Com autoridade, Iguaçu vence Trieste e força a terceira partida



Trieste e Iguaçu jogaram na tarde deste sábado (2), em confronto válido pelo jogo de volta da fase final do futebol amador de Curitiba de 2017, no Estádio Francisco Muraro. Com a vantagem do empate, o Trieste não conseguiu segurar o alvinegro de Santa Felicidade e perdeu pela primeira vez na competição. Com este resultado a decisão para saber o campeão da Suburbana de 2017 será em campo neutro. 

#SUBURBANA 2017
Por @bialimac

PRÉ-JOGO: Com a vitória na primeira partida da final, a equipe do Trieste iniciou o embate com a vantagem do empate para conquistar o título. Já o escrete do Iguaçu teria que vencer para empurrar e forçar o terceiro jogo em um estádio neutro. No tricolor de Santa Felicidade, um desfalque. O volante Grilo que foi expulso na primeira partida. Diferente do escrete alvinegro que foi completo para o clássico dos italianos.

PRIMEIRO TEMPO: A partida começou um pouco fria e demorou para esquentar. Com menos de 2’ de jogo, o camisa 8 do Triste, Aroldo, tomou cartão amarelo após forte entrada em Hideo. Aos 5’ veio a primeira bola perigosa da partida. Edu Salles, camisa 20, recebeu um passe na grande área e tentou um chute de primeira, mas a bola subiu e passou bem acima do travessão do goleiro Filipe. Apesar do clima de final, foram poucas as jogadas que conseguiam ser finalizadas. Com 11’, Luisinho Netto cobrou falta entre a intermediária e a entrada da área e o arremate do lateral subiu demais, passando longe da meta do arqueiro Rodrigão.

Somente aos 21’ o Triste voltou a apresentar perigo ao Iguaçu. Batata cobrou falta na linha da intermediária e lançou uma linda bola, que foi tirada com um soco pelo goleiro Filipe. Aos poucos, o Iguaçu foi chegando. Aos 24’ o alvinegro de Santa Felicidade conseguiu mudar o rumo da partida. Hideo cobrou falta na lateral esquerda e a bola ficou escorregadia dentro da área. Na sobra, o volante Helton não deu chance para o goleiro Rodrigão e abriu o placar.

Faltando cinco minutos para o fim do tempo regular da primeira etapa, Feijão, do Iguaçu, cruzou o campo numa corrida impressionante. Dentro da grande área, levantou a bola para Tamandaré, que tentou de bicicleta, mas errou a mira. Minutos depois, após entrada dura em cima de Luisinho Netto, Aroldo, camisa 7 do Triste, levou o segundo amarelo e acabou expulso, aos 44’. No lance, o volante também acabou se machucando e deixou o campo de maca. Passado o lance da expulsão, o árbitro Paulo Roberto Alves Jr. decretou o fim do primeiro tempo. 


SEGUNDO TEMPO – Depois do intervalo, as equipes voltaram um pouco mais animadas, embaladas pela música tocada pela charanga na arquibancada, banda composta por instrumentos de sopro e percussão, tipicamente vista em torcidas de clubes argentinos. Com bola rolando e com o cronômetro marcando 8’, Neto, do Triste chutou de fora da área e fez o goleiro Filipe trabalhar. Na resposta, Hideo entrou em disparada na grande área e assustou o goleiro adversário, que conseguiu espalmar. Sem demora, no lance seguinte, Tamandaré também tentou acertar a rede de longe, mas a bola subiu mais do que deveria.

Momento em que o jogo teve várias ações ofensivas. No time do Trieste, Jair recebeu bom passe e deu uma cabeçada perigosa aos 23’. Mas do outro lado, a resposta foi de Hideo aos 25' e que trouxe perigo ao adversário. O camisa 20 correu meio campo, se desvencilhou da zaga e mirou no canto direito com o bola rasteira, que tirou tinta da trave. Chegando na marca dos 30’, Batata deixou o grito de gol entalado na garganta da torcida. O camisa 9 entrou na área sem marcação e enfrentou o goleiro Filipe, que acabou vencendo a disputa quando agarrou a bola.


O jogo virou aos 35’ quando Tonton, do Iguaçu, fez ótimo passe para Hideo, que apareceu de surpresa na entrada da área e mandou a bola para o fundo da rede aumentando o placar, sem tempo para a defesa de Rodrigão. Com folga no placar e com um homem a mais, a equipe do Iguaçu cedeu alguns espaços para o contra ataque. Bruno Batata tentou diminuir a diferença aos 41’, com cobrança de falta na boca da área. O camisa 9 mirou no canto superior direito, mas só acertou a torcida adversária, que estava atrás do gol.


Já nos acréscimos, o Trieste teve sua última chance com Marquinhos Lima, camisa 10. O meio campista cruzou tentando encontrar um companheiro de equipe para finalizar, mas o goleiro Filipe foi rápido e já tirou a bola para longe. aliviando o perigo de gol. Mesmo com a vitória por 2 a 0 sobre o Trieste, a equipe do Iguaçu ainda não garante o título de campeão. O certame será finalizado na terceira e última disputa entre os clubes do bairro Santa Felicidade.


OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

TRIESTE: 1 Rodrigão, 2 Jair, 3 Igor, 4 Romero, 6 Marabá, 5 Neto, 8 Joãozinho (19 Wellington), 7 Aroldo, 10 Marquinhos Lima, 9 Bruno Batata, 20 Edu Sales (11 Felipe). Técnico: Ivo Petry.

IGUAÇU: 1 Filipe, 2 Luisinho, 3 Dudu (13 Herick), 4 Emerson, 6 Aderaldo, 5 Douglas, 8 Helton, 7 Feijão, 11 Alex (14 Tonton), 20 Hideo, 10 Tamandaré (17 Igor). Técnico: Juninho

FICHA TÉCNICA TRIESTE 0x2 IGUAÇU XXXXXXXXXXX

GOLS: Iguaçu: 8 Helton, 20 Hideo
CA: Trieste: 7 Aroldo, Iguaçu: 6 Aderaldo
CV: Trieste: 7 Aroldo
ÁRBITRO: Paulo Roberto Alves J.
ASSISTENTES: Daniel Cotrim de Carvalho e Felipe Gustavo Schmidt.

MELHORES MOMENTOS (VÍDEO) XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX





__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO