao torcedor, chegando firme nas divididas e dando bicudas para onde apontava o nariz. Os atletas do Tuba tiveram que ir para cima e abandonaram a postura mais precavida que pareciam adotar no começo do confronto. Enquanto isto os goleiros observavam a bola passar longe devido ao jogo mais truncado e parado no meio de campo.

Novamente a oportunidade veio na bola parada. O Paraná chegou aos 21 minutos após cobrança de escanteio de Zezinho na cabeça de Charles, que ganhou de Silvio e testou para fora. A primeira oportunidade do Londrina no jogo foi aos 24. Carlos Henrique foi lançado na direita, ganhou de Junior, tirou o goleiro Thiago Rodrigues, que saiu mal, da jogada com um toque de cabeça, mas foi bem cercado por Neris, que protegeu e deixou a bola sair. O Tricolor assustou novamente em bola parada, aos 28. Após cobrança de escanteio, Charles escorou para o meio da área, Zezinho fez bem o pivô para Zé Carlos, que chutou para defesa em dois tempos de César.

Na parte final da primeira etapa foi a vez do Londrina usar do feitiço que atormentou a sua defesa. Aos 35 minutos Marcinho cobrou falta forte, Thiago Rodrigues foi obrigado a espalmar para o meio da área, e a bola sobrou para área Carlos Henrique, que testou para as redes, mas estava em posição de impedimento que foi assinalada pelo auxiliar. Dois minutos depois Marcinho cobrou escanteio na cabeça de Silvio, que balançou a rede por cima. A pressão visitante não surtiu muito efeito, sem outras possibilidades de gol. Sendo que quem chegou foi o Paraná, aos 46. Alex Santana inverteu o jogo para a direita com Alemão, que tocou para Zé Carlos e chutou para a boa defesa de César, evitando que o Tricolor ampliasse o placar antes do intervalo.

SEGUNDO TEMPO – Buscando o empate na segunda etapa, o treinador Ricardinho veio com duas alterações do intervalo. Colocando Wesley e Rodrigo Figueiredo em ação, sacando Marcinho e Thiago Primão. As alterações lançaram o Tubarão mais à frente, porém não geraram chances alvicelestes nos minutos iniciais. Tentando animar seu time para manter o domínio durante a segunda etapa, o treinador Wagner Lopes promoveu a estreia de Lucas Fernandes, colocando o ex-jogador do Atlético no lugar de Zezinho. A primeira chance da segunda etapa foi do LEC, aos 12. Wesley puxou jogada pela esquerda e cruzou na área, Thiago Rodrigues afastou em primeiro momento, mas a bola sobrou limpa para Carlos Henrique, que não balançou as redes por conta do pé de Naris, que foi providencial na pequena área e tirou o perigo.

O Tubarão seguia melhor na partida, mantendo o domínio de bola. O treinador Wagner Lopes tentou reanimar o Tricolor no jogo, colocando Gabriel Pires no lugar de Zé Carlos. Mas a pressão do Tuba deu resultado aos 21 minutos. Rodrigo Figueiredo deu belo lançamento nas costas da defesa para Carlos Henrique. O artilheiro não perdoou e deu um tapinha para tirar Thiago Rodrigues e igual o marcador.

Assim como no clássico diante o Atlético, o Paraná se mostrou mais nervoso, deixando isto evidente em ataques construídos de forma desesperada. Aos 32 a chegada tirou o grito de quase da garganta. Gabriel Pires inverteu a jogada para João Paulo na esquerda, o meia cruzou e Felipe Augusto cabeceou para à direita do gol. A última sacada de Wagner Lopes foi colocar o volante Wesley Dias no lugar de Alex Santana. O escrete paranista tentou desencadear uma forte pressão nos minutos finais, mas não conseguia acertar o último. Já o Tubarão ficou por poucos metros de virar o jogo num contra-ataque. Com o apito final, a paciência da torcida do Paraná foi para o espaço, e vaias e cantos de protestos foram ecoados na arquibancada da Vila Capanema. 


O foco dos clubes agora se volta para a Copa do Brasil. O Londrina vai até Rondônia, encarar o Real Ariquemes na quarta (31). Já o Paraná viaja até Patos de Minas, para duelar frente a URT na quinta (01). Em ambos os jogos, os escretes paranaenses jogam por um empate.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ: 1. Thiago Rodrigues; 2. Alemão, 3. Charles, 4. Neris e 6. Júnior; 5. Leandro Vilela, 8. Alex Santana (17. Wesley Dias), 11. Zezinho (20. Lucas Fernandes) e 10. João Paulo; 7. Felipe Augusto e 9. Zé Carlos (18. Gabriel Pires). Técnico: Wagner Lopes.

LONDRINA: 1. César; 2. Matheuzinho, 3. Dirceu, 4. Del’Amore e 6. Silvio (15. Lucas Áfrico); 5. Rômulo, 7. Marcinho (17. Wesley), 8. Moisés e 10. Thiago Primão (20. Rodrigo Figueiredo); 9. Carlos Henrique e 11. Gustavo Tocantins. Técnico: Ricardinho.
.
 FICHA TÉCNICA – PARANÁ 1 X 1 LONDRINA XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

ARBITRAGEM: Adriano Milczvski.
ASSISTENTES: Diogo Morais (1) e Sandra Maria Dawies (2).
GOLS: Neris, aos 4’ do 1ºT (Paraná); Carlos Henrique, aos 21’ do 2ºT (Londrina).
CARTÕES AMARELOS: Charles e João Paulo (Paraná); Cesar (Londrina).




Powered by Blogger.