PROPAGANDA

A prioridade é o 2º semestre


Rebaixamento para a Série B do Brasileirão deixa Paranaense em segundo plano para a torcida coxa-branca, que ainda terá que ter paciência com o início de trabalho do novo treinador Sandro Forner.


#PARANAENSE 2018

A confirmação do rebaixamento para a segunda divisão nacional, fez com que o Campeonato Paranaense se tornasse um objetivo secundário nos planos do Coritiba para 2018. Para o torcedor, impaciente com o papel de coadjuvante do clube no cenário nacional, a única coisa que interessa no ano é a Série B. Voltar logo no primeiro ano de rebaixamento é questão de honra e também de finanças, já que o Alviverde possui dívidas de cerca de R$ 15 milhões, de acordo com o novo presidente Samir Namur.

Com tudo isso, o Paranaense acaba não passando de um laboratório para o novo treinador Sandro Forner, que subiu do sub-20 para assumir a equipe principal. O desafio é fazer render uma equipe com poucos reforços e com muitos garotos da base. Até o momento, os principais contratados foram o lateral-direito Cesar Benítez, ex-Olímpia e que já havia passado pelo clube em 2015 e o volante Wellington Simião, ex-Avaí. 

A grande aposta está centrada nos “piás do Couto”. Jogadores como o atacante Mosquito e o volante Julio Rusch são conhecidos da torcida antes mesmo de atuarem pelo time profissional, e muito se espera deles em um ano de poucos investimentos. Apesar dos problemas e da falta de foco, o Coritiba ainda é um dos favoritos ao título. Afinal, é o maior campeão do Paranaense, com 38 conquistas, e é o atual detentor do troféu estadual. 

TIME BASE: Wilson; Benítez, Thalisson Kelven, Werley e William Matheus; João Paulo, Ruy, Simião e Iago Dias; Mosquito e Kleber 

CRAQUE DO TIME: Kléber Gladiador, o Gladiador continua sendo o nome mais respeitado dentro do elenco coxa-branca. Porém, diferente do bom ano de 2016, ficou devendo em 2017, apesar da artilharia do Paranaense. No Brasileiro, marcou apenas 5 gols, e ficou afastado durante grande período, por lesão e também por uma punição disciplinar. Paciente com o atacante, a torcida não deve ser condescendente com novos erros do jogador. 

TREINADOR: Sandro Forner, no ano passado, o Coritiba teve durante a temporada três técnicos diferentes. E todos com perfis totalmente opostos. Para 2018, a ideia principal é de renovação. Sandro Forner foi o treinador do sub-20 do Coritiba em um ano de bons resultados na categoria, e recebe sua primeira oportunidade no profissional. Tem a vantagem de já ter trabalhado com boa parte do elenco atual. 



















Tecnologia do Blogger.