Trieste vence o primeiro duelo da semi e leva a vantagem para chegar na decisão

Neto abriu o placar para o Trieste, subindo mais que a zaga adversária (Cleiton da Cruz)
Na tarde do último sábado (11), Trieste e Operário Pilarzinho se enfrentaram em jogo válido pela de ida pela semifinal da Divisão Especial do Futebol Amador de Curitiba. Em um embate equilibrado e bastante estratrégico, a equipe da colônia italiana venceu o tricolor por 2 a 0 no Bortolo Gava e agora necessita de um empate para chegar à decisão.


#SUBURBANA 2017

PRÉ-JOGO:  O escrete do Operário Pilarzinho chegou nesta fase da competição após ganhar do Vila Fanny nos pênaltis. Uma vitória para cada lado nas quartas, no primeiro embate 1 a 0 para o Operário Pilarzinho, em casa. Depois 3 a 2, para o Fanny.  Devido a isso, a decisão foi para a marca da cal: 3 a 1 para a equipe do Bortolo Gava. O alvirrubro tem 51% de aproveitamento. Já o Trieste é dono melhor da melhor campanha geral do campeonato. Além disso, tem o ataque mais efetivo da competição, com 37 gols marcados. Além do artilheiro: Bruno Batata, com 16 gols anotados.

PRIMEIRO TEMPO – O time do Trieste foi pra cima do Pilarzinho já no início e com isso, a equipe italiana abriu o placar no primeiro lance de ataque aos 2”. O gol que o Trieste atacou foi do lado ao contrário onde fica a torcida do time da casa. Em uma chance de escanteio, Marabá bateu e encontrou Neto no primeiro pau, que cabeceou subindo mais alto que a zaga adversária. Assim, a bola foi parar nos fundos da rede. O time da colônia continuou no mesmo ritmo de jogo  e pressionou durante a metade do primeiro tempo, soube aproveitar as chances de gol. Devido a isso, o placar foi aumentado aos 20”.  

O Trieste alçou bola alta mais uma vez. Em jogada pela direita, após troca de passes rápidos, aconteceu um cruzamento na área, Bruno Batata escorou de cabeça, a pelota parou nós pés de Marquinhos Lima, que bateu forte e alto, no canto esquerdo de Juninho. Era o segundo gol a favor do Trieste. A bola esticou o barbante devido a potência chute disparado pelo camisa número 10.

No fim do primeiro tempo, o Pilarzinho teve chances de diminuir (Cleiton da Cruz)
Peterson Freitas procurou a motivar a equipe do Pilarzinho, jogadores que têm uma média de idade baixa. Não deu outra, o time da casa melhorou depois de um início ruim. Fábio cabeceou com perigo aos 26', a bola foi pra fora, mas serviu de alerta para a equipe de Santa Felicidade. O Pilarzinho abafou o tricolor italiano, no fim da primeira etapa.

Pois assim, conseguiu mais uma oportunidade de diminuir em dois lances. Quando relógio marcou 28', Fábio recebeu passe rasteiro de cara a cara com arqueiro do Trieste, mas Rodrigão foi rápido na saída da meta e fechou o ângulo e defendeu o chute. Em seguida, na cobrança de escanteio, João Madureira pulou e cabeceou forte e alto, no meio do gol. Rodrigo salvou a equipe italiana, pois a cabeçada foi a queima roupa. A pressão no final do primeiro não foi suficiente para o Pilarzinho diminuir a vantagem criada pelos visitantes.

SEGUNDO TEMPO – Algo precisou ser alterado para correr atrás do prejuízo. Devido a isso, o treinador do Pilarzinho tirou um volante de marcação: Guilherme Cotaplan que deu lugar ao atacante Sagui. O escrete tricolor até tentou, mas não conseguiu balançar a meta adversária. Já a equipe da colônia recuou e jogou por uma bola no contra-ataque, a velha máxima: administrou o resultado. E a proposta de Ivo Petry funcionou.

Robson Baroni chutou de longe aos 20', Rodrigão encaixou a redonda. Seis minutos depois aconteceu uma falta na intermediária de ataque do Pilarzinho. Era muito longe e ninguém imaginou. João Madureira chutou e a pelota viajou e caprichosamente bateu na trave esquerda de Rodrigão. O arqueiro só olhou, não esperou esse ótimo arremate.

Uma hora, o contra-ataque do Trieste iria acontecer, a defesa do Pilarzinho esteve exposta. Com agilidade, a pelota chegou em Marquinhos Lima que finalizou, Juninho defendeu e  a bola sobrou e Edu Sales chutou novamente, o arqueiro do Pilarzinho defendeu mais uma vez. Era um milagre. Seria o terceiro gol da equipe visitante.   
 
A torcida incentivou, mas equipe não correspondeu com gols marcados (Cleiton da Cruz)
Até o fim, o Pilarzinho teve a posse de bola, mas nenhum lance relevante aconteceu. A torcida apoiou durante o jogo, mas não a equipe da casa, não conseguiu balançar a baliza adversária.

OS ESCRETES XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

O. PILARZINHO: 1 Juninho; 2 Guilherme, 3 Diego; 4 Patrick e 6 Thiago Piotto (14 Thomas); 5 Guilherme Cataplan (18 Sagui); 7 Thomas (16 Léo), 8 Robson Baroni, 10 Rodriguinho (19 Segundo); 9 Fábio e 11 João Madureira (21 Vá). Técnico: Peterson Freitas

TRIESTE: 1 Rodrigão, 2 Neto, 3 Igor, 4 Igor e 6 Marabá; 5 Grillo (17 Felipe), 8 Orlei, 10 Marquinhos Lima; 9 Bruno Batata e 11 Joãozinho (20 Edu Sales) técnico: Ivo Petry

FICHA TÉCNICA TRIESTE 2x0 OPERÁRIO PILARZINHO XXXXXX

GOLS: Neto aos 2”, Marquinhos Lima aos 20” do 1º tempo (TRI);
CA: Thiago Piotto (TRI)
Árbitro: Adriano Milczvski
Assistentes : Ivan Carlos Bohn e Alessandro Antonio Gonçalves

Delegado: Marcelo Nascimento Neves

__________________________________________
DO RICO AO POBRE, O FUTEBOL SEM DIVISÃO