PROPAGANDA

Atlético vence o clássico na Vila Capanema e é o único 100% do Paranaense

Miguel Locatelli/Site Oficial do Atlético-PR
Nesta quarta (24) aconteceu o primeiro clássico do Paranaense 2018. Paraná e Atlético se enfrentaram na Vila Capanema, com o Tricolor buscando a primeira vitória e o Furacão manter o embalo. Com bola rolando, o escrete paranista teve a chance de sair na frente com Zé Carlos de pênalti, que parou em defesa sensacional de Santos. O goleiro poderia ser o nome do jogo, mas foi João Pedro, que voltou a atuar na Vila Capanema e foi o nome do Rubro Negro no jogo, marcando um golaço, dando um levantamento na cabeça de Léo Pereira e tocando para Felipe Dorta, decretando a vitória atleticana por 3 a 0.


#PARANAENSE
Por @gabrielsawaf

PRÉ-JOGO – O primeiro clássico do ano foi recheado de expectativas. O clássico da Engenheiros Rebouças, ou ParaTico como preferir, agitou a Vila Capanema. O derbi da capital marcava o reencontro da torcida paranista com Léo e João Pedro. O meia foi ovacionado, mas o goleiro foi vaiado. Os donos da casa vinham com novidades na escalação, estreando o goleiro Thiago Rodrigues e o atacante Zé Carlos e também contando com o retorno de Leandro Vilela, que voltava de lesão. Já no lado rubro negro as novidades eram o goleiro Santos e o ex-camisa 10 do Tricolor.

PRIMEIRO TEMPO -  O clássico começou de forma bem estudada. O Atlético, como já é de costume, tentava ficar mais com a bola no pé. O Paraná buscava jogar em velocidade, aproveitando vacilos atleticanos. Aos quatro minutos Alemão aproveitou um escanteio, arrancou pela esquerda e tocou para João Paulo, o meia bateu por cima do gol. No minuto seguinte foi a vez de Zezinho arrancar pela direita e só parar na área, derrubado por Léo Pereira. Pênalti, Zé Carlos, que estava estreando no Tricolor cobrou e parou em defesa sensacional de Santos, que acertou o canto e espalmou para fora.

Mesmo com a chance perdida, o Tricolor ficava mais coma bola e confundia a marcação atleticana, com inversões entre Alemão e Zezinho. Aos 13 minutos veio mais uma chance paranista, após troca rápida de passes, uma bola rolada por Zé Carlos para Alemão, que chutou colocado e parou em mais uma defesa sensacional de Santos.   

Passados os 20 minutos de jogo, o confronto ficou muito morno. O Atlético não conseguia exercer completamente o seu estilo de jogo. Já o Paraná se mostrou muito nervoso, errando muitos passes e sentido falta do gol perdido por Zé Carlos na marca do cal. O duelo principal se concentrou nas arquibancadas, com as torcidas fazendo bonitas festas e disputando quem cantava mais alto na Vila. A fase morna foi interrompida aos 27 minutos, quando o Furacão teve sua primeira chance. Giovany levantou da esquerda e bola encontrou Zé Ivaldo no meio da área, completamente sozinho, mas o zagueiro cabeceou para fora.

Na parte final da primeira etapa o Furacão conseguiu controlar mais a partida, atuando ainda mais pelas pontas. Aos 36 minutos o ataque atleticano foi fatal. Cascardo foi até a direita e tocou para João Pedro, que, de fora da área, puxou para dentro e soltou um foguete no ângulo, abrindo o marcador na Vila Capanema com um golaço. A vantagem rubro negra se transformou em domínio, que aproveitou do nervosismo paranista e controlou a partida até a chegada do intervalo. O Tricolor tentava, mas pecava e desperdiçava jogadas que poderiam ser produtivas.

Miguel Locatelli/Site Oficial do Atlético-PR
SEGUNDO TEMPO – O Paraná voltou com tudo para buscar o empate, adiantando as linhas e ficando mais no campo ofensivo. Para empolgar ainda mais o começo de jogo do tricolor, Vitor Feijão entrou aos seis minutos, no lugar de Igor. Só que no minuto seguinte a defesa paranista deu bobeira na saída de bola, Giovany arrancou pela meia cancha e tocou para Yago, que chutou à direita do gol. O baque inicial não se manteve e o time da casa não conseguiu chegar mais com o mesmo poder ofensivo.

Aproveitando o melhor momento na partida, o Atlético usou da estratégia feita pelo Tricolor, invertendo as pontas entre Yago e Giovany e mantendo a aposta, com a entrada de Felipe Dorta no lugar do camisa 7, para tentar movimentar mais ainda o ataque rubro negro. O Paraná tentou se reanimar no jogo, com a entrada de Gabriel Pires no lugar Alex Santana. A primeira oportunidade do time da Vila Capanema na segunda etapa foi aos 25 minutos, com cobrança de falta de Zezinho na meia lua, que passou pela barreira e também passou próxima ao gol. Aos 29 minutos o Furacão voltou a assustar. Renan Lodi lançou João Pedro na entrada da área, que finalizou e foi travado por Neris, que chegou na hora certa. Na cobrança de escanteio, o camisa 10 colocou na cabeça de Léo Pereira, que balançou as redes pela segunda vez.

Com a vantagem atleticana, o dilúvio desabou na Vila Capanema, que ajudou na saída da torcida do Paraná do estádio e inflamou a festa atleticana. No campo, Léo Pereira retardou o início de jogo e foi expulso. E a festa ficou ainda maior aos 46 minutos. Demethryus tentou finalizar, a defesa travou, a bola sobrou para João Pedro, que tocou para Felipe Dorta, que só tocou para o fundo das redes, fechando o marcador na Vila. 

Agora o Atlético tenta manter o 100% de aproveitamento diante o Cianorte, no próximo sábado (27) na Baixada. Já o Paraná busca a primeira vitória diante o Londrina, no domingo (28), novamente na Vila Capanema.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ: 1. Thiago Rodrigues; 2. Júnior, 3. Charles, 4. Neris e 6. Igor (17. Vitor Feijão); 5. Leandro Vilela, 8. Leandro Vilela (18. Gabriel Pires), 11. Zezinho (16. Felipe Augusto) e 10. João Paulo; 7. Alemão e 9. Zé Carlos. Técnico: Wagner Lopes.

ATLÉTICO: 1. Santos; 2. Cascardo, 3. Zé Ivaldo, 4. Léo Pereira e 6. Renan Lodi; 5. Deivid, 8. Bruno Guimarães, 7. Giovany (19. Felipe Dorta), 10. João Pedro e 11. Yago (18. Demethryus); 9. Ederson (13. Emerson). Técnico: Tiago Nunes.

FICHA TÉCNICA – PARANÁ 0 X 3 ATLÉTICO XXXXXXXXXXXXXXX

ARBITRAGEM: Rhodolfo Toski.
ASSISTENTES: Bruno Boschilia (1) e Daniel Cotrim de Carvalho (2).
GOLS: João Pedro, aos 37’ e 1ºT, Léo Pereira, aos 30’ e Felipe Dorta, aos 46' do 2ºT (Atlético).
CARTÕES AMARELOS: Zezinho, Alex Santana e Gabriel Pires (Paraná); Léo Pereira e Deivid (Atlético).

CARTÕES AMARELOS: Léo Pereira (Atlético).


Tecnologia do Blogger.