PROPAGANDA

[SUB 19] Em partida agitada, Paraná vence o Coritiba nos pênaltis e garante vaga na final do Estadual


Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre
Na tarde desta quarta (13), Paraná e Coritiba se enfrentaram na Vila Olímpica valendo vaga na final do Estadual da categoria. No tempo normal, três pênaltis foram marcados, dois para o Coxa e um para o Tricolor, ambos convertidos. O escrete paranista conseguiu o empate e levou a decisão para mais penalidades. Foram mais sete cobranças para cada lado até Henrique chutar para fora e classificar o Tricolor para a decisão, contra o FC Cascavel.

#PRSUB19
Por: @leodulcio


PRÉ-JOGO – Após fazerem um clássico movimentado no Couto Pereira, Paraná e Coritiba voltaram a se enfrentar na Vila Olímpica. A regra era clara: quem ganhasse passava. O Alviverde descansou para a decisão, enquanto parte do elenco do Tricolor foi para o Rio de Janeiro, defender a Seleção Paranaense na derrota diante o Mato Grosso.

PRIMEIRO TEMPO – O jogo começou movimentado e  logo aos 3’ o Coritiba abriu o placar de pênalti. Tallyson Lalau invadiu a área e foi derrubado por Dias. Romeu cobrou firme no canto esquerdo de Gui e abriu o placar para a equipe do Alto da Glória.

O Tricolor foi para cima buscando o empate e aos 14’ igualou o marcador também de pênalti. Após uma troca de empurrões na área o árbitro assinalou penalidade máxima. Guga cobrou forte no canto direito de Bruno e empatou a partida.

Aos 17’, o Coritiba criou uma boa oportunidade. Tallyson Lalau fez boa jogada pela ponta direita, invadiu a área e tocou para Pablo, que foi travado pelo zagueiro Dias na hora da finalização e por pouco não fez o segundo do Verdão. Mas com 25’ o tricolor respondeu. Alan recebeu boa bola na área e finalizou forte para boa defesa de Bruno.

O Coritiba era mais eficiente em suas chegadas ao ataque e com 42’ criou outra chance com perigo. Marcos Moser invadiu a área, limpou a jogada e finalizou forte para grande defesa de Gui.

No tempo normal a partida foi muito equilibrada e acabou em 2 a 2 (Foto:Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre)
SEGUNDO TEMPO - A segunda etapa começou agitada, logo no primeiro minuto o Coritiba sofreu outro pênalti. Após dividida na área, a bola bateu na mão de Vinícius, o juiz assinalou para a marca da cal. Pablo cobrou no canto direito de Gui, que por pouco não pegou, e fez o segundo gol do alviverde.

Com 8’ o lance mais polêmico da partida. O tricolor trocava passes envolta da área, quando Pires recebeu na entrada da área e arriscou a finalização, a bola encobriu o goleiro Bruno, tocou no travessão, dentro do gol e o defensor alviverde isolou. Porém a arbitragem assinalou apenas lateral e não validou o gol tricolor.  Mas no minuto seguinte o tricolor conseguiu o gol de empate. O volante Silva invadiu a área, limpou a jogada e fez o segundo do Paraná Clube.

A partida ficou morna e somente aos 38’ o tricolor criou outra boa oportunidade. Pires recebeu na meia lua da área, limpou a jogada e finalizou forte por cima da meta de Bruno. Com 41’ o Paraná chegou na bola parada. Pires cobrou falta por baixo da barreira e obrigou o arqueiro coxa branca a fazer uma bela defesa. 
Com a permanência do empate, a decisão foi para a marca da cal.

Nas cobranças Pires abriu o placar para o Paraná. Romeu converteu para o Coxa. Dias, Caio Queiroz e Guga fizeram para os donos da casa e Léo Andrade e Tallyson Lalau marcaram para os visitantes. Na quarta cobrança, Yuri Rocha, que veio do banco, bateu para fora. Warley teve a chance de fechar o marcador, mas tirou do goleiro e do gol, chutando para fora. Pablo fez e levou a decisão para as alternadas. Na primeira série, Allexson e Matheus Bueno marcaram. Em sequência, Marcelo fez, mas Henrique isolou, colocando o Tricolor na decisão contra o FC Cascavel.

A festa foi Tricolor após o apito final (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre)
FIQUE DE OLHO – Jhonny Lucas – A grande jóia paranista de 2017 conseguiu aparecer mais em campo no clássico. Com mais ritmo de jogo, Jhonny Lucas foi fundamental para que o Tricolor sempre estivesse vivo no jogo e criasse oportunidades. Além disto, o camisa 10 mostrou ter um entrosamento muito forte com seus companheiros, invertendo de posição toda hora com Pires e agitando a meia cancha. Além de sempre se sobressair com seu talento individual e sua excelente visão de jogo. Jhonny, que tem apenas 17 anos, não deve ficar nas categorias de base Tricolor, pois já foi até integrado ao elenco profissional. Resta agora saber se encerrará com chave de ouro com o título do estadual.

Jhonny Lucas arma jogadas em todos os setores da meia cancha (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre).

FIQUE DE OLHO – Tallyson Lalau – Um dos pontos que chama atenção nos times de base Alviverde é o ataque, sempre buscando uma linha de três mais ofensiva, com dois pontas de velocidade e um atacante fechando pelo meio. E Tallyson Lalau ajuda muito o esquema tático de Mozart. O camisa 7 tem um forte poder de arrancada pelo lado direito, sendo que em uma delas conseguiu sofrer um pênalti. Em outra, deixou a marcação no show, parecendo uma jogada de vídeo gama. Lalau ainda precisa ser um pouco mais lapidado, mas merece toda a atenção do torcedor Coxa Branca.

Lalau chamou a atenção pelas suas arrancadas na direita (Foto: Gabriel Sawaf/Do Rico ao Pobre).
OS ESCRETE XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

PARANÁ CLUBE: 1- Gui; 2-  Thawan (13-Vinicius), 3- Dias, 4- Marcelo; 6- Caio Queiroz; 5- Silva (17- Warley); 7- Allexson; 8- Pires; 10- Jhonny Lucas; 9- Allan (20-Andrey) e 11- Guga. Técnico: Luciano Simm.

CORITIBA: 1- Bruno; 2- Marcos Moser, 3- Henrique, 4- Leo Andrade e 6- Vinicius Araujo; 5- Romeu, 8- Matheus Bueno, 10- Luizinho (20-Yuri Rocha); 7- Talysson Lalau, 9- Pablo e 11- Nathan. Técnico: Mozart.

FICHA TÉCNICA – PARANÁ CLUBE 2 (6) x 2 (5) CORITIBA XXXXXXXXXX

ÁRBITRO: Luiz Alexandre Fernandes
ASSISTENTES: Eduardo Luis Teixeira Furiatti e Alessandro Antonio Gonçalves
GOLS: Guga (14’/1°T) e Silva (9’/2ºT) (Paraná); Romeu (3’/1°T) e Pablo (2’/2ºT) (Coritiba).
AMARELOS: Jhonny Lucas; Vinicius (Paraná); Luizinho (Coritiba). 


__________________________________________

DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO

Tecnologia do Blogger.